Na semana em que um filho é citado na Operação Calvário por receber propina, Damião Feliciano radicaliza e estreia a narrativa do ‘golpe’

Calada até então sobre os desdobramentos da Operação Calvário, a família Feliciano resolveu sair da toca justamente na semana em que um dos filhos (ainda não sabemos quem) foi citado por uma delatora (Maria Laura) por receber propina em 2018, conforme vídeo abaixo.

Coincidência ou não, Damião Feliciano sentiu o ‘golpe’ e estreou a narrativa do ‘golpe’ ao acusar o presidente da Assembleia, Adriano Galdino, de orquestrar o impeachment do governador e da vice, sua esposa.

Damião radicalizou na narrativa e criou um clima que não é bom para o governo. Pois nada mais natural que um pedido de impeachment da oposição. Se a maioria da ALPB vai admitir, ou não, aí são outros quinhentos, mas a probabilidade é baixa, uma vez que a base governista é grande.

Mas com Damião querendo apagar fogo com gasolina, talvez a conjuntura mude em desfavor do governo. A questão que se apresenta é, Damião radicalizou no discurso para defender a família ou o governo? Ou os dois, já que família e governo se confundem…

Confira o trecho da delação:

Confira o vídeo da delação:

OPERAÇÃO CALVÁRIO: Delatora afirma ter repassado propina para o filho da vice-governadora Lígia Feliciano