O garoto da atitude prometeu praças, escolas e hospitais, mas foi a Brasília buscar um presídio

Quando você pensa que a classe política chegou no fundo do poço, ela sempre encontra um jeito de cavar um pouquinho mais. Eleito sob o mantra da atitude e mudança, Berg Lima prometeu uma nova cidade, mas tem trabalhado para entregar uma cidade velha, piorada e com um presídio.

Para quem prometeu construir praças, escolas em tempo integral e hospitais, ir a Brasília pleitear um presídio parece meio contraditório. Ainda mais para um jovem que diz ter atitude e não cansava de citar as músicas do revolucionário Gabriel Pensador, mas quer fazer Bayeux compactuar com o status quo da segurança pública, onde só fica na cadeia quem é negro e pobre. Lembram da esposa do Eduardo Cunha?

Se presídio fosse solução, teríamos um país seguro, pois o Brasil possui a terceira maior comunidade carcerária do mundo.

Mas no tocante à Bayeux, é lamentável ver uma cidade que mal tem praças usar o pouco terreno que tem para construir um hotel para bandido. Ainda mais quando se trata de uma cidade pobre e sem autoestima, que já sofre com o estereótipo da violência e outros ainda mais depreciativos.

E o pior de tudo: O crime organizado sempre migra para a cidade onde os líderes estão presos. O mesmo aconteceu com Mossoró, no Rio Grande do Norte, e com Bayeux não vai ser diferente.

Além disso, Bayeux vai sofrer com a desvalorização imobiliária, como acontece com o bairro do Róger e as localidades próximas ao presídio de Mangabeira.

Para quem prometeu uma nova Bayeux, Berg Lima se auto revela o maior estelionato eleitoral da história da cidade. É um governo sem pé nem cabeça.

Bayeux não tem sorte com prefeito.

[totalpoll id=”107″]

Temer se enrola e admite que voou no jato de Joesley

Depois de chamar o empresário Joesley Batista, que recebeu fora da agenda, de “falastrão e fanfarrão”, Michel Temer mudou sua versão e admitiu ter voado no jatinho particular do empresário.

Temer admitiu que utilizou uma aeronave particular em 2011, para ir com sua família a Comandatuba, na Bahia. Mas negou que soubesse de quem o jato. Na terça-feira (6), o Palácio do Planalto havia dito que, em 2011, o Temer viajou em uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) para a Bahia.

Em depoimento à Procuradoria-Geral da República (PGR), o empresário Joesley Batista afirmou que o Temer e sua mulher, Marcela Temer, viajaram em jato particular do executivo da JBS quando o peemedebista era vice-presidente (leia mais).

“O então vice-presidente Michel Temer utilizou aeronave particular no dia 12 de janeiro de 2011 para levar sua família de São Paulo a Comandatuba, deslocando-se em seguida a Brasília, onde manteve agenda normal no gabinete. A família retornou a São Paulo no dia 14, usando o mesmo meio de transporte. O vice-presidente não sabia a quem pertencia a aeronave e não fez pagamento pelo serviço”, diz Temer em nota.

A JBS acusa Temer de ter indicado o homem da mala Rodrigo Rocha Loures, preso na Papuda, para receber, em seu nome, uma propina semanal de R$ 500 mil.

Campinismo faz de Veneziano o melhor candidato a governador para RC

O campinismo é um fenômeno cultural com forte ramificação na política eleitoral desde a primeira eleição de Ronaldo Cunha Lima. Sendo mais claro, um bairrismo político, onde a defesa exacerbada dos interesses da terra supera até a razão. Para muitos, é inadmissível votar contra um candidato a governador da cidade.

Mesmo tendo perdido força na eleição de 2014, quando Cássio não teve a votação esperada em Campina Grande, o campinismo ainda é forte e faz de Veneziano o melhor candidato a governador para Ricardo Coutinho, pois um filho da terra teria mais condições de vencer Luciano Cartaxo na cidade.

Além disso, Veneziano conta com um bom recall, coisa importante numa campanha curta de apenas 45 dias.

Caberia a RC fazer seu prestígio eleitoral em João Pessoa se converter em votos para Veneziano, e usar o poder da máquina pública para reverter o quadro eleitoral no interior, coisa que ele aprendeu direitinho com a direita conservadora. Segundo as últimas Aijes julgadas pelo TRE, em matéria de uso da máquina, Ricardo é oitavo dan.

