IDEB CONFIRMA: Educação pública melhorou nos governos Cássio e piorou com Ricardo Coutinho

A boa avaliação do Governo Ricardo Coutinho não vem se traduzindo em resultados práticos quando o tema é educação pública. Famoso por suas obras de cal e pedra, Ricardo Coutinho negligenciou a qualidade do ensino e fechou 20% das escolas estaduais apenas no seu primeiro mandato.

De acordo com os dados no Ideb – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, criado em 2007, a Paraíba ultrapassou a meta projetada para 8ª série / 9º ano, entre 2007 e 2009, nos governos de Cássio Cunha Lima. Mas entre 2011 e 2015, com Ricardo, ficou abaixo da meta, como mostra imagem a seguir, onde os resultados em verde referem-se ao Ideb atingido:

No Ideb da 3ª série do ensino médio a mesma coisa; entre 2007 a 2011 a Paraíba ultrapassou a meta projetada. Mas entre 2013 e 2015, nos governo de Ricardo Coutinho, o Ideb ficou abaixo da meta:

O que é o Ideb

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) foi criado em 2007 e reúne, em um só indicador, os resultados de dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: o fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações.

Ele é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e das médias de desempenho nas avaliações do Inep, o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) – para as unidades da federação e para o país, e a Prova Brasil – para os municípios.

Para que serve

O Ideb agrega ao enfoque pedagógico dos resultados das avaliações em larga escala do Inep a possibilidade de resultados sintéticos, facilmente assimiláveis, e que permitem traçar metas de qualidade educacional para os sistemas. O índice varia de zero a 10 e a combinação entre fluxo e aprendizagem tem o mérito de equilibrar as duas dimensões: se um sistema de ensino retiver seus alunos para obter resultados de melhor qualidade no Saeb ou Prova Brasil, o fator fluxo será alterado, indicando a necessidade de melhoria do sistema. Se, ao contrário, o sistema apressar a aprovação do aluno sem qualidade, o resultado das avaliações indicará igualmente a necessidade de melhoria do sistema.

O Ideb também é importante por ser condutor de política pública em prol da qualidade da educação. É a ferramenta para acompanhamento das metas de qualidade do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) para a educação básica, que tem estabelecido, como meta, que em 2022 o Ideb do Brasil seja 6,0 – média que corresponde a um sistema educacional de qualidade comparável a dos países desenvolvidos.

Comentar com Facebook

Comentários

COMPARTILHAR