Berg Lima pode voltar à prefeitura de Bayeux, e agora com mais sede por propina

A possível volta do prefeito-presidiário certamente não se dará pelos braços do povo, que não o aceita na prefeitura nem para varrer a rua. Mas de um parecer cômico e surreal assinado pelo sub-procurador geral da República, o paraibano Eitel Santiago.

Eitel vai na contramão de praticamente todas as instâncias do judiciário e acredita que Berg Lima tem condições éticas e morais para reassumir a prefeitura, mesmo depois do flagrante de concussão, onde o prefeito-presidiário recebeu, pela terceira vez, propina de um empresário local.

O que mais chama a atenção no parecer do sub-procurador é o fato dele achar que a prática criminosa da qual Berg Lima foi flagrado não seja uma prática contumaz (insistente), mesmo o delegado da operação afirmando que Berg já teria recebido propina por três vezes.

Fico imaginando a hipótese do sub-procurador Eitel Santiago ser um empresário, e se ele teria coragem de colocar um ladrão preso em flagrante (e ainda encarcerado) para administrar a sua empresa. Jamais! Essas aberrações só acontecem no serviço público brasileiro, onde juízes constantemente colocam a raposa para vigiar o galinheiro.

Qual seria então o requisito mínimo para ser prefeito senão a honestidade? Para Eitel Santiago, basta estar vivo e respirando, o resto é subjetivo. E assim ele vai na contramão do judiciário brasileiro, que vem tentando moralizar a política brasileira, mas esbarra em aberrações como a do ilustre paraibano.

Caso volte à prefeitura, o prefeito-presidiário, que já ganhou a fama de ladrão, não se preocupará mais com as aparências, vai apenas dar sequência ao seu “projeto político” que é, e sempre foi, assaltar os cofres da prefeitura e se tornar milionário através da política.

E agora com mais sede…

Comentar com Facebook

Comentários


COMPARTILHAR