Ciro pode ser esperança para dias melhores – Por Ricardo Kotscho

“Alertei para a crise dos preços na Petrobras. Agora alerto para a crise do teto. Vai faltar escola e hospital. Vão me ouvir?” (Ciro Gomes, candidato a presidente pelo PDT).

***

Errei em post anterior ao pedir a renúncia do presidente Michel Temer como solução para esta crise sem fim.

Ao contrário, como me alertaram vários leitores, pode até agravá-la.

A esta altura dos acontecimentos, a saída de Temer só poderia dar mais força aos que pedem intervenção militar e querem melar as eleições.

E a eleição de 7 de outubro _ faltam apenas quatro meses e pouco _ é o melhor e único caminho para definirmos democraticamente que rumos queremos para o nosso país.

O que está em jogo agora, acima de tudo, é o futuro da nossa democracia ameaçada.

Em meio ao país conflagrado, sem ninguém saber para onde vamos, encontrei na noite de segunda-feira um fio de esperança.

Mesmo cansado e com sono diante do massacre do noticiário negativo, aguentei firme para assistir ao programa Roda Viva na TV Cultura.

Na série de entrevistas com os presidenciáveis, encontrei ali um candidato que sabe o que quer e fala o que pensa, sem rodeios.

Ciro Gomes mostrou-se em sua terceira candidatura presidencial como o mais preparado entre os que apareceram até agora para assumir essa bucha chamada Brasil.

Nestes anos em que ficou sem mandato, o ex-ministro de Itamar e Lula foi estudar nossos problemas para apresentar soluções e não ficar só nos diagnósticos dos seus principais concorrentes.

Sem medo de desagradar o mercado, foi direto ao ponto: se for eleito, vai taxar lucros e dividendos, aumentar a cobrança de impostos sobre heranças e grandes fortunas.

Em poucas palavras, pretende cobrar de quem tem e ganha mais para poder aliviar a vida dos mais pobres e investir em projetos sociais e de infra-estrutura, virando de ponta cabeça o atual sistema tributário, injusto e excludente.

Sabe que vai apanhar por isso, mas está disposto a encarar essa briga, que nenhum outro governo até agora comprou.

Vale a pena ouvir o que Ciro Gomes tem a dizer (o programa está disponível no site da TV Cultura).

Escrevo com pressa porque tenho um compromisso em seguida, mas queria deixar aqui registrado meu erro de avaliação no texto anterior e minha fé de que Ciro Gomes poderá ser a solução democrática para esta crise que a todos nós mais atormenta a cada dia.

Podemos sobreviver mais algum tempo a este desgoverno, mas ninguém vive sem esperança.

Vida que segue.

Enquanto SP cobra apenas 11% de ICMS no etanol, Ricardo Impostinho aumentou para 24% na PB

Mais um exemplo que nos causa indignação. Enquanto o Estado mais rico do País cobra apenas 11% de ICMS no álcool, na pobre e pequenina Paraíba o governador Ricardo Impostinho aumentou para 24%. Mais que o dobro!

O que justifica a enorme disparidade?

Caso o nosso ICMS fosse semelhante ao de São Paulo ou Minas, abastecer um veículo com etanol seria um negócio vantajoso, como acontece em alguns estados do Sul, mas aqui na Paraíba a alta carga tributária faz do álcool um vilão para o nosso bolso.

A equivocada política tributária da Paraíba transforma nossos motores flex num artigo de enfeite, já que o governo praticamente impede o consumo de etanol. Além de esfolar o bolso do contribuinte com a maior carga tributária do País, ainda contribui para a poluição, já que a gasolina polui muito mais.

Está custando caro morar na Paraíba “socialista” de Ricardo Impostinho…

PICARETAS: Bolsonaro e o filho votaram a favor da entrega do pré-sal às multinacionais que resultou no aumento dos combustíveis

Tá achando o preço do combustível caro? Agradeça aos pseudo-nacionalistas Jair e Eduardo Bolsonaro. Ambos votaram a favor do projeto de lei que desobriga a Petrobras de ser a operadora de todos os blocos de exploração do pré-sal no regime de partilha de produção.

Com o apoio de Bolsonaro, a Petrobrás aumentou a exportação de petróleo para comprá-lo refinado das empresas americanas, ao invés de refinar no Brasil. Tal aberração resultou na indexação dos combustíveis ao mercado internacional (dólar) e aumento do valor para o consumidor brasileiro.

Só quem lucrou com essa política absurda foram os investidores estrangeiros, que hoje ditam quanto temos que pagar pelo litro da gasolina.

Além de um crime contra a soberania, Bolsonaro contribuiu para acabar com o regime de partilha que conquistamos a duras penas para que o Estado pudesse utilizar os recursos do petróleo em benefício da população.

Entregar o Pré-Sal às multinacionais significou menos recursos para a saúde e a educação e o fim da política de conteúdo nacional, que gera empregos, renda e tecnologia para o nosso país.

Obrigado, Bolsonaro!

 

Respondendo a 4 processos por improbidade, Veneziano não passa no Detector de Corrupção

O Detector de Corrupção é um aplicativo que utiliza o reconhecimento fácil ou pesquisas de nome para detectar os processos de corrupção que cada político responde na Justiça. Pré-candidato ao Senado, o deputado federal Veneziano não passou no aplicativo. De acordo com o Detector de Corrupção, Veneziano responde a 4 processos por improbidade administrativa. Num dos processos Veneziano é acusado pela Procuradoria Geral da República de desviar R$ 75 mil de um programa de combate à fome:

O aplicativo é parte da iniciativa “Vigie Aqui”, que oferece um plug-in para ser instalado no Google Chrome, lançado no ano passado, que marca de roxo nas páginas da Internet o nome de políticos nessa situação. Tanto o aplicativo, quanto o plug-in, consolidam informações oficiais e públicas do histórico judicial de políticos pulverizadas em diversas instâncias, como STF, Superior Tribunal de Justiça (STJ), Tribunais de Justiça (TJs) e Tribunais Regionais Federais (TRFs).

Segundo o Reclame Aqui, o “Detector de Corrupção” também permite identificar se os pré-candidatos aos cargos executivos nas próximas eleições — presidente e governadores — estão envolvidos em processos de corrupção. O aplicativo está disponível na Google Play Store e na Apple Store.