VILA SANHAUÁ: O Passeio histórico de Luciano Cartaxo sobre seus adversários

A Rua Cardoso Vieira, no bairro do Varadouro, muda de nome em um trecho de mais ou menos 150 metros, de onde se vê ao lado direito um conjunto de casarões antigos erguidos na década de 1920. Dali, até a Praça XV de Novembro, passa a se chamar Rua João Suassuna, em homenagem ao ex-presidente da província da Paraíba e pai do nosso grande escritor Ariano.

É ali, onde o passado faz um encontro com o moderno e ganha ares de contemporaneidade, que se avista o Residencial Villa Sanhauá.Um empreendimento habitacional criativo que marca um novo momento no processo de revitalização do Centro Histórico de João Pessoa.

Ao todo são 17 unidades habitacionais com áreas de 39,93 m² (um quarto) e 73,41 m² (dois quartos), além de 6 unidades comerciais que seguem todos os padrões de habitabilidade e acessibilidade exigidos pelos órgãos competentes e as rigorosas exigências técnicas ditadas por IPHAN e IPHAEP, incluindo o plano arqueológico. O que fez com que a intervenção recebesse elogios de diversas instituições especializadas por isto.

O diferencial da obra já podia ser visto desde o lançamento do edital de seleção para ocupação dos imóveis, que fora direcionado para pessoas que desenvolvem atividades culturais, artísticas e empreendedores que atendem a este fim. Trata-se de um programa habitacional pensado com o viés da economia criativa, que se configura numa estratégia ousada de ocupação do espaço urbano do nosso Centro Histórico por pessoas que não apenas passeiem por ele, mas que nele trabalhem e o habitem.

A Vila Sanhauá é parte de uma inteligente ação da gestão do prefeito Luciano Cartaxo que tem por objetivointegrar a cidade da orla ao Centro Histórico, de forma planejada e cuidadosa.

Observem…

Vindo do Cabo Branco pela nova Avenida Beira Rio, o passante desfrutará de uma bela paisagem daquela via e chegará ao Parque da Lagoa; de onde, seguindo adiante, chegará à Vila Sanhauá. Podendo aproveitar a viagem para visitar o reformado Hotel Globo, e ainda, verificar as obras da Escola das Artes e da Biblioteca Municipal que funcionarão no Conventinho.

Se vier pela Avenida Epitácio Pessoa e a opção for seguir pelo binário da Praça da Independência em direção à parte alta do nosso Sítio Histórico, o motorista pode se dirigir pela Avenida General Osório em direção ao revitalizado Pavilhão do Chá, de onde se pode seguir a pé até a Praça João Pessoa; passando pela Praça 1817 pode-se tomar um café na Galeria Augusto dos Anjos. De volta ao roteiro é possível chegar adiante até Casa da Pólvora.

Como se pode perceber, o prefeito Luciano Cartaxo aos poucos montou um quebra-cabeça composto por obras que acabou criando um roteiro histórico por onde se pode desfrutar não apenas da beleza desses monumentos, mas também ter certeza do compromisso da sua gestão com essa parte da nossa cidade e da nossa História, há tempos menosprezada por seus antecessores.

O irônico é que a Vila Sanhauá é a concretização daquilo que lá atrás já foi chamado de “Moradouro” pelo então prefeito Ricardo Coutinho, que até o lançou, mas nunca conseguiu tirá-lo do papel ao longo dos seus mandatos à frente da PMJP. Mais irônico ainda, é lembrar que o jingle da vitoriosa campanha do socialistaem 2004 – uma paródia do hino do bloco Muriçocas do Miramar – bradava: “e a cidade velha só com Ricardo vai se revitalizar”. O que só acabou acontecendo com Luciano.

Revitalizar o Centro Histórico é redesenhar a estratégia de desenvolvimento da cidade a partir daquela região e a Vila Sanhauá é mais uma fotografia da energia e do empenho que o prefeito tem empregado nisto, o que é admirável.

