Olenka e Veneziano vão sair do PMDB e Maranhão pode se isolar ainda mais

Nos últimos anos o PMDB da Paraíba vem perdendo quadros importantes, a exemplo de Wilson (pai e filho), Trocolli Junior, Benjamin Maranhão, Gervásio Maia, Iraê Lucena, entre outros. Uns saíram por sobrevivência política e outros por discordarem do absolutismo do senador José Maranhão, que controla o partido há mais de duas décadas.

Quem também já está de malas prontas é o deputado federal Veneziano Vital, que sonha em ser candidato a senador na chapa do PSB e para isso precisa de um partido que lhe dê apoio.

A ex-deputada estadual e sobrinha de Maranhão, Olenka, também deve deixar o partido, mas por sobrevivência. Olenka amargou uma derrota em 2014 por conta do isolamento do PMDB, que prejudicou a coligação proporcional. E como Maranhão tem se isolado com a insistência de candidatura pela oposição, Olenka teme novamente o isolamento na proporcional. Por isso a ex-deputada deve acompanhar o irmão no Solidariedade.

Além dos que já saíram, hoje Maranhão também não conta com o apoio de Manoel Júnior; fechado com o projeto de Luciano Cartaxo. E certamente vai perder algumas dúzias de prefeitos que sempre apostam no favorito.

Vai ficar sozinho e pode passar uma vergonha maior que a de 2012, quando não conseguiu sequer chegar ao segundo turno na disputa pela prefeitura de João Pessoa.

E ainda vai prejudicar os candidatos a deputado estadual e federal.

DILMA: Eu já sabia que Aécio era playboy, mas não tão ladrão assim

Derrubada pelo golpe liderado pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG), em parceria com Eduardo Cunha, condenado a mais de 15 anos de prisão, a presidente deposta Dilma Rousseff afiou as garras contra o parlamentar mineiro, contra quem pode disputar uma vaga no Senado, em 2018.
“Minha filha, quem é que não sabia quem era Aécio, pô? Fui presidente da República, você acha que não tenho uma avaliação do Aécio? Não sabia que ele era tão ladrão, mas que ele era superficial, irresponsável, playboy, inconsequente, e que a mídia o protegia, eu sabia”, disse ela, em entrevista ao jornal gaúcho Zero Hora.
“A irresponsabilidade desse rapaz é assustadora para o seu país, mostra que isso é a visão do playboy, que quer, sobretudo, usufruir da vida, não quer dar nada em troca”, afirmou.
Responsável direto pela destruição da democracia brasileira, Aécio é investigado em mais de nove inquéritos, acusado de receber propinas de mais de R$ 50 milhões de várias empreiteiras – seja por esquemas em Furnas, na Cemig ou na construção da Cidade Administrativa. Aécio foi também fisgado nos esquemas da JBS, em que negocia propinas e fala até em matar o primo, mas vem sendo blindado pela Justiça.

Acreditando que ainda tem votos em Bayeux, Berg Lima vai lançar parente para deputado estadual

Insistente, o prefeito-criminoso de Bayeux, Berg Lima, acredita que ainda tem voto e pensa em lançar um parente pra disputar uma vaga na Assembleia Legislativa. A informação foi revelada por uma fonte ligado ao prefeito afastado.

Ainda se fazendo de vítima, Berg quer usar a eleição para moer ainda mais aquela “estória” da armação e tentar ludibriar o povo de Bayeux; coisa que ele sempre fez com maestria.

Berg teve 9 mil para deputado estadual na eleição de 2014, apenas na cidade de Bayeux. Será que depois da prisão em flagrante ele consegue transferir 10% disso?

 

Sem acreditar na candidatura de João Azevedo, Ricardo Coutinho sairá do governo para disputar o Senado

A maior prova da inviabilidade eleitoral do pré-candidato do PSB, João Azevedo, será dada em abril, quando o governador Ricardo Coutinho se descompatibilizar do governo para disputar o Senado.

A verdade é que nem Ricardo Coutinho acredita numa candidatura que há um ano não consegue alcançar 5% nas pesquisas de opinião, mesmo com todo o aparato midiático do Estado.

Ciente que não tem candidato viável – e até teria, se confiasse na vice-governadora Lígia Feliciano -, Ricardo não vai querer perder tudo e ficará com sua vaga no Senado.

Em abril RC passa recibo…