VÍDEO: Custo do Trauma cai de R$ 14 milhões para R$ 10 milhões e João Azevedo derruba mais uma mentira de Ricardo Coutinho

Dizem que a mentira tem pernas curtas e canelas finas, num é Ricardo Coutinho? A grande mentira de que o hospital de Trauma representava uma economia para os cofres públicos foi desmascarada mais uma vez, mas agora através do próprio governo do Estado.

Ao contratar por R$ 10,2 milhões/mês o Instituto Acqua para gerir o Trauma no lugar da Cruz Vermelha, que custava R$ 13,912 milhões, João Azevedo desmente mais uma falácia de Ricardo Coutinho.

Será que o ex-governador ainda não consegue identificar aonde é que o Estado perde? É só uma questão de aritmética ou cara de pau mesmo?  Mesmo com o acumulado da inflação de 2011 pra cá, a gestão do Trauma vai custar bem menos.

Por que Ricardo Coutinho fazia tanta questão em pegar tão caro para a Cruz Vermelha?

Quem sabe a Operação Calvário nos traga a resposta…

Escolha da Acqua para substituir a Cruz Vermelha no Trauma teria passado pelo aval de Livânia Farias

Ao que tudo indica, a ORCRIM girassol continua dando as cartas no governo de João Azevedo e zombando do judiciário paraibano. Segundo me informou uma fonte ligada às organizações sociais da saúde, a escolha da Acqua para substituir a Cruz Vermelha no hospital de Trauma teria passado pelo aval da ex-secretária de Administração do Estado, Livânia Farias, presa na Operação Calvário.

Ou seja, a mulher de confiança de Ricardo Coutinho teria dado a palavra final.

Livânia teria mais ‘afinidades’ com a Acqua e operou a favor da organização social atolada em processos e inquéritos, demonstrando que ainda continua com muita influência no governo de João Azevedo.

Estaria Livânia ‘operando’ pelas costas do Gaeco?