EXCLUSIVO: Secretário de Cartaxo pode cair nas próximas horas

Uma fonte revelou ao Polítika que o prefeito Luciano Cartaxo já admite afastar o secretário de infraestrutrura, Cássio Andrade. A demissão seria motivada pela suspeita de superfaturamento nas obras de revitalização do Parque da Lagoa.

O prefeito tem sentido o desgaste da Operação Irerês (Polícia Federal), potencializado pelo bombardeio da mídia, e o afastamento seria uma resposta à sociedade.

E se ao final tudo não passar de suspeitas, Cássio Andrade reassume a pasta.

Doria se pendura em Temer e se arrisca a morrer eleitoralmente

O prefeito de São Paulo, João Doria, do PSDB, decidiu ser um dos principais fiadores do apoio do PSDB a Michel Temer, primeiro ocupante da presidência denunciado por corrupção na história do Brasil.

“Você não pode estabelecer a culpabilidade antes que ela exista. Você não pode estabelecer o juízo que não cabe a nós, nem opinião pública, nem ao Poder Executivo, nem tão pouco aos jornalistas, mas sim ao Judiciário, que deve tomar a decisão final”, disse Doria em Brasília, após se reunir nesta quarta-feira, 28, com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do Senado, Eunício Oliveira.

Para Doria, o momento agora é garantir a “governabilidade” do Brasil. “A governabilidade existe. Estamos aqui. Em relação ao PSDB, essa é uma decisão do diretório nacional. A executiva nacional é que deve decidir. Não sou membro dessa executiva. Cabe a ela essa decisão de prosseguir ou não. A minha visão é a visão da governabilidade”, destacou.

Como Temer é rejeitado por mais de 90% dos brasileiros, Doria se arrisca a morrer abraçado a ele. No PSDB, o ex-presidente FHC, que pediu a renúncia de Temer, disse que Doria não fez nada em São Paulo, a não ser mexer no celular, enquanto o senador José Serra o acusou de ser um blefe; curiosamente, Doria vinha adotando um discurso fascista em relação ao ex-presidente Lula e dizia que iria visitá-lo em Curitiba.

Ricardo vai processar Pâmela Bório por citá-lo em vazamento de fotos íntimas

O governador Ricardo Coutinho (PSB) protocola na tarde desta quarta-feira (28) mais uma ação contra a ex-primeira-dama Pâmela Bório. A jornalista teve fotos íntimas vazadas nesta semana na internet e utilizou as redes sociais para apontar o ex-marido como suspeito. Nas postagens, ela dá duas versões para o acesso criminoso às “nudes”. Diz que teve o celular hackeado entre 2013 e 2014, de onde pode ter vindo as imagens, e que teve um celular tomado por pessoas próximas ao governador em outra oportunidade. A ação movida pelo governador pede a condenação da jornalista por prática de “crime contra a honra”.

“Quem não lembra daquele fatídico 7 de setembro de 2015 quando o governador mandou me sequestrar para ser levada à Granja, quando fui agredida na frente do meu filho e tive o meu celular roubado? Para quê ele queria o meu iPhone, tirado violentamente das minhas mãos??? Será se os bandidos que roubaram meu aparelho novo em outubro de 2016 não foram enviados para forjar uma justificativa para tal vazamento intencional? Na época, o próprio cunhado do Ricardo Coutinho, Robert Sabino, me revelou que tudo já estava premeditado”, disse Pâmela Bório no seu perfil em uma rede social.

Em outra postagem, a jornalista alega que registrou um Boletim de Ocorrência em 2014. Nesta segunda postagem, ela diz que era monitorada quando morava na Granja Santana. Alega que até o telefone fixo dela era grampeado. “No meu post anterior, eu também revelo o BO na DEAM (Delegacia da Mulher) onde registro a denúncia de que, na campanha de 2014, entre tantas ameaças que recebi da corja, estavam essas fotos que, “coincidentemente”, foram jogadas na rede após eu ter tornado público o flagra dos maus tratos sofrido pelo meu filho na semana passada.
Não se trata de montagem, nem de vazamento despretensioso de fotos íntimas de um casal, mas atribuo a responsabilidade aos meus algozes de sempre”, acrescenta.

O advogado Sheyner Asfora revelou que a orientação do governador tem sido protocolar uma ação para cada postagem na qual ele tenha a honra atingida. Ressaltou ainda a postura combativa de Pâmela Bório nas redes sociais, mesmo descumprindo ordem judicial. O embate foi intensificado desde o fim da semana. “Daremos a oportunidade para que ela apresente as provas que diz ter contra o governador na Justiça. Ela faz acusações inverídicas e nunca apresenta provas. Terá a oportunidade de fazê-lo”, ressalta. E acrescenta: “Não se trata de perseguição. Na verdade, diante dos fatos, fica claro que é ele quem está sendo perseguido”.

Blog do Suetoni

Cássio, Cartaxo e Maranhão; a coesão da coalizão

A aliança entre PSDB, PSD e PMDB segue firme e coesa para 2018, e não demonstra ser abalada pela boataria e notinhas oriundas da Granja Santana.

Se não vingar, será por outros motivos, como as mudanças do cenário político-nacional e a criação de palanques para os presidenciáveis. Menos pela discórdia.

Hoje a aliança está nas mãos de Cartaxo, Cássio e Maranhão. E ninguém mais. E como todos já possuem doutorado em política e alianças, quem tiver a intenção de desfazer a coalizão formada em 2014 vai ter muito trabalho.

Até porque é uma aliança em que todos saem ganhando; Cartaxo vira governador, Cássio se reelege, indica um vice e bota um basta na era PSB, e o PMDB vai comandar a maior prefeitura da Paraíba.

Ou seja, romper pra quê?

Berg Lima mantém empresa de coleta de lixo da gestão de Expedito, que o próprio Berg acusou de superfaturamento e pediu CPI

A informação consta no Tribunal de Contas do Estado e comprova mais uma vez que a gestão do prefeito Berg Lima não passa de uma continuidade da gestão Expedito, mas de cara nova.

Quando era oposição, Berg denunciava o superfaturamento no lixo e chegou a protocolar um pedido de CPI na Câmara. Mas ao assumir a gestão manteve a mesma empresa…

O que fez Berg Lima mudar de opinião e aceitar uma empresa de limpeza urbana que antes ele acusava de superfaturamento e pediu uma CPI?

Será que ele foi “convencido” de uma forma pouco republicana?

Ou era tudo encenação para enganar a população de Bayeux? Porque atitude pra mentir não falta, já que ele prometeu congelar o próprio salário e dos secretários em dezembro, mas aumentou em janeiro.

O novo em Bayeux já cheira a mofo…