ÁUDIO: Ricardo Coutinho declara voto a João Azevedo, em evento do Empreender, e comete crime eleitoral

Assim como em 2014, quando Ricardo Coutinho quase quebrou o estado para impedir a vitória de Cássio Cunha Lima, a eleição para o governo será marcada pelo uso intensivo da máquina pública a favor do PSB, novamente. E não é especulação. Ricardo deixou isso bem claro ao declarar voto em João Azevedo, na última sexta-feira, 15, durante evento do Empreender.

 

Eu vou apostar é aqui (João Azevedo). Eu vou apostar numa pessoa que não precisa tá dando tapinha nas costas para poder seduzir e conquistar o voto. Eu vou apostar nessa pessoa que tem coragem de dizer aquilo que pensa… Essa pessoa não representa apenas um ser, representa um projeto… em 2019, se Deus quiser, vai ter outra pessoa, outro companheiro, meu querido João Azevedo, no meu lugar para tocar esse projeto…”, disse o governador durante evento institucional.

Sem limites, só faltou Ricardo dizer que no dia 2 de outubro, o povo da Paraíba devia votar no 40.

Sequer chegamos em 2018 e o governador Ricardo Coutinho começa a usar eventos institucionais para politizar ainda mais um programa que serviu (e tem servido) para comprar votos. É muita cara de pau e cinismo, ou “confiança” excessiva na influência que detém no judiciário paraibano. Ainda mais, semanas após o TCE encontrar irregularidades e suspender o funcionamento do Empreender. Programa este que é protagonista numa Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) que pede a cassação do governador Ricardo Coutinho.

Além de cometer crime eleitoral ao pedir voto para seu candidato, em evento institucional, Ricardo Coutinho passou recibo e confirma as suspeitas de um programa que, em essência, é espetacular, mas na prática serve apenas de aparelhamento para o PSB se perpetuar no poder estadual.

Auditoria realizada pelo TCE revelou a ocorrência de concessão de empréstimos a diversos servidores públicos, inclusive vinculados ao próprio Empreender – PB, e até a pessoas de uma mesma família, contrariando o principal objetivo do Programa de fomento e denotando ofensa aos Princípios da Impessoalidade e da Moralidade.

Mas o governador Ricardo Coutinho não se importa com nada disso, pois conta com a complacência da Justiça, inclusive do TRE, que vai esperar RC terminar o mandato para julgar a Aije mais grave contra o governador, que certamente vai resultar em cassação. É preciso ressaltar que o TRE-PB é o lanterninha em julgamento das Aijes da eleição de 2014, no País.

Ricardo não admite perder a eleição e já deu o tom de 2018. Ele acha que o governo da Paraíba é sua propriedade e pode usá-lo como bem entender.

Num Estado sério este senhor já estaria cassado há anos…

Comentar com Facebook

Comentários

COMPARTILHAR