Em síntese…

Com a Vila Sanhauá, Luciano ampliou o passeio pelo nosso Centro Histórico e ainda deu um passeio histórico nos seus adversários. Ponto pra ele.

Rômulo Halysson Oliveira

“Centro histórico deixa de ser uma foto antiga e se transforma em espaço para famílias e para cultura”, diz Marcos Vinícius

O presidente da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), Marcos Vinícius (PSDB), usou seu perfil em rede social na manhã de hoje (26) para destacar a ação da prefeitura da capital no Centro Histórico. “O Centro histórico de João Pessoa deixou de ser uma foto antiga na parede e através da ação do prefeito, Luciano Cartaxo, e da sensibilidade de pessoas como a primeira-dama, Maísa, se transforma em um espaço para as famílias e para o crescimento econômico e cultural da terceira cidade mais antiga do Brasil”, afirmou.

Para Marcos “valorizar os traços do passado mostra a importância de olhar para trás e ter orgulho dos feitos desta gente criativa e inovadora, que sempre  foi capaz de feitos grandiosos é reescrever as mais belas páginas da História de João Pessoa”.

Lembrando sua iniciativa de transformar João Pessoa em patrimônio cultural da humanidade, Marcos citou as várias ações da PMJP no Centro Histórico. “Quando esta gestão mostra seu olhar atento para com a Praça da Independência, constrói o Novo Parque da Lagoa, recupera o Hotel Globo, a Casa da Pólvora, a Bica, as praças João Pessoa e 1817, o Conventinho, o Pavilhão do Chá, e promove esta verdadeira revolução habitacional com os Casarões no Varadouro, quem ganha é a população, que desfruta de mais qualidade de vida nos espaços públicos e passa a ter uma cidade melhor, vendo sua própria história ser resgatada. Ações dessa natureza reforçam nossa proposta para transformar João Pessoa em Patrimônio Cultural da Humanidade”, disse.

O presidente chamou a atenção para o fato de que antes da intervenção nos casarões foi preciso garantir toda infraestrutura. “…tudo isso também contou com a padronização das calçadas, recapeamento das principais ruas do centro, implantação de uma eficiente iluminação e led de monitoramento de toda área do centro histórico com câmeras de última geração”. E completou “Nas Trincheiras criou verdadeiramente uma nova Saturnino de Brito, dando moradia digna para os mais necessitados”.

E arrematou: “A cultura de um povo é o seu maior patrimônio. Preservá-la é resgatar a história, perpetuar valores, é permitir que as novas gerações não vivam sob as trevas do anonimato”.

 

Estamos plantando as sementes para ver crescer uma Paraíba melhor”, diz Lucélio no Mercado da Torre

Depois de visitar o Festival de Quadrilha de Gado Bravo, no Agreste, o pré-candidato ao Governo do Estado, Lucélio Cartaxo (PV), esteve na manhã deste sábado no Mercado da Torre, em João Pessoa. Ao lado dos feirantes, elogiou a reforma do local e disse que a pré-campanha está “plantando as sementes para ver crescer uma Paraíba melhor”, disse, fazendo referência à construção do programa de governo.

Lucélio tomou um café da manhã reforçado e destacou a importância de se investir nos pequenos empreendedores. “Os comerciantes daqui foram beneficiados com o Banco Cidadão, que deu mais força aos seus negócios. Estamos falando do apoio que chega na hora certa, dando chances ao pequeno empreendedor de ver o seu negócio crescer”, comentou.

PRTB abandona João Azevedo e declara apoio à pré-candidatura de Lucélio Cartaxo

O Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) anunciou, nesta sexta-feira(15), a saída da base de apoio ao Governo e firmou aliança com a pré-candidatura de Lucélio Cartaxo (PV). O presidente Estadual do partido, Fábio Carneiro, informou que Cartaxo representa uma nova forma de fazer política, “que une a vivência partidária com a experiência de gestão”, disse.

