Prefeitura de JP multa Cagepa por buraco na Avenida Espírito Santo

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) multou, nesta quarta-feira, 28, a Cagepa pela abertura de um buraco na Avenida Espírito Santo, no Bairro dos Estados. A rua havia passado por um processo de recapeamento há cerca de 20 dias, quando a PMJP investiu R$ 128.342,01 na recuperação de toda a extensão da via. O valor aplicado da multa ao órgão estadual é de R$10.000. A Cagepa terá dez dias, a contar do prazo de notificação, para apresentar defesa e provas.

Cagepa escavou uma vala de cerca de dez metros de comprimento e dois metros de profundidade para fazer uma correção de um vazamento na rede, segundo órgão. Além da multa, o órgão será o responsável pela reparação dos danos como a aplicação da nova camada asfáltica no local.

Para o secretário de Infraestrutura da PMJP, Cássio Andrade, a escavação pode trazer prejuízos futuros para moradores e pessoas que transitam pela via. “Essa rua foi recentemente recapeada e essas valas são de difícil reaterro, de execução e normalmente o material que é empregado na recuperação do pavimento não é da mesma qualidade que o empregado pela PMJP. Uma obra mal feita deve se tornar um ponto crítico, uma vez que essa vala pode abrir e ainda causar uma depressão no pavimento. O resultado seriam prejuízos para todos que passam pela via”, destacou.

Pré-candidato a deputado federal, Geraldo Amorim surge como promessa de renovação e combate à corrupção

A crise ética e moral que tomou conta da nossa classe política resultará numa das maiores renovações do legislativo, principalmente na Câmara Federal – palco de negociatas para salvar Temer, congelar investimentos em educação e saúde e aprovar reformas contra os trabalhadores.

Dos 12 deputados federais, 7 votaram vergonhosamente contra o afastamento do presidente Temer para ser investigado no STF. Oito votaram a favor da reforma trabalhista, dois se abstiveram e mais dois votaram contra.

Diante do enorme descrédito da sociedade com a bancada federal, o pré-candidato Geraldo Amorim (PMN) surge como umas das mais qualificadas promessas de renovação. Policial federal aposentado e vereador por dois mandatos (2005-2012), Amorim desistiu de disputar um terceiro mandato porque sempre defendeu apenas uma única reeleição para o legislativo.

Amorim também se destacou no combate aos privilégios na Câmara Municipal e foi autor da lei diminuindo o recesso parlamentar de 90 para 45 dias. E por diversas vezes tentou acabar com a reeleição para presidente da Câmara.

Diferente dos políticos tradicionais e sem fortunas para gastar na eleição, Amorim acredita no sentimento de renovação e na sua trajetória política de ética e coerência para chegar à Câmara Federal e ser uma ferramenta da sociedade no combate à corrupção e no corte dos privilégios dos parlamentares.

Como secretário de segurança pública de João Pessoa, Amorim deixou sua marca ao modernizar a Guarda Municipal, qualificando os agentes e modernizando a estrutura com equipamentos de última geração e viaturas novas.

Resultado de imagem para geraldo amorim secretario joao pessoa

 

“Ministério da Segurança deve vir com medidas concretas e não apenas ação de marketing”, cobra senador Cássio

O senador Cássio Cunha Lima, do PSDB da Paraíba, cobrou nesta terça-feira (26) a adoção imediata de medidas concretas de combate à violência e disse estar preocupado com a possibilidade de a criação do Ministério da Segurança Pública ser transformada em mera ação de marketing. Vice-presidente do Senado, Cássio está cada vez mais distante e crítico do governo Michel Temer.

“Estados como a Paraíba já não conseguem mais evitar ou conter a ação dos bandidos sem que haja uma ação integrada e coordenada efetivamente pelo governo federal, principalmente no combate ao tráfico de drogas e armas”, argumentou Cássio. “A criação do Ministério da Segurança Pública deve vir acompanhada de um conjunto de ações concretas, e não apenas como ação de marketing ou como tábua de salvação do governo Temer, numa operação político-eleitoral”, alertou.

O crescimento da violência vem obrigando as famílias a se fechar em suas casas, temendo assaltos e homicídios. Pesquisa realizada Instituto 6Sigma na Paraíba nos últimos dias mostra que 65% das pessoas entrevistadas “têm evitado sair de casa à noite com medo da violência”, outras 10,7% dizem que “às vezes” evitam sair de casa. O dado mais grave, no entanto, indica que 72,8% da população já não acredita que o governo do Estado, sozinho, seja capaz de reduzir a criminalidade.

“Precisamos olhar para frente e somar esforços para encontrar uma saída para o combate à criminalidade na Paraíba e nos demais estados brasileiros, particularmente no Nordeste”, defendeu, observando que a pesquisa da 6Sigma indica que 93,8% dos paraibanos e paraibanas esperam que haja maior policiamento nas ruas das cidades do Estado. Cássio espera manter audiência com o novo ministro da Segurança, Raul Jungmann, nos próximos dias para avaliar o crescimento dos indicadores de violência na Paraíba.