Aprovado projeto de Cássio que obriga operadoras a garantir sinal de celular nas rodovias

A Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática, do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (19) projeto que obriga as operadoras telefônicas a garantir a cobertura de sinal de celular nas rodovias estaduais e federais. De acordo com o PLS 5/2017, a autorização para as empresas prestarem serviços de telecomunicações móveis de interesse coletivo ficará condicionada à obrigação de cobertura de toda a extensão dessas estradas na área que for objeto da outorga. Se não houver recurso para a análise do plenário, o texto segue para a Câmara dos Deputados.

SEGURANÇA – O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), autor do texto, salienta que a falta de cobertura dos serviços de telefonia móvel ao longo das rodovias gera uma série de prejuízos, como no caso de acidentes nos quais viajantes não têm como acionar o socorro. Ele também mencionou o transporte de cargas, que ganharia segurança com a possibilidade de rastreamento mais barato. Atualmente, eles usam as comunicações via satélite, que encarecem o custo das mercadorias. Outro ponto positivo é garantir a conectividade a regiões isoladas do país.

Cássio também salientou que este benefício vai aumentar a segurança dos cidadãos que viajem pelas estradas de todo o país, “temos imensas áreas de estradas sem telefonia e os criminosos se aproveitam para atacar justamente nestes espaços cuja dificuldade de comunicação é notória”.

SEM CUSTOS PARA O CONSUMIDOR – A cobertura, de acordo com o texto, pode ser compartilhada, desde que abranja todos os usuários das diferentes operadoras, sem custo adicional para eles. Os custos da mudança que não possam ser recuperados com a exploração do serviço serão cobertos pelo Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações. O prazo máximo para a implantação previsto no projeto é de cinco anos.

Com informações da Agência Senado

Prefeito Luciano Cartaxo prestigia emancipação política de Mari e defende união política para resolver problemas do Estado

Atendendo convite do prefeito Antônio Gomes (PSD), o prefeito Luciano Cartaxo prestigiou no fim da tarde desta terça-feira solenidades em comemoração aos 59 anos de emancipação política do município de Mari.

Ao lado do prefeito local, da vice-prefeita Karina Melo (PMDB), das vereadoras Marilene Rufino (PSD) e Valesca Maimoni (PT do B) e outras lideranças, Luciano acompanhou o desfile cívico em alusão ao aniversário da cidade.

Em entrevista à imprensa local, o prefeito Luciano Cartaxo destacou a importância da troca de experiência com o colega de Mari, prefeito Antônio Gomes, sobretudo no que diz respeito a planejamento e ações de enfrentamento da crise. “Falamos aqui, em conversa com o prefeito Antônio Gomes, a vice-prefeita e vereadores, sobre o conceito de gestão de resultados, que tem nos permitido pagar salários em dia, implantar programas ousados como o Gerente Saúde, e realizamos obras significativas, a exemplo de UPAs, creches, escolas, habitações, asfaltamento de avenidas, além do resgate do Centro Histórico”, explicou o gestor da Capital.

O segredo para superar a crise, segundo Luciano Cartaxo, é não ficar parado, eleger prioridades e cuidar de um planejamento minucioso de gastos e investimentos.

Em Mari, o prefeito Luciano Cartaxo também abriu as portas da Prefeitura da Capital para que o prefeito Antônio Gomes e seus auxiliares possam conhecer as ações, programas, serviços e obras da gestão da Capital.

“Entendo que a Paraíba precisa avançar e um dos caminhos para isso certamente será a união de prefeitos, vereadores e deputados, não apenas em busca de recursos, mas também na construção de soluções criativas e solidárias”, disse o prefeito Luciano Cartaxo, acrescentando que está cada vez mais consciente da necessidade de troca de experiências e serviços entre os municípios. “Estamos colocando o modelo de gestão de resultados adotado em João Pessoa ao conhecimento e disposição de todos, sempre na certeza de que ninguém faz nada sozinho e que a Paraíba precisa de muita parceria para resolver os seus graves problemas, especialmente de saúde e segurança”, arrematou Cartaxo.