Com a decisão, Caneiro deixa o cargo que ocupava no Detran à disposição do governador Ricardo Coutinho, uma vez que o partido fez a opção pela pré-candidatura de Lucélio Cartaxo. Fábio lembrou que não é comum um partido deixar o governo e passar a integrar a oposição, mas ressaltou que o direcionamento foi decidido pela executiva estadual com o aval da direção nacional.

O presidente Estadual do PRTB também destacou que “a sigla conta com 46 pré-candidatos a estadual e seis para federal”, observou. Em breve, a legenda irá confirmar a chapa proporcional. “Esse é um compromisso com um novo momento para a Paraíba”, disse.

Anísio Maia denuncia abandono do Terminal Pesqueiro de Cabedelo; confira as imagens

O deputado estadual Anísio Maia (PT) denunciou nesta quinta-feira (14) a situação de abandono do Terminal Pesqueiro Público (TPP), no município de Cabedelo, na Grande João Pessoa. Inaugurado em 2010, o equipamento construído pelo antigo Ministério da Pesca e Aquicultura, custou cerca de R$ 11 milhões em investimentos e ocupa uma área de 10 mil metros quadrados.

“Quando nós inauguramos o Terminal Pesqueiro ele contava com ancoradouros, cais de acostagem, galpão industrial, câmaras frigoríficas e fábrica de gelo com capacidade de beneficiar diretamente cerca de três mil pescadores e gerar outros milhares de empregos indiretos, desenvolvendo este potencial econômico de Cabedelo”, disse o deputado.

Em 2013, ainda durante o governo Dilma, o TPP passou por uma reforma para adequação e manutenção.   Em visita ao Terminal, que faz parte do patrimônio da União, Anísio Maia constatou uma completa situação de abandono. “O equipamento está completamente sucateado e exposto a saques. O governo golpista é o responsável por esta situação que mostra o seu desinteresse em ajudar aos pescadores do Brasil”.

O petista acredita que só com a mudança do atual governo federal o setor pesqueiro voltará a receber a atenção que já teve anteriormente.  O parlamentar disse ainda que denunciará ao Ministério Público Federal a situação do TPP para que para que os responsáveis pelo descaso sejam implicados.  “Em meio a uma crise econômica, é inadmissível que um equipamento que custou milhões ao erário se encontre em uma situação como esta, quando poderia gerar emprego e renda para a população”, concluiu.

DATAFOLHA: Ciro cresce e vence Bolsonaro em simulação de 2º turno

Uma pesquisa do Instituto Datafolha foi divulgada neste domingo (10) pelo jornal “Folha de S.Paulo” com índices de intenção de voto para a eleição presidencial de 2018. Foram feitas 2.824 entrevistas entre 6 e 7 de junho, em 174 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Pela primeira vez no confronto direto com Bolsonaro, o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, ultrapassa o candidato do PSL:

Cenário 11 (sem Lula)

  • Ciro (PDT): 36%
  • Bolsonaro (PSL): 34%
  • Em branco/Nulo: 28%
  • Não sabe: 3%

Bolsonaro também perde na simulação com Marina Silva e empata com Alckmin:

Cenário 10 (sem Lula)

  • Marina (Rede): 42%
  • Bolsonaro (PSL): 32%
  • Em branco/Nulo: 24%
  • Não sabe: 2%

Cenário 9 (Sem Lula)

  • Alckmin (PSDB): 33%
  • Bolsonaro (PSL): 33%
  • Em branco/Nulo: 32%
  • Não sabe: 3%

G1

Pré-candidata à deputada estadual, Naymara Carneiro pode surpreender em Bayeux

A pré-candidatura da jovem Naymara Carneiro pode ser a surpresa eleitoral de 2018, em Bayeux. Numa cidade onde os “marmanjos” estão quase todos envolvidos em escândalos de corrupção e trabalhando contra a cidade, talvez a saída esteja na sensibilidade da mulher.

