Pré-candidato a prefeito de JP, Ruy Carneiro descarta debate eleitoral: “O único debate que importa é o da saúde, emprego e renda da população”

Em entrevista na tarde desta sexta-feira (1), o deputado federal Ruy Carneiro disse estar integralmente dedicado às ações que diminuam os efeitos da Covid-19 nas vidas dos Paraíbanos. O parlamentar elogiou a atuação da bancada paraibana para conseguir a habilitação de mais de 70 leitos para UTIs no Estado e anunciou as primeiras ações do Fórum de Ação em Defesa do Emprego.

Durante a entrevista, Ruy reafirmou seu compromisso em dedicar todos esforços para o enfrentamento à pandemia, princialmente em seus aspectos críticos de saúde e também da economia. “Não queremos discussões sobre eleição, composição política etc. Todas as nossas ações têm sido no sentido de muito trabalho pela vida das pessoas. Não contem com o deputado Ruy Carneiro para o debate de intriga política, da perda de tempo. O debate é emprego, renda e saúde”, afirmou o deputado.

Ruy detalhou ainda a conquista realizada para os paraibanos, esquecendo diferenças políticas, que foi a habilitação dos leitos para Covid-19. “Muita gente pensa que é só colocar a maca, o respirador e está pronto. Mas tem um grande custo de manutenção. Então, toda bancada paraibana se uniu para conversar com o ministério e garantir os recursos para essas UTIs”, apontou o deputado.

As ações de geração de emprego e diminuição das perdas na economia também integram a pauta de ações de Ruy Carneiro. Uma delas, o Fórum de Ação em Defesa do Emprego tem sua primeira atividade na próxima segunda-feira (4). “Estaremos reunindo o setor produtivo, trabalhadores, academia e gestores públicos para estudar as primeiras ações que poderemos tomar para recuperar nossa economia. É isso que preocupa o povo e é a isso que estamos dedicados”, arrematou o deputado.

TOMA LÁ, DÁ CÁ; Novo aliado de Bolsonaro, Centrão vai comandar 53 bilhões de reais

“Para ampliar sua base no Congresso Nacional e conquistar o apoio de partidos do Centrão, Jair Bolsonaro colocou pelo menos 53 bilhões de reais em jogo”, diz a Crusoé.

“Esse é o orçamento de todos os órgãos em negociação com legendas historicamente associadas ao fisiologismo, à velha política e, não raro, aos malfeitos”.

O Antagonista

Com cunhado indicado na Sudene, Pedro Cunha Lima se cala diante do maior escândalo do governo Bolsonaro

STJ mantém Ricardo Coutinho com o lacre de corrupto na canela

A ministra Laurita Vaz negou nesta quinta-feira, dia 30, os pedidos do ex-governador Ricardo Coutinho para suspender as medidas cautelares que o obrigam a usar tornozeleira, se recolher em casa até no máxima às 20h, e não deixar os limites da cidade de João Pessoa.

A decisão da ministra Laurita Vaz, no mérito do habeas corpus nº 564325 , foi publicada na movimentação processual , no STJ, às 21h50 desta quinta-feira, dia 30.

“Conhecida em parte a ordem de Ricardo Vieira Coutinho, e nesta parte, denegada”, consta a decisão da ministra que os pedidos que foram analisados foram negados.

“Ato ordinatório praticado – Documento encaminhado à publicação – publicação prevista para 05/05/2020”, conclui a movimentação processual no STJ, informando que o teor da decisão da ministra será publicado na próxima terça-feira, dia 5.

Após ser solto por ordem do ministro Napoleão Nunes Maia, do Superior Tribunal de Justiça, o ex-governador Ricardo Coutinho, passou a realizar viagens frequentemente para compromissos e atividades em Brasília.

Em fevereiro a Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça , por 4 votos a 1 , decidiu por conceder habeas corpus a Ricardo Coutinho, mas impondo medidas cautelares.

A ministra Laurita Vaz após anunciar as medidas cautelares esclareceu que o desembargador Ricardo Vital, que ordenou a prisão de Ricardo Coutinho, também , desde que fundamentado, poderia acrescentar outras medidas cautelares.

O desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça da Paraíba, e responsável pelas decisões no âmbito da Operação Calvário, decidiu impor ao denunciado, apontado como chefe da organização criminosa, o uso de tornozeleira e recolhimento em casa no máximo até às 20h.

Ricardo Coutinho impetrou habeas corpus para se livrar da tornozeleira, suspender a obrigação de recolhimento às 20h, e também para poder viajar à Brasília , alegando precisar de desenvolver suas atividades como diretor presidente da Fundação João Mangabeira, órgão do PSB.

No dia 5 de março a ministra Laurita Vaz indeferiu o pedido liminar e manteve as cautelares. Após as informações remetidas pelo Tribunal de Justiça da Paraíba, e o parecer do Ministério Público Federal, os advogados de Ricardo juntaram memorial nesta quinta-