Propaganda televisiva do PT ataca Cássio e será representada por desvio de finalidade

A propaganda partidária do PT da Paraíba, que apresenta uma imagem do senador Cássio Cunha Lima e um recorte de jornal com uma fala sobre a transposição do rio São Francisco, extrapolou os limites da lei Lei nº 9.096/95 e será representada no TRE-PB pela assessoria do senador.

De acordo com a legislação, a propaganda partidária tem como objetivo: I – difundir os programas partidários; II – transmitir mensagens aos filiados sobre a execução do programa partidário, dos eventos com este relacionados e das atividades congressuais do partido; III – divulgar a posição do partido em relação a temas político-comunitários e IVpromover e difundir a participação política feminina.

Sendo vedado a utilização de imagens ou cenas incorretas ou incompletas, efeitos ou quaisquer outros recursos que distorçam ou falseiem os fatos ou a sua comunicação.

A forma como a imagem de Cássio e sua mensagem foram abordadas podem caracterizar desvio de finalidade.

Cássio poderá ganhar direito de resposta e o PT corre o risco de perder cinco vezes o tempo da mensagem sobre Cássio na propaganda partidária do segundo semestre.

O PT tá com a faca nos dentes e dá uma amostra de como será a campanha de 2018.

Recordando: Em 2001, Cássio namorou com o PT e quase se filia ao partido do saudoso amigo Júlio Rafael.

Vereadores fingem não enxergar os escândalos da gestão Berg Lima e Léo Micena encabeça oposição

Seja por incompetência em ser oposição ou por ter empregado a família na gestão do prefeito Berg Lima, a verdade é que os vereadores de Bayeux estão fingindo não enxergar os problemas da cidade, e a cada sessão, entram mudos e saem calados como se não houvesse erros a apontar e cobranças a fazer.

Coube ao jovem empresário Léo Micena e dezenas de outros bayeenses o papel da oposição. E a rede social tem sido o palco da batalha em defesa da moralidade e ética, coisa que de forma oportunista Berg Lima tanto defendeu na campanha, mas está em falta na gestão.

Léo Micena foi o primeiro a criticar a possível instalação do famigerado presídio de estimação do prefeito. E tem fiscalizado e denunciado compras supostamente superfaturadas e feitas sem licitação pela administração municipal.

Também foi um dos primeiros a denunciar os supersalários dos marajás amigos do prefeito.

Mesmo sem mandato, Léo Micena vale mais que metade da Câmara.

E a custo zero, já que não recebe o salário de R$ 11 mil dos sonolentos parlamentares.

CASO LAGOA: Procurador bota água no chopp da turma de Ricardo Coutinho

Há dias que a imprensa governista faz um samba de uma nota só com a operação Irerês, da Polícia federal, que investiga suposto superfaturamento na obra da Lagoa e que poderia envolver o prefeito Luciano Cartaxo.

Mas não envolveu.

É o que diz o procurador da República, Yordan Moreira Delgado, ao afirmar na última terça-feira (20), em entrevista à rádio Tabajara, que o prefeito Luciano Cartaxo está inteiramente fora das investigações em torno das obras do Parque Solon de Lucena, o Parque da Lagoa.

E assim colocaram água no chopp da turma do governador Ricardo Coutinho.

Que por enquanto terão de procurar outro mote para a campanha de 2018…