É fato que as mulheres cometem menos ilícitos e na política são mais honestas que os homens. Mas o diferencial de Naymara está na ética e vem de berço, pois ela é filha de Mazinho Carneiro – dono da JM Diesel – e uma das poucas reservas morais de Bayeux.

A credibilidade da família Carneiro serve de referencial para a candidatura de Naymara à Assembleia, ainda mais quando Bayeux se vê atolada em num lamaçal de imoralidade.

Filiada ao PPS, Naymara é suplente de vereador e graduada em serviço social pela UFPB. Há alguns anos desempenha ações sociais nas comunidades carentes de Bayeux.

BATIDA DE PINO: Bolsonaro anuncia que não participará da sabatina UOL, Folha e SBT

Jair Bolsonaro, pré-candidato à Presidência pelo PSL, declarou nesta quarta-feira (6), por meio de sua assessoria de imprensa, que não vai participar da rodada de sabatinas promovida pelo UOL em parceria com a Folha de S.Paulo e o SBT. Ele alegou problemas de agenda para aceitar o convite.

Foram oferecidas ao candidato diversas opções de data ao longo do mês de maio até a próxima semana. Até a possibilidade de fazer a entrevista em Brasília foi dada ao capitão do Exército, para facilitar o seu deslocamento.

As regras de participação, tanto nas sabatinas quantos nos debates, foram definidas em reunião na sede do SBT no dia 22 de março, com representantes de 18 dos 35 partidos registrados no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), incluindo o PSL, partido do pré-candidato.

Esta, de acordo com o UOL, é a terceira eleição consecutiva em que o veículo realiza sabatinas e debates com os presidenciáveis, junto com a Folha e o SBT.

Debates

O debate de primeiro turno entre os políticos que disputarão a eleição está previsto para o dia 26 de setembro. Em um eventual segundo turno, o debate será realizado no dia 17 de outubro. Os dois eventos terão duração de uma hora e vinte e cinco minutos (das 18h20 às 19h45) e serão realizados no estúdio do SBT.

A transmissão ao vivo será feita em TV aberta, nos sites do UOL e da Folha e também em perfis dos três veículos em redes sociais. Jornalistas dos três veículos também participarão fazendo perguntas.

Ricardo Impostinho aproveitou a greve dos caminhoneiros para aumentar o preço do diesel

Parece pegadinha, mas a verdade é que o Governo da Paraíba aproveitou a greve dos caminhoneiros para aumentar o preço base do diesel para cobrança do ICMS e, com isso, majorou o custo pra cima. “Essa alta dificulta que o desconto de R$ 0,46 chegue aos postos”, foi o que noticiou o portal G1, nesta quarta (dia 6). Justo o Governo Ricardo Coutinho impôs uma das cargas tributárias mais elevadas do País.

Paraiba aumenta preço do diesel

A Paraíba elevou o preço base do combustível de R$ 3,44 para R$ 3,59 (ou seja, em mais 12,87%), conforme levantamento realizado pelo Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária). Diz a reportagem do G1: “Segundo a tabela de referência Confaz, em vigor desde o dia 1º de junho, o preço do diesel foi elevado nos Estados do Acre, Alagoas, Paraíba, Rio de Janeiro, Rondônia e Tocantins.”

Segundo ainda a reportagem, “os Estados do Amapá, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Piauí, Rio Grande Norte, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Sergipe, além do Distrito Federal, não mudaram os preços de referência do diesel para essa 1ª quinzena de junho, na comparação com a tabela que estava em vigor antes da greve dos caminhoneiros”.