Mas Ricardo teria um desafio ainda maior, desdizer o que disse de Veneziano em 2014: “Veneziano é um jovem com a mentalidade completamente ultrapassa, ele não consegue dialogar com nada que seja novo… Ele só sabe fazer a política das famílias, dos acordos, do toma lá da cá…”

 

Prefeito de Caaporã dribla a crise econômica e gestão se destaca na Grande João Pessoa

Em tempo de vacas magras, o carinho com a coisa pública faz toda a diferença. No seu primeiro mandato como prefeito, Kiko Monteiro (PDT) tem provado que é possível fazer diferente, mesmo após herdar uma cidade literalmente destruída e repleta de dívidas.

A visão empresarial de Kiko – que vem da iniciativa privada – tem ajudado a cuidar da cidade. Só quem já passou por dificuldades na vida e iniciou seus negócios ainda jovem, vendendo farinha na feira, sabe o valor de cada centavo que chega nos cofres da prefeitura.

Em apenas cinco meses de gestão, Kiko já paga o funcionalismo em dia, limpou o lixo da cidade, regularizou a coleta, melhorou a iluminação pública em Caaporã e Cupissura e começa a pagar os salários atrasados deixados pelo antecessor.

Mais articulado que o antigo prefeito, Kiko transita muito bem em Brasília, o que tem ajudado em pautas importantes, como a volta do Banco do Brasil para Caaporã e os caixas eletrônicos da Caixa Econômica. A proximidade com a vice-governadora Lígia Feliciano tem aberto portas no governo do Estado.

Kiko Monteiro tem sido uma exceção na Grande João Pessoa, e até agora tem honrado o slogan da campanha: capacidade pra reconstruir Caaporã.

79,6% dos brasileiros querem que TSE casse Temer

Horas antes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) retomar o julgamento que pode retirar Michel Temer do Planalto, levantamento do Paraná Pesquisas confirma o sentimento da ampla maioria da população: para 79,6% dos brasileiros, o TSE deve cassar o mandato de Temer.

Apenas 16,8% dizem ser a favor da permanência do peemedebista. 3,7% não quiseram opinar. A pesquisa foi realizada entre os dias 5 e 6 de junho, por meio de questionário online com 2.110 brasileiros. A margem de erro é de 2% e o intervalo de confiança é de 95%.

Ministros do TSE afirmam que não votarão a ação do PSDB que pede a cassação da chapa Dilma-Temer sob pressão política. Ma a Corte está diante de uma oportunidade histórica para corrigir os rumos do País, encerrando o ciclo Michel Temer e convocando eleições diretas para seu substituto.

O veredito ficará por conta de três membros do Supremo Tribunal Federal, dois membros do Superior Tribunal de Justiça e dois advogados indicados pelo STF e nomeados pelo Presidente da República.

O julgamento começa com apresentação do relatório feita por Herman Benjamin, relator do caso. Depois, cada advogado terá 15 minutos para apresentar seus últimos argumentos. Em ordem pre-definida, cada ministro declara seu voto e apresenta as razões de sua decisão.

Voltei…

Depois de uma longa pausa para cuidar da vida profissional, acadêmica e das campanhas de 2016, todas vitoriosas, por sinal, volto a escrever sobre a política paraibana e seus bastidores.

O foco vai ser o mesmo do Blog do Kardec; revelar as verdadeiras intenções dos personagens políticos e suas contradições, mas agora intitulado de Polítika.

Sem candidato competitivo para 2018, PSB apela para a desqualificação de Cartaxo

2018 já chegou e está aberta a temporada de assassinato de reputação na Paraíba. Sem uma candidatura viável até o momento, o governador Ricardo Coutinho orquestrou sua tropa (parlamentar e midiática) para desqualificar a imagem do prefeito Luciano Cartaxo. A boa avaliação de Cartaxo na Capital e sua rápida penetração no interior tem incomodado o jardim dos girassóis.

A lógica de RC continua a mesma; um político só presta quando está em seu palanque. Mesmo que o adversário de hoje tenha garantido sua reeleição em 2014, ano em que a Paraíba assistiu o governador – cachorro morto à época -, implorar por uma aliança com Cartaxo e o PT.

Na cabeça de Ricardo, todo político é corrupto ou não presta. E assim ele tenta jogar quem não o serve mais na vala comum da política, como já fez com Maranhão, Cássio, Agra e mais uma dúzia de políticos.

Cartaxo pode se preparar, pois o PSB não quer largar o osso, e do pescoço pra baixo vai ser canela…