Graças aos vereadores Jeferson e França, Berg Lima vai continuar recebendo salário de R$ 20 mil até 2021; totalizando R$ 1 milhão

Mesmo se livrando da cassação pela Câmara Municipal de Bayeux, Berg Lima sabe que nunca mais sentará na cadeira de prefeito. Não por vontade dos 10 vereadores que foram cúmplices da corrupção, mas porque no Brasil a Justiça ainda funciona, e lá ninguém aceita as “negociatas” de Berg.

Ciente da realidade, Berg Lima agora tem um objetivo; continuar recebendo o salário de quase R$ 21 mil até janeiro de 2021, quando termina o mandato. Berg foi afastado da prefeitura, mas não teve os vencimentos cortados, coisa que só aconteceria com a cassação, que vergonhosamente não aconteceu.

E como a Justiça é lenta e os recursos protelatórios são intermináveis, Berg Lima não será julgado em menos de 8 anos.

E o mais revoltante é que Bayeux tem um prefeito ao custo de dois:

Mesmo depois de preso, Berg Lima já recebeu R$ 120 mil em salários, e deverá receber mais R$ 800 mil até janeiro de 2021, juntando férias e décimo terceiro. Ou seja, além de roubar a cidade e levá-la ao caos político, Berg ainda vai embolsar quase R$ 1 milhão em salários.

É um verdadeiro tapa na cara do cidadão de Bayeux que acorda às 5h para trabalhar e paga todos seus impostos em dia.

Tudo isso graças aos vereadores Jeferson Kita e França, os responsáveis pelo relatório inocentando Berg Lima na Câmara Municipal.

O que daria pra fazer com R$ 1 milhão numa cidade pobre como Bayeux? Muita coisa. Mas os 10 vereadores que livraram Berg Lima da cassação não têm compromisso nenhum com a cidade.

Em 2020 o povo dá o troco…

 

Comentar com Facebook

Comentários

COMPARTILHAR