‘Fizemos uma boa gestão e deixamos a PB muito melhor que era em 2010’, avalia Ricardo Coutinho

“A Paraíba hoje é uma Paraíba muito melhor que era em 2010. Você não tem nenhum indicador econômico, social ou humano que não seja bem melhor que o que nós encontramos”, avaliou o governador Ricardo Coutinho, que está em seus últimos dias à frente do Governo da Paraíba.

Ricardo destacou ainda que irá entregar o estado absolutamente em dia com o funcionalismo, com os fornecedores e com recursos em caixa que darão a João Azevedo a tranquilidade necessária para governar a Paraíba nos próximos anos. “Tranquilidade essa que eu não tive, mas que ele terá, como tem que ser”, pontuou.

Alguns pontos que mereceram destaque pelo governador Ricardo Coutinho foram os 2600 km de estrada inaugurados, as 46 escolas com cursos técnicos – que em fevereiro serão 62 -, as 100 escolas oferecendo ensino integral – que em fevereiro serão 153 -, além das melhorias feitas na rede de assistência hospitalar, como a inauguração do hospital metropolitano Dom José Maria Pires.

“Falta projeto, falta ideia”, diz Ricardo Coutinho sobre gestão de Cartaxo

“Falta Política, falta ideia nessa gestão de Cartaxo. A política na cabeça desses que estão governando é aquela coisa meio tradicional: eu ganho a eleição, assumo, reparto os cargos com quem estava comigo e toco o barco em águas mornas e pouco turbulentas. Pra mim política tem que ter turbulência, tem que ter ruptura”, criticou o governador Ricardo Coutinho.

Segundo ele, em 2009, a receita da capital era de R$ 600 milhões de reais, quando era prefeito; hoje, é de R$ 2,8 bilhões e, mesmo assim, a prefeitura tem feito muito menos coisas. “Em cinco anos de mandato, calçamos 577 ruas; a prefeitura em 4 anos calçou 39. Eu implantei, quando prefeito, 77 mil metros de esgotamento sanitário; a atual gestão implantou zero. Como é que uma capital que tem R$ 2,8 bilhões de receita consegue implantar nenhum metro de esgotamento sanitário?”, indagou o governador.

Ricardo Coutinho disse, ainda, que o prefeito Luciano Cartaxo nunca foi candidato de oposição, tendo “surfado na onda da continuidade de um projeto que não pertencia a ele”. “Como não se tinha consistência de projeto, ele meio que manteve as diretrizes mas retirou a alma, retirou a alma do Orçamento Democrático, do Empreender, das políticas públicas que existiam, e a cidade foi ficando menor, sonhando menos”, disse.

Tio de empresário preso em operação que apura fraudes na Cruz Vermelha doou R$ 300 mil a Ricardo Coutinho

Um empresário com ligação com a Cruz Vermelha Brasileira foi preso em João Pessoa, na manhã desta sexta-feira (14). Roberto Kremser Calmon é um dos 11 alvos de mandados de prisão preventiva da Operação Calvário, desencadeada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), em parceria com o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba. Toda a cúpula da Cruz Vermelha foi presa. O objetivo da ação foi a prisão do empresário Daniel Gomes da Silva e outras 10 pessoas acusadas de desviar ao menos R$ 15 milhões de recursos públicos em contratos firmados junto a unidades de saúde. Há investigações em curso sobre desvios na Paraíba, onde a instituição mantém contrato com o Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena.

Um dos pontos apurados na operação diz respeito a doações de campanha feitos a políticos. Na Paraíba, oito meses antes de a Cruz Vermelha Brasileira – Filial do Estado do Rio Grande do Sul ser contratada pelo governo para assumir a gestão do Hospital Estadual de Trauma de João Pessoa, um parente de Daniel Gomes da Silva ofereceu generosa contribuição de campanha para o então candidato Ricardo Vieira Coutinho (PSB), em 2010.

De acordo com o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a contribuição foi de R$ 300 mil. Ela foi feita por Jaime Gomes da Silva, irmão de David Gomes da Silva, e, portanto, tio paterno de Daniel. O detalhe é que Jaime é português e nunca possuiu domicílio eleitoral na Paraíba.

Integrantes

Ao todo, 22 pessoas que integram a suposta organização criminosa foram denunciadas junto à 42ª Vara Criminal pelos crimes de organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro. Além dos 11 mandados de prisão, serão cumpridos 44 de busca e apreensão por agentes da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ), com o apoio da Delegacia Fazendária (DELFAZ/Polícia Civil), da Polícia Federal, do GAECO do Ministério Público da Paraíba e do Ministério Público de Goiás. Os mandados estão sendo cumpridos na capital, em Duque de Caxias, Itaboraí, Nova Friburgo, além dos estados de Paraíba e Goiás.