Mais em https://goo.gl/msBSgS

Paraiba aumenta preço do diesel Globo

Helder Moura

CRISE? Mordomias de Ricardo Impostinho na Granja Santana custaram R$ 1,3 milhão em apenas um ano

Bancar as mordomias do governador Ricardo Impostinho tem custado caro para o contribuinte paraibano. Mesmo em tempos de crise, o governador não admite a hipótese de deixar de morar na Granja Santana, símbolo maior de um privilégio que só existe no estado da Paraíba.

Metido a republicano, Ricardo Impostinho não passa de um falso socialista que adora as mordomias do Estado. Usa o momento de crise para aumentar impostos, mas não reduz seu exército de comissionados que custa milhões por mês aos cofres.

De acordo com matéria veiculada no Correio da Paraíba, tendo como fonte o Tribunal de Contas do Estado, os gastos da Granja Santana com alimentos e material de limpeza, em apenas 11 meses, totalizaram R$ 1,3 milhão. Isto sem contar os salários das dezenas de policiais, jardineiros, faxineiros, cozinheiros e demais auxiliares que trabalham para garantir a vida boa do rei.

O valor empenhado e pago por meio da Casa Civil nesse período, daria para comprar 4.024 cestas básicas no valor de R$ 335,77, conforme dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) no valor da cesta correspondente ao mês de abril em João Pessoa. Se avaliarmos os dois meses de 2018, no valor R$ 266,5 mil, em apenas um mês, seria possível comprar 397 cestas básicas.

Grande parte dos gastos na Granja Santana é com alimentação, entre mercearia, pães, frangos, carnes e frios. Em apenas um dos empenhos o Governo do Estado desembolsou um total de R$ 45,6 mil para compras de mercearia. Os empenhos disponibilizados pelo Sagres não especificam quais os alimentos comprados.

Em um outro empenho também deste ano, o Governo do Estado pagou a quantia de R$ 38,5 mil de carnes para a Granja. Apesar do valor alto, também não é especificado o período de consumo na residência oficial do governador.

Os gastos excessivos na residência já inspiraram até mesmo um bloco de carnaval em 2014, chamado de ‘Quero Morar na Granja’, formado por servidores públicos estaduais. Os foliões protestavam pelo congelamento dos salários e pela falta de diálogo com o Governo do Estado.

Nos últimos dias, políticos têm pautado os gastos na Granja Santana como tema para ser debatido pela sociedade. O deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) sugeriu que o governador Ricardo Coutinho siga o exemplo do governador do Estado do Maranhão, Flávio Dino, e transforme a residência oficial em um espaço a serviço da população.

O pré-candidato ao Governo do Estado, Lucélio Cartaxo (PV), também sugere que se acabe com as regalias da Granja, a transformando em um espaço: num Parque Jardim e no Museu da Inovação, ambos abertos à população. “Um espaço como esse precisa ser de todos os paraibanos”, disse.

Até mesmo a deputada estadual Estela Bezerra (PSB), que faz parte do partido do governador, afirmou ser favorável à mudança de finalidade da Granja Santana. Em entrevista, ontem, ao programa Correio Debate, da TV Correio, a parlamentar disse: “não acho a ideia ruim da Granja ser parque”.

PEC tenta proibir despesas

Está tramitando na Assembleia Legislativa (ALPB) a PEC 26/2018, de autoria do deputado Tovar Correia Lima que proíbe gastos públicos com despesas pessoais na residência do governador, do vice-governador e de familiares.

A PEC prevê que o governador, vice e familiares tenham à sua disposição e de seus familiares, em primeiro grau, para garantia da segurança, ficando proibida a disposição de servidores para qualquer outra função de caráter pessoal.

“Entendemos que os ocupantes de cargos públicos são, em verdade, servidores públicos que devem custear a sua manutenção pessoal a partir de seus salários, a proposta busca retirar os privilégios hoje existentes e proíbe que seja dispensado ao governante dinheiro público para a residência oficial, vestuário, empregados domésticos e outras despesas congêneres”, explicou Tovar.