TERÇA-FEIRA DE FOGO: 6ª Turma do STJ precisa prender o Sergio Cabral da PB

Sim, não somos tão desenvolvido como o Rio de Janeiro, mas também temos o nosso Sérgio Cabral! Antes da ‘quarta-feira de fogo’, quando o bloco das Muriçocas descerá a avenida Epitácio, teremos a ‘terça-feira de fogo’, quando a 6ª Turma do STJ vai julgar a suspeita liminar do ministro Napoleão Nunes, responsável por tirar Ricardo Coutinho da cadeia.

Preso na Operação Calvário por ser o chefe da ORCRIM Girassol, o retorno de Ricardo Coutinho à cadeia é de fundamental importância para o êxito da operação que investiga o maior escândalo de corrupção da história da Paraíba. Quiçá um dos maiores escândalos do Brasil .

Dinheiro da saúde foi roubado de forma descarada e nada justifica que o chefe da ORCRIM esteja solto enquanto os demais membros de menor patente continuam presos  Ainda mais quando se tem provas robustas, como a gravação feita foi Daniel Gomes, o chefe do núcleo empresarial da organização criminosa.

Se RC não voltar à cadeia, o STJ estará destruindo anos de trabalho de uma operação que começou no Rio, mas que encontrou na PB uma ORCRIM sofisticada e com projeto de poder de décadas, envolvendo inclusive gente do judiciário e Tribunal de Contas.

Considerada linha dura, a 6ª Turma do STJ precisa fazer valer sua fama e ajudar a Operação Calvário a desmantelar a maior quadrilha da história da Paraíba.

 

OPERAÇÃO CALVÁRIO: Advogado preso com Ricardo Coutinho fecha escritório que era utilizado pra repassar propina

Preso na Operação Calvário e acusado de ser laranja da ORCRIM Girassol, o advogado Francisco Ferreira fechou as portas do seu escritório. Segundo as investigações, o mesmo foi montado com dinheiro desviado pela Cruz Vermelha e servia como ponto de repasse de propina, de acordo com o delator Daniel Gomes, chefe do núcleo empresarial da organização criminosa.

Antes:

Depois

 

Delação

Em delação ao Ministério Público da Paraíba, Leandro Azevedo, ex-assessor de Livânia Farias, preso na primeira fase da Operação Calvário, informou que pagamentos e recebimento de propina oriunda de contratos entre o Governo do Estado e a Cruz Vermelha, aconteciam no escritório de advocacia Francisco Ferreira.

Segundo o delator, os pagamentos iniciais eram feitos por Saulo Pereira Fernandes (alvo da terceira fase da Operação Calvário), ocorrendo os primeiros encontros na rua e, posteriormente, no escritório no bairro do Bessa, de propriedade do advogado Francisco Ferreira, advogado particular do governador Ricardo Coutinho (PSB), responsável por inúmeras ações contra jornalistas na Paraíba.

Encontro “secreto”

Na última semana, Francisco Ferreira teria se encontrado com o filho de Ney Suassuna. Apesar de não cumprir medidas cautelares, o encontro de Francisco das Chagas com o filho de outro investigado na Operação Calvário.

O encontro chamou a atenção do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba.

Polítika com Thiago Morais

Socorro Gadelha e o ‘DNA Ribeiro’

Recém filiada ao PV, mesmo partido do prefeito Luciano Cartaxo, a secretária de Habitação de JP, Socorro Gadelha, talvez seja o nome mais técnico para dar continuidade à gestão que está prestes a completar 8 anos.

Eloquente, experiente, com bom tráfego em Brasília e conhecedora da gestão, Socorro Gadelha reúne todas as principais qualidades para ser a escolhida de Luciano Cartaxo, mas seu DNA político deixa os gêmeos com uma pulga atrás da orelha.

Socorro é ligada à família Ribeiro e ex-filiada ao PP. E como nesta família o mais besta sabe voar, o DNA de Socorro Gadelha é quase um impeditivo para que ela disputa a prefeitura.

Com Socorro Gadelha, Cartaxo pode ganhar, mas não levar. E depois não terá a quem pedir socorro. Mas ela é, de longe – ao lado de Daniela Bandeira – um dos melhores nomes do PV para a sucessão de uma gestão muito bem avaliada.

QUADRILHÃO DO PP: Aguinaldo Ribeiro acaba de virar réu no STF por corrupção

Nilvan Ferreira se reúne com servidores do IPEP e visita a comunidade do Cidade Verde

O comunicador Nilvan Ferreira continuou durante o final de semana a “pavimentar caminho” para disputa pela Prefeitura Municipal de João Pessoa nas próximas eleições. Nilvan tem sido lembrado por populares e pontua bem em pesquisas para o executivo municipal.

No sábado (15), Nilvan Ferreira manteve reunião com servidores do antigo IPEP. “Sentindo a realidade dos mais diversos segmentos da cidade e do nosso estado. Hoje presenciei momento importantes. Participei de reunião com representantes do Sindicato dos Servidores do antigo IPEP na sede da entidade. Na pauta da conversa um relato sobre as injustiças praticadas contra a categoria nos últimos anos por parte do governo do estado”, postou Nilvan nas redes sociais.

Confira imagens:

No domingo (16), foi a vez de visitar a comunidade do Cidade Verde, no Bairro das Indústrias. “No final da manhã fomos ouvir as pessoas da comunidade Cidade Verde, no Bairro das Indústrias. Problemas relacionados à saúde, educação e infraestrutura foram os temas mais citadas pelas pessoas. É momento de ouvir e planejar”, publicou o comunicador.

Confira imagens:

                      

Thiago Morais00