De acordo com a denúncia apresentada à Justiça, a organização comandada por Daniel Gomes da Silva utilizava a filial da Cruz Vermelha Brasileira situada no Rio Grande do Sul (CVB-RS) para operar em diversos estados, inclusive no Rio de Janeiro, na administração de unidades de saúde. A partir desta atividade, superfaturavam contratos e desviavam recursos. A organização também operava a filial da Cruz Vermelha Brasileira em Sergipe e o Instituto de Psicologia Clinica, Educacional e Profissional (IPCEP).

Entre 2011 e 2018, as entidades tiveram acesso a mais de R$ 1,7 bilhão em recursos públicos para a gestão de unidades de saúde em quatro estados do país, incluindo o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. A partir de agosto de 2015, a organização fez contratos no Rio de Janeiro no valor de R$ 605 milhões para a gestão de unidades como o Hospital Municipal Albert Schweitzer, na capital; o Hospital Estadual dos Lagos, em Saquarema; o Hospital Estadual Roberto Chabo, em Araruama; e UPAs (Engenho de Dentro, São Pedro da Aldeia, Itaboraí, Magalhães Bastos e Botafogo).

Foi apurado que a organização direcionava contratações de serviços, realizava pagamentos superfaturados para empresas pré-selecionadas e repassava valores correspondentes ao superfaturamento para Daniel Gomes da Silva, em espécie, por meio de funcionários de confiança. Os recursos eram usualmente sacados na boca do caixa e movimentados fora do sistema financeiro. O desvio estimado de R$ 15 milhões é apontado na denúncia como valor muito inferior ao real dano causado ao patrimônio público, por computar somente as despesas da CVB-RS com oito fornecedores que prestam serviços em unidades de saúde do Município e do Estado do Rio de Janeiro.

Daniel Gomes da Silva é ex-dirigente da empresa TOESA Service S/A e já possui condenação criminal em 1a instância por peculato em razão dessa empresa ter sido contratada por valores superfaturados para o serviço de manutenção de ambulâncias pela Secretaria do Estado de Saúde do Rio de Janeiro. Após a TOESA estar envolvida em casos de corrupção, a prática de camuflar a atividade empresarial sob a fachada de organizações não governamentais foi detectada inicialmente na deflagração da Operação Assepsia, que investigou contratos fraudulentos na Secretaria de Saúde de Natal, no Rio Grande do Norte.

Daniel é apontado como o principal beneficiário dos desvios e o chefe da organização, a quem cabe as decisões a serem tomadas. Também são denunciados empresários que receberam pagamentos superfaturados; superintendentes e integrantes da diretoria financeira, jurídica e de contratos que atuam no Rio; o presidente e o secretário-geral da CVB-RS; bem como auxiliares e secretários próximos a Daniel que atuam na arrecadação dos valores desviados, incluindo um ex-diretor da UPA de Engenho de Dentro. As provas foram colhidas com quebra do sigilo telefônico e telemático autorizadas pela Justiça Estadual.

Além do Rio de Janeiro, a prática criminosa da organização também foi detectada em operações no estado da Paraíba, com suspeita de beneficiamento a agentes públicos, e no Pará, na execução de projeto de recuperação ambiental em Barcarena com recursos da multinacional Hydro Alunorte. Essas informações serão remetidas ao Ministérios Públicos locais para o prosseguimento das investigações naqueles estados.

Blog do Suetoni

Secretaria de Saúde zera fila de espera por cirurgia de catarata em Caaporã

Voltar a enxergar com perfeição era o sonho de muitos caaporenses que aguardavam há muito tempo na fila por uma cirurgia de catarata. Graças ao esforço e dedicação do Governo Municipal de Caaporã, por meio da Secretaria de Saúde, conseguiu-se zerar a fila de espera pelo procedimento, em parceria com a Clinica Cenos de João Pessoa. Os últimos pacientes que tinham realizado a primeira cirurgia há 15 dias em um dos olhos, fizeram a segunda cirurgia nesta segunda-feira, 10, no outro olho.

Voltar a enxergar com perfeição era o sonho de muitos caaporenses que aguardavam há muito tempo na fila por uma cirurgia de catarata. Graças ao esforço e dedicação do Governo Municipal de Caaporã, por meio da Secretaria de Saúde, conseguiu-se zerar a fila de espera pelo procedimento, em parceria com a Clinica Cenos de João Pessoa. Os últimos pacientes que tinham realizado a primeira cirurgia há 15 dias em um dos olhos, fizeram a segunda cirurgia nesta segunda-feira, 10, no outro olho.

A secretária de Saúde salientou que de acordo com a Organização Mundial de Saúde, a catarata, associada ao envelhecimento da população, é a principal causa de cegueira no mundo e alguns desses pacientes estavam na fila há muito tempo. “O nosso objetivo de zerar a fila foi alcançado, graças ao apoio do nosso prefeito municipal que acompanhou e apoiou todo nosso trabalho”, explicou ela.

Apesar de ser uma cirurgia rápida e simples, os benefícios para os pacientes com catarata são muito importantes.

O prefeito do município destacou os investimentos no setor. “Estamos investindo na saúde dos caaporenses. E zerar a fila dos pacientes que esperavam há anos por essa cirurgia de catarata nos dois olhos, foi nossa prioridade”, disse o gestor.

Cássio recebe o título de ‘Personalidade do Setor Elétrico’

O senador Cássio Cunha Lima recebeu, nesta quarta-feira (12), da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), o título de “Personalidade do Setor Elétrico, como reconhecimento do excelente trabalho desenvolvido no Senado Federal e pela dedicação em favor do livro mercado de energia”.

Mercado livre – É de autoria de Cássio o Projeto de Lei 232/2016, que expande o mercado livre de energia elétrica, permitindo que pequenos consumidores possam fazer a portabilidade da conta de luz. A ideia é que, a longo prazo, ocorra com o setor elétrico o mesmo que aconteceu com o setor de telefonia: maior competitividade entre empresas e liberdade de escolha para o consumidor.

A matéria já foi aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Agora está na Comissão de Infraestrutura, onde tramita em decisão terminativa.

O projeto do senador altera o modelo comercial de energia elétrica no país com a intenção de, progressivamente, permitir que os pequenos consumidores possam optar em fazer parte do mercado livre, hoje restrito a grandes consumidores de energia.

Liberdade de escolha – Em sua justificativa ao projeto, Cássio afirma que a liberdade de escolha para o consumidor aumentará a concorrência entre as empresas, reduzindo o preço e melhorando a qualidade do serviço prestado.

“A liberdade de escolha aumenta a concorrência entre as empresas, o que reduz o preço e a qualidade do bem ou serviço prestado. Trata-se de algo que deve ser incentivado, em todos os setores. Não podemos retirar do consumidor esse direito, principalmente no setor de energia elétrica, que fornece um importante item para o bem-estar da população brasileira” – defende o senador.

Presidente da CMJP destaca atuação de Cartaxo na redução do déficit habitacional, beneficiando mais de 28 mil pessoas

O presidente da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), Marcos Vinícius (PSDB), destacou na manhã de hoje (12) a atuação do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), na redução do déficit habitacional na capital.

Marcos Vinícius se referiu a entrega nesta quarta-feira (12), das chaves de 336 apartamentos beneficiando mais de 1300 pessoas no Residencial Novo Bairro São José. “Contando as duas gestões já são 7.153 unidades habitacionais entregues em toda capital, garantindo moradia para mais de 28.500 pessoas”, avaliou o presidente.

As obras do residencial representam um investimento de R$ 26 milhões. As 336 famílias beneficiadas foram escolhidas através do critério da vulnerabilidade social e são justamente aquelas que tiveram suas casas identificadas pela Defesa Civil como as que se encontravam em áreas de risco. Muitas destas casas foram interditadas pela Defesa Civil e 121 casas começarão a ser demolidas a partir desta quarta-feira pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), após a entrega das chaves.

Ainda sobre o Novo Bairro São José, Marcos lembrou que “a obra contou com 30% de trabalhadores do próprio Bairro”. “A atuação do prefeito Luciano Cartaxo foi fundamental para melhorar a qualidade de vida da população que era obrigada a conviver há décadas com alagamentos e inundações”, reiterou o presidente.

“Tudo isso começou quando o prefeito Luciano Cartaxo fez questão de ouvir o povo do São José, garantiu o aluguel social, fez investimentos na Unidade de Saúde da Família do Bairro, na infraestrutura e equipamentos importantes como na ampliação do berçário e melhoria da Creche Creusa Pires”, disse Marcos.

“Quem não se lembra do tempo em que as famílias eram obrigadas a abandonar suas casas às pressas, muitas vezes de madrugada em meio a uma das tantas chuvas que causaram tanta dor e sofrimento ao povo do São José e este foi mais um problema vencido na gestão do prefeito Luciano Cartaxo que teve coragem de enfrentar os grandessíssimo desafios da cidade”, arrematou.

Novo São José: a sintonia de uma obra

Mais cedo a Prefeitura Municipal de João Pessoa entregou o “Novo Bairro São José”, a obra de R$ 26 milhões contempla habitações que contam com varanda, acessibilidade, playground e área externa para caminhadas.

No entorno ainda é contemplado por escola, creche, PSF e espaços para os empreendedores. Sintonizado com as demandas do momento, a gestão Luciano Cartaxo ampliou o conceito de habitação com habitabilidade, estendendo-o a geração de trabalho. Grande acerto.

As 336 famílias beneficiadas foram escolhidas através do critério de vulnerabilidade social e são aquelas que tiveram suas casas localizadas nas áreas de risco do antigo bairro.

De passagem pelo local, encontrei um Senhor chamado Severino da Conceição, uma figura!

De bom humor incomum e uma humildade pedagógica, me disse, cantarolando a música de Raul Seixas, que agora não terá mais “Medo da Chuva”, se referindo ao tempo em que perdia geladeiras e móveis com as enchentes. Segundo ele, agora é trabalhar um “dobrado” pra deixar a “casa” bem “arrumadinha” pra “patroa” exigente.

Estava feliz e emocionado com o sonho realizado. Não era pra menos.

Passados 30 anos e inúmeras gestões, enfim, a obra fora materializada. A espera justifica o sentimento dos envolvidos.

Enquanto o prefeito Cartaxo dizia em discurso emocionado que “o trabalho e a obra do Novo São José eram provas de que vale a pena sonhar”. Seu Severino me dizia a mesma coisa… do jeito dele.

Pelo visto é verdade o que dizem: o santo operário, São José, põe em sintonia os que trabalham para realizar bons feitos. Um Salve!

Rômulo Oliveira

Ricardo Coutinho recebe homenagem da Fecomércio e da Câmara Empresarial do Turismo

O governador Ricardo Coutinho recebeu, nessa terça-feira (4), uma homenagem da Federação do Comércio da Paraíba (Fecomércio-PB) e da Câmara Empresarial do Turismo pelos investimentos, ações, serviços e obras realizadas ao longo dos últimos oito anos à frente do Governo da Paraíba. O Centro de Convenções de João Pessoa, o Mercado de Artesanato, além de obras de infraestrutura, foram lembrados como as principais medidas adotadas para o fortalecimento do turismo e do desenvolvimento econômico do Estado.

Na solenidade, que contou com a presença de vários representantes do trade turístico, Ricardo agradeceu a homenagem e destacou os avanços conquistados pela Paraíba, que colocaram o Estado no cenário nacional. “Ao longo desses oito anos, nós construímos uma relação muito sólida com o trade turístico, porque os objetivos eram os mesmos. Nós sabíamos que o Estado tinha de ultrapassar um determinado patamar que nos puxava para baixo. Não tínhamos condições de promover grandes eventos e, ao mesmo tempo, a cadeia hoteleira não tinha condições de crescer por falta de demanda”, disse.

“Quando assumi, tinha a noção de que não tínhamos de ter apenas um espaço, mas o melhor espaço possível para recuperar o tempo perdido e inserir este Estado num setor altamente competitivo, que é o turismo”, observou Ricardo Coutinho.

A coordenadora-geral da Câmara Empresarial de Turismo, Manuelina Hardman, agradeceu ao governador Ricardo Coutinho o fortalecimento do turismo paraibano por meio de ações como a construção do Centro de Convenções e investimentos em infraestrutura. “O turismo é um setor que gera renda e desenvolvimento, movimentando 52 cadeias. Por isso queremos agradecer ao governador Ricardo Coutinho o empenho nos últimos oito anos para fortalecer o turismo, promovendo o desenvolvimento”, acrescentou.

Já o presidente da Fecomércio, Marcone Medeiros, afirmou que os investimentos do Governo do Estado elevaram a autoestima dos paraibanos. “Ninguém tem vergonha da Paraíba como se tinha antigamente. Hoje, a Paraíba está no cenário nacional, e o trade turístico está muito satisfeito com esse desenvolvimento”, destacou, lembrando ainda o fortalecimento do comércio varejista.

Participaram da homenagem ao governador Ricardo Coutinho o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Zenildo Rodrigues; a presidente da Empresa Paraibana de Turismo, Ruth Avelino; o gestor do Centro de Convenções, Ferdinando Lucena; o superintendente do Banco do Nordeste, Wesley Maciel, entre outras autoridades.