O que seria da oposição na Paraíba se não fosse a Operação Calvário?

Mais fraca que choque de pilha, a oposição ao governo de João Azevedo precisa agradecer aos deuses pela Operação Calvário. Caso contrário, estaria vivendo em total ostracismo.

Na ALPB ainda escapam Ranieri Paulino, Walber Virgolino e Cabo Gilberto.

Os demais não fariam falta se aderissem ao governo. São meros comentaristas de obviedades, sem nada de novo a acrescentar na oposição.

Entre as lideranças estaduais, Cássio tomou chá de sumiço… Daniella Ribeiro desapareceu desde outubro de 2018… e o véi Maranhão só sabe fazer política com a máquina na mão.

Na Câmara Federal a situação é ainda pior, não escapa 1/2 pra fazer um chá. Até o bolsomion Julian Lemos, metido a valente, só serve pra falar mal do PT.

Pedro Cunha Lima era uma promessa que ficou só na promessa.

Se não fosse a Calvário e uma pequena parte da imprensa livre da Paraíba, João Azevedo chegaria em 2022 incólume.

É a pior oposição de todos os tempos. Todos juntos não fazem a metade da zoada que o então deputado Ricardo Coutinho fazia até 2004.

Quando é que esse povo vai acordar pra vida?

 

 

EXCLUSIVO: Operadora da propina da ORCRIM Girassol delatou políticos e parlamentares do PSB

Minha fonte especializada em Operação Calvário, que até agora não errou uma, informou que Maria Laura, a operadora da propina da organização criminosa girassol delatou um importante político do PSB e diversos parlamentares, em âmbito federal, estadual e municipal.

Segundo minha fonte, eles receberam propinas mensais da própria Maria Laura, que teria tudo anotado.

Como se sabe, Maria Laura recebia ordens de Livânia Farias, considerada o ‘caixa’ da ORCRIM e fazia a distribuição da propina para políticos. As informações de Maria Laura estão sendo cruzadas com a delação de Livânia Farias.

 

ESCAPOU FEDENDO: Por 4×3, Ricardo escapa de virar ficha-suja, mas no TSE o caldo vai engrossar

Faltou um voto para o ex-governador Ricardo Coutinho se tornar ficha-suja na AIJE do Empreender/codificados, que investigou o maior e mais escandaloso esquema de compra de votos da história da Paraíba.

No Tribunal Ricardista Eleitoral, onde o Mago tem muitos amigos (né Zeca Porto?), o placar foi 4×3 a favor de RC, mas aplicando multas.

Porém, no Tribunal Superior Eleitoral o caldo vai engrossar e RC não chega elegível em 2020. Lá o Mago não tem amigos para protegê-lo…

 

Justiça acata denúncia do MP e ex-procurador Gilberto Carneiro vira réu na Operação Calvário

O juiz substituto da 5ª Vara Criminal, Adilson Fabrício Gomes Filho, recebeu denúncia do Ministério Público da Paraíba e tornou réus o ex-procurador Gilberto Carneiro e sua secretária Maria Laura Caldas de Almeida, investigados pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado no âmbito da Operação Calvário, que investiga uma organização criminosa responsável por desvio de recursos públicos. Gilberto e Laura foram denunciados pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro. A operação, deflagrada em 2018, já é responsável pela recuperação de quase R$ 5 milhões.

Na decisão desta terça-feira (30), o juiz Adilson Fabrício Gomes Filho substituiu ainda a prisão de Maria Laura por medidas cautelares, além da quebra do sigilo do processo.

A notícia foi veiculada em primeira mão pelo programa Correio Debate, da 98,3 FM.

Genival Matias deve assumir a secretaria de Articulação Política

Existe uma articulação no G10 para que o deputado licenciado Genival Matias assuma a secretaria de Articulação do governo João Azevedo, atualmente ocupada por João Gonçalves, considerado um elefante numa loja de cristais.

A manobra beneficiaria o primeiro suplente Anísio Maia, que assumiu a titularidade com a licença de GM.

De fato, Genival é muito mais habilidoso nos bastidores do que João do Caixão. Foi determinante na vitória de Adriano Galdino para os dois biênios da presidência da Assembleia e idealizou o G10, grupo para-governista que tirou o pirulito da boca de Estela Bezerra, Hervázio, Cida Ramos e cia.

Discreto e adepto ao estilo ‘paz e amor’, Genival é que nem mineiro, vai comendo quieto e pelas beiradas…

Míriam Leitão diz que Bolsonaro é repulsivo e indica impeachment

A jornalista Míriam Leitão interrompeu suas férias para publicar em seu blog no jornal O Globo dura crítica a Jair Bolsonaro; ela demonstra sua repulsa ao ocupante do Planalto em antológico artigo:

“Durante mais de três décadas – escreve – os militares disseram ao país que não tinham documentos, não sabiam dizer onde estavam os desaparecidos políticos, não souberam como morreram os que foram assassinados nos quartéis durante a ditadura militar. Hoje, o presidente Jair Bolsonaro disse o oposto. Primeiro, decidiu brincar com mais um drama humano e dizer ao presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, que sabia como o pai do advogado havia morrido. Depois, criou a sua versão que culpa a esquerda”.

“O que o presidente fez é repulsivo”, enfatiza a jornalista. E prossegue: “Mostra, como definiu Felipe Santa Cruz, crueldade e a falta completa de empatia que os seres humanos têm uns em relação aos outros. O presidente brinca com o sentimento de um filho que nunca conviveu com o pai porque ele foi morto aos 26 anos” .

E finaliza: “A Constituição anda sendo desrespeitada diariamente pelo presidente da República. É hora de lembrar o que disse o grande Ulysses Guimarães ao promulgar a nossa Carta Magna: ‘Temos ódio à ditadura, ódio e nojo’. Ontem foi o dia de sentir nojo”.

Se João Azevedo não escolher o mais votado da lista tríplice para procurador-geral, estará confirmando que trabalha contra a Operação Calvário

O governador João Azevedo não tem outra saída senão manter Francisco Seráphico da Nóbrega como Procurador Geral de Justiça. Seráphico lidera a lista tríplice do Ministério Público para concorrer ao cargo com 179 votos.

O governador não é obrigado a escolher o mais votado, mas a tradição nos governos progressistas é a indicação do primeiro da lista, como fez Lula e Dilma em seus governos. E também o ex-governador Ricardo Coutinho.

No caso da Paraíba há uma peculiaridade, Francisco Seráphico é o atual procurador-geral e a sua não recondução ao cargo seria uma prova inconteste de que João Azevedo estaria junto à ORCRIM Girassol na Operação Abafa, que tenta a todo custo abafar a já moribunda Operação Calvário.

E agora, João?