Cássio recebe o título de ‘Personalidade do Setor Elétrico’

O senador Cássio Cunha Lima recebeu, nesta quarta-feira (12), da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), o título de “Personalidade do Setor Elétrico, como reconhecimento do excelente trabalho desenvolvido no Senado Federal e pela dedicação em favor do livro mercado de energia”.

Mercado livre – É de autoria de Cássio o Projeto de Lei 232/2016, que expande o mercado livre de energia elétrica, permitindo que pequenos consumidores possam fazer a portabilidade da conta de luz. A ideia é que, a longo prazo, ocorra com o setor elétrico o mesmo que aconteceu com o setor de telefonia: maior competitividade entre empresas e liberdade de escolha para o consumidor.

A matéria já foi aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Agora está na Comissão de Infraestrutura, onde tramita em decisão terminativa.

O projeto do senador altera o modelo comercial de energia elétrica no país com a intenção de, progressivamente, permitir que os pequenos consumidores possam optar em fazer parte do mercado livre, hoje restrito a grandes consumidores de energia.

Liberdade de escolha – Em sua justificativa ao projeto, Cássio afirma que a liberdade de escolha para o consumidor aumentará a concorrência entre as empresas, reduzindo o preço e melhorando a qualidade do serviço prestado.

“A liberdade de escolha aumenta a concorrência entre as empresas, o que reduz o preço e a qualidade do bem ou serviço prestado. Trata-se de algo que deve ser incentivado, em todos os setores. Não podemos retirar do consumidor esse direito, principalmente no setor de energia elétrica, que fornece um importante item para o bem-estar da população brasileira” – defende o senador.

Presidente da CMJP destaca atuação de Cartaxo na redução do déficit habitacional, beneficiando mais de 28 mil pessoas

O presidente da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), Marcos Vinícius (PSDB), destacou na manhã de hoje (12) a atuação do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), na redução do déficit habitacional na capital.

Marcos Vinícius se referiu a entrega nesta quarta-feira (12), das chaves de 336 apartamentos beneficiando mais de 1300 pessoas no Residencial Novo Bairro São José. “Contando as duas gestões já são 7.153 unidades habitacionais entregues em toda capital, garantindo moradia para mais de 28.500 pessoas”, avaliou o presidente.

As obras do residencial representam um investimento de R$ 26 milhões. As 336 famílias beneficiadas foram escolhidas através do critério da vulnerabilidade social e são justamente aquelas que tiveram suas casas identificadas pela Defesa Civil como as que se encontravam em áreas de risco. Muitas destas casas foram interditadas pela Defesa Civil e 121 casas começarão a ser demolidas a partir desta quarta-feira pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), após a entrega das chaves.

Ainda sobre o Novo Bairro São José, Marcos lembrou que “a obra contou com 30% de trabalhadores do próprio Bairro”. “A atuação do prefeito Luciano Cartaxo foi fundamental para melhorar a qualidade de vida da população que era obrigada a conviver há décadas com alagamentos e inundações”, reiterou o presidente.

“Tudo isso começou quando o prefeito Luciano Cartaxo fez questão de ouvir o povo do São José, garantiu o aluguel social, fez investimentos na Unidade de Saúde da Família do Bairro, na infraestrutura e equipamentos importantes como na ampliação do berçário e melhoria da Creche Creusa Pires”, disse Marcos.

“Quem não se lembra do tempo em que as famílias eram obrigadas a abandonar suas casas às pressas, muitas vezes de madrugada em meio a uma das tantas chuvas que causaram tanta dor e sofrimento ao povo do São José e este foi mais um problema vencido na gestão do prefeito Luciano Cartaxo que teve coragem de enfrentar os grandessíssimo desafios da cidade”, arrematou.

Novo São José: a sintonia de uma obra

Mais cedo a Prefeitura Municipal de João Pessoa entregou o “Novo Bairro São José”, a obra de R$ 26 milhões contempla habitações que contam com varanda, acessibilidade, playground e área externa para caminhadas.

No entorno ainda é contemplado por escola, creche, PSF e espaços para os empreendedores. Sintonizado com as demandas do momento, a gestão Luciano Cartaxo ampliou o conceito de habitação com habitabilidade, estendendo-o a geração de trabalho. Grande acerto.

As 336 famílias beneficiadas foram escolhidas através do critério de vulnerabilidade social e são aquelas que tiveram suas casas localizadas nas áreas de risco do antigo bairro.

De passagem pelo local, encontrei um Senhor chamado Severino da Conceição, uma figura!

De bom humor incomum e uma humildade pedagógica, me disse, cantarolando a música de Raul Seixas, que agora não terá mais “Medo da Chuva”, se referindo ao tempo em que perdia geladeiras e móveis com as enchentes. Segundo ele, agora é trabalhar um “dobrado” pra deixar a “casa” bem “arrumadinha” pra “patroa” exigente.

Estava feliz e emocionado com o sonho realizado. Não era pra menos.

Passados 30 anos e inúmeras gestões, enfim, a obra fora materializada. A espera justifica o sentimento dos envolvidos.

Enquanto o prefeito Cartaxo dizia em discurso emocionado que “o trabalho e a obra do Novo São José eram provas de que vale a pena sonhar”. Seu Severino me dizia a mesma coisa… do jeito dele.

Pelo visto é verdade o que dizem: o santo operário, São José, põe em sintonia os que trabalham para realizar bons feitos. Um Salve!

Rômulo Oliveira