CASO FERREIRA COSTA: Por que ao invés de politizar o debate, RC não cuida do que é seu e diminui impostos para atrair empresas?

Sem sucesso no contraponto ao prefeito Luciano Cartaxo, o governador Ricardo Coutinho continua procurando pêlo em ovo e politiza um debate de cunho burocrático e de competência exclusiva da prefeitura: a instalação da unidade do Grupo Ferreira Costa em João Pessoa.

Tentando bancar o altruísta, mas com intenções eleitoreiras e atitudes mesquinhas, Ricardo Coutinho deveria, ao menos, ter anunciado durante a reunião com o Grupo Ferreira Costa, no Palácio, a redução da alta carga tributária para as empresas paraibanas que vivem no sufoco. Vale lembrar que recentemente a Ambev não aguentou o “assalto estatal” e trocou a paraíba por Pernambuco, fechando 220 postos de trabalho.

Mas não podemos esperar nada nesse sentido, ainda mais de um governador que ganhou o apelido de Ricardo Impostinho, de tanto esfolar o bolso do paraibano, que sofre com a maior carga tributária do País e ainda é obrigado a conviver com a crescente onda de violência e uma educação que cai de qualidade a cada IDEB.

Sem anunciar nada de concreto para atrair empresas, ou tentar manter as poucas que temos, Ricardo se revela um politiqueiro, mais preocupado em se perpetuar no poder do que com o desenvolvimento econômico de um Estado que vergonhosamente representa apenas 0,9% do PIB Nacional.

Comentar com Facebook

Comentários

COMPARTILHAR