Isolado, Ricardo Coutinho muda o tom e pede arrego a João Azevedo

Quem diria que o galo Chanteclair iria pedir arrego a um político para evitar um rompimento aos 45 minutos do segundo tempo. É, amigos, o mundo gira e o Mago sentiu o Golpe.

Quando Ricardo Coutinho percebeu que ia ficar só e sozinho – com apenas 2 deputados na ALPB e quase nenhum prefeito – baixou o tom e mudou o discurso imperioso. O rei está percebendo que sem a caneta na mão ele manda menos que a rainha da Inglaterra.

“Eu simplesmente quero que um caminho que foi definido para o qual eu fiz um sacrifício, (…) eu quero que esse caminho seja preservado. É um direito meu. Se alguém não quer preservar, paciência. Aí sim nós haveremos de nos tornar adversários, mas não é isso que eu vejo, e espero que o governador João Azevêdo, cada vez mais, esteja consciente dessa situação”, disse RC.

Ao ser questionado sobre a relação com o atual gestor estadual, Coutinho voltou a dizer que a ‘irmandade’ entre os dois depende de João Azevêdo. Ele revelou que não se reuniu com o governador, mas  se colocou a disposição para o diálogo.

“Governador você não chama, você é chamado. Eu não posso chamar João Azevêdo para reunião porque o governador é ele. Cabe a ele chamar para uma reunião ou não. Acho que a agenda de um governador é muito intensa, eu compreendo isso. (…) Sempre disse que estou à disposição do governador. Então, ao que me consta não tem nada de rompimento, eu sou o presidente do partido, porque a presidência do partido me confiou essa tarefa, irei exercê-la”, destacou.

Sob o comando político de Ricardo Coutinho, PSB vira sinônimo de corrupção na Paraíba

Deputado e prefeito recepcionam governador em Juazeirinho para assinatura da ordem de serviço da PB-200

O vice-presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, deputado Genival Matias e o prefeito Bevilacqua Matias, ambos do Avante, irão recepcionar o governador João Azevêdo nesta sexta-feira (13) no município de Juazeirinho, Seridó paraibano, para oficializar a autorização das obras de pavimentação da PB-200, no segmento Santo André a Juazeirinho.

A assinatura da ordem de serviço vai ocorrer às 10 h em Juazeirinho e às 14h30 em Santo André. A obra está orçada em mais de R$ 13,5 milhões, com recursos próprios do Estado.

A rodovia tem aproximadamente 20 quilômetros de extensão e foi mais uma conquista da atuação parlamentar do deputado Genival Matias Filho, que vem lutando há vários anos para que a obra fosse realizada.

“Estaremos todos juntos em Juazeirinho recepcionando o governador nesta sexta-feira, ao lado do prefeito Bevilacqua, vice-prefeita Anna Virginia, secretários, vereadores, deputados que já confirmaram presença, lideranças e principalmente a população que será beneficiada com essa grande obra que vai interligar os Cariris, ocidental e Oriental. Só temos que agradecer ao governador João Azevêdo por entender a importância dessa obra e concretizar o sonho da região”, disse Genival Matias.

A rodovia terá serviços de terraplenagem, em cortes e aterros, sistema de drenagem para águas pluviais e subterrâneas, pavimentação asfáltica, cercas delimitadoras da faixa de domínio, gramagem e paisagismos em taludes e sinalização horizontal e vertical.

Assessoria

TROFÉU ÓLEO DE PEROBA: Ricardo Coutinho diz que contratou a Cruz Vermelha corrupta por engano

Ricardo Coutinho é mesmo um brincante inveterado. Num é que o cidadão teve a cara de pau de dizer que contratou a corrupta Cruz Vermelha por engano?

“Contratamos uma organização social que para todos nós era a Cruz Vermelha. Quem era que ia duvidar da Cruz Vermelha? Pra mim, Cruz Vermelha sempre foi e, é, uma organização mundial com relevantes serviços prestados”, disse RC.

Uma entrevista na Veja denuncia que a Cruz Vermelha do PSB meteu a mão até no dinheiro arrecadado para as vítimas da guerra civil na Somália:

Por Leslie Leitão, na VEJA Online:

Há 20 anos trabalhando no Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), o suíço Felipe Donoso está há três no Brasil, convivendo com as dificuldades de uma parceria em crise, como mostrou reportagem de VEJA desta semana.

Psicólogo de formação, o delegado regional que representa cinco países da América do Sul (Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai, além do Brasil) tem se mostrado preocupado com a situação nebulosa das contas da Cruz Vermelha Nacional.

Um episódio, em especial, tem feito com que ele cobre com mais veemência esclarecimentos da filial brasileira: o dinheiro arrecadado para as vítimas da guerra civil na Somália foi feito através de uma parceria entre as duas instituições.

Quando foi lançada uma campanha para ajudar as vítimas da Somália, em agosto do ano passado, duas contas bancárias foram disponibilizadas para a população fazer doações: uma da CICV e outra da Cruz Vermelha Brasileira. Qual foi o total arrecadado?
Não sei dizer o total. Não tenho a mínima ideia, porque isso nunca isso foi comunicado a nós, apesar das várias tentativas. Sinceramente, não sei onde está o dinheiro arrecadado na conta aberta pela Cruz Vermelha Brasileira. Na conta da CICV, sei que foram depositados 139.922,75 reais até a segunda-feira, 30 de julho. Este é o valor exato na conta do banco HSBC. Na outra (do Banco do Brasil, aberta pela filial do Maranhão), não tenho como dizer.

Mas esse dinheiro não deveria ser repassado pela Cruz Vermelha à CICV, para que fosse enviado à Somália?

Quando decidimos fazer a campanha de arrecadação de fundos, nos entendemos perfeitamente, através de cartas, inclusive, mencionando os temos do acordo: 100% do dinheiro deveriam ser passados para o CICV. Mas não foi. Não sabemos nem quanto foi depositado na conta deles.

Onde está o dinheiro?
Não temos essa resposta. Na chamada Família Cruz Vermelha temos princípios rigorosos. Nessa política de arrecadação de fundos para vítimas é totalmente baseada na transparência e na responsabilidade. Infelizmente nós não temos acesso às contas e não fiscalizamos a Cruz Vermelha Brasileira ou nenhuma outra. Somos órgãos distintos. Mas não importa. A situação é inaceitável.

Mandamos um documento muito claro sobre os procedimentos financeiros no mesmo dia da abertura da nossa conta, 12 de agosto de 2011. A conta deles tinha sido aberta um dia antes. De lá pra cá temos cobrado um posicionamento sobre esse dinheiro. Em junho passado, aliás, numa reunião realizada aqui em Brasília, fizemos esse pedido mais uma vez. Não só nós do CICV em relação ao dinheiro da Somália, como o representante (Gustavo Ramirez) da Federação Internacional da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho, que cobrou a mesma coisa em relação ao dinheiro do Japão. A resposta deles foi de que uma auditoria estava sendo feita e que a questão ficou “um pouco confusa”.

Essas suspeitas podem sujar a imagem de uma entidade na qual quase todos acreditam e confiam.
A imagem da Cruz Vermelha mundial foi afetada. A (Cruz Vermelha) argentina, a colombiana, todas vão sofrer com isso. Por isso o assunto nos preocupa tanto. Mas não temos nada a esconder. Eles (filial Brasileira) devem esclarecimentos sobre o que fizeram com o dinheiro. Não pode ficar uma suspeita dessas. Ainda estou sem explicações.

A Cruz Vermelha já enfrentou esse tipo de problema em outros lugares?
Nunca. Trabalho na CICV há 20 anos e nunca presenciei algo parecido.

Sob o comando político de Ricardo Coutinho, PSB vira sinônimo de corrupção na Paraíba

Projeto de lei do vereador Thiago Lucena sobre bicicletas e patinetes elétricos compartilhados é aprovado na Câmara

A micro-mobilidade urbana vem se tornando a cada dia uma realidade para a maioria dos centros urbanos brasileiros. Pensando nisso, o vereador pessoense, Thiago Lucena (PMN), apresentou projeto de Lei na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), aprovado hoje (12), regulamentando o compartilhamento destes veículos na capital paraibana.

De agora em diante as empresas interessadas em locar patinetes e bicicletas elétricas em João Pessoa já poderão se instalar na capital. O compartilhamento de patinetes é uma tendência como solução de mobilidade em metrópoles de todo planeta, sendo uma opção de veículo que não polui a natureza e permite ao usuário se deslocar com muito mais agilidade do que se estivesse em um automóvel.

Atualmente 13 capitais, além de Brasília, já contam o serviço para bicicletas. Os patinetes elétricos, mais recentes, já estão seguindo no mesmo caminho, com 10 capitais.

Maior centro de startups de mobilidade do país, São Paulo foi pioneira e agora oferece até scooters e bicicletas elétricas nesse sistema, o que também deverá se expandir para outras localidades.

De acordo com Thiago, “Precisamos investir em inovação e estimular iniciativas que facilitem a vida do cidadão. Nosso projeto cria ambiente de segurança jurídica para as empresas do setor e com as condições para que bicicletas e patinetes elétricas possam ser integrados dentro de uma política de mobilidade urbana para a capital”, destacou o Vereador.

RACHA NO PSB: Estela Bezerra deve perder quase 5 mil cargos no governo

Vocês já perceberam que a deputada estadual Estela Bezerra baixou o tom sobre a disputa interna no PSB? Pois é, uma das protagonistas do racha agora está com medo de perder quase 5 mil cargos indicados na Saúde, Codata e Educação.

Uma fonte do governo revelou que Estela sozinha tem mais cargos que quase 90% dos prefeitos da Paraíba.

Apesar de pregar um jeito diferente de fazer política, Estela conquistou seus mandatos com a prática mais velha e fisiológica de todas; o coronelismo eleitoral.

Ricardo Coutinho teria escalado Fabiano Gomes para criar o ‘esquadrão girassol’ na imprensa

Ricardo Coutinho tem se queixado que ninguém na imprensa o defende mais – depois que ele perdeu a caneta. Com exceção de Tião Lucena, claro. Porém, uma defesa ufanista e passional que nunca agradou o estilo do ex-governador.

Fontes informaram ao blog que RC prepara uma reação e já teria escalado o experiente Fabiano Gomes para montar o ‘esquadrão girassol’ na imprensa, que contaria com a participação de Luis Tôrres, Wellington Farias, Flávio Lúcio (Olavo de Carvalho girassol) e por último, mas não menos importante, o apaixonado Tião Lucena.

A equipe é boa.

João que se cuide…

ÁUDIO: Nilvan Ferreira detona Ricardo Coutinho – “Você agora não pode mais fazer com que processos desapareçam das delegacias”

RC manda indireta para Ricardo Barbosa: “Tem deputado que disputou não sei quantas vezes em outro esquema, onde fazia papel de bobo da corte”

Inconformado com o rompimento, o ex-governador Ricardo Coutinho mandou uma indireta bem áspera para o ex-cassista Ricardo Barbosa, durante entrevista na rádio Serra Branca FM:

Se não fosse a minha determinação, muitos não seriam nem deputado. Tem deputado que disputou não sei quantas vezes em outro esquema, onde fazia papel de bobo da corte, e nunca passou de 4 mil votos. Foi eleito comigo, pois nós entendíamos que era importante, e hoje abre a boca para poder ter uma postura raivosa contra muita pessoa, e não têm o que dizer, e ficam dizendo que eu sou chato. Eu sou aquilo que eu sou e todo mundo sabe disso.”

Imprensa nacional destaca que paraibano futuro secretário da PGR no governo Bolsonaro deu parecer para que Berg Lima, preso em flagrante por corrupção, retornasse ao cargo

Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) para procurador-geral da República, Augusto Aras escolheu um nome polêmico para ocupar a secretaria-geral do órgão, o ex-subprocurador-geral Eitel Santiago. Filho de um civil que apoiou a ditadura, ele disputou a indicação para o cargo hoje ocupado por Raquel Dodge e deu parecer para que um prefeito paraibano preso deixasse a cadeia e retornasse ao cargo.

O ex-subprocurador-geral se aposentou em setembro de 2017, mesmo mês em que tentou tirar da prisão o prefeito de Bayeux (PB), Berg Lima (sem partido), que havia sido afastado do cargo e preso em julho daquele ano sob suspeita de receber propina em suposta extorsão a um empresário da cidade, localizada na Região Metropolitana de João Pessoa.

Dois dias antes de se aposentar, Santiago entregou um parecer ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) em nome do Ministério Público Federal em que defende a soltura do prefeito, flagrado por um vídeo recebendo R$ 3.500 de um empresário fornecedor da prefeitura.

O dinheiro seria a condição para Lima autorizar um crédito de R$ 77 mil de um contrato assinado na gestão anterior, acusação que ele nega. Procurada, a prefeitura não respondeu à reportagem até a publicação deste texto. Na época, a administração local atribuiu as acusações à disputa política na cidade e a um “empresário inescrupuloso”.

O então subprocurador pediu a liberdade de Lima, “apesar de estarem presentes indícios de materialidade e de autoria delitiva”, e seu retorno à cadeira de prefeito desde que ele não mantivesse contato com os fornecedores da prefeitura. Ele sugeria que as despesas fossem “exercidas, em conjunto, pelos secretários municipais da Fazenda, de Administração e de Gestão e Controle Interno”. Esses cargos, no entanto, são nomeados pelo próprio prefeito, a quem devem se reportar.

O STJ acatou parcialmente o pedido de Santiago, e Lima deixou a cadeia dois meses depois. Ele só retornou ao cargo, com salário de R$ 20.200, em dezembro do ano passado, quando o STJ cassou o afastamento. Em peregrinação por Brasília ao lado de Aras, Santiago não atendeu a reportagem. O UOL conversou com seu filho, o advogado e vereador em João Pessoa (PB) Lucas de Brito (PV). Ele afirma que seu pai fez o pedido de soltura porque o prefeito estava mais tempo na cadeia do que o prazo legal.

Uol