Livânia Farias qualificou organização social irregular; nota do próprio governo reconhece erro

A secretária de Administração do Estado, Livânia Farias, qualificou uma organização social irregular para atuar na área da saúde, em 2013. Trata-se do Instituto Gerir, que não apresentou as certidões negativas de débito, mas Livânia preferiu relevar o “pequeno” detalhe.

Como consequência da irresponsabilidade de Livânia Farias, os funcionários do Hospital Regional de Patos, administrado pelo Instituto Gerir, estão sem receber salários há mais de dois meses porque a organização social está impedida de receber recursos públicos por não apresentar as certidões negativas de débito.

Em nota, o próprio governo do Estado reconheceu o erro de Livânia:

NOTA

A Secretaria de Estado da Saúde esclarece que já realizou o repasse para pagamento dos profissionais que atuam no Hospital Regional de Patos. Os recursos para o pagamento da Maternidade Peregrino Filho estão assegurados, mas o governo está impedido de realizar o repasse para a Gerir, Organização Social administradora das unidades, por que a empresa não apresentou suas certidões negativas de débito, estando irregular e impedida de receber recursos públicos.

Em respeito aos profissionais que atuam nestas unidades de saúde, o Governo da Paraíba está buscando soluções legais para que possa realizar o pagamento na maior brevidade possível, e buscando soluções legais alternativas para que não haja interrupção na assistência nestes importantes serviços de saúde para toda a população do alto sertão do estado.

Por onde passa, o Instituto Gerir é motivo de denúncias dos órgãos públicos, mas Livânia Farias achou por bem qualificar uma organização social suspeita de desvios:

 

Comentar com Facebook

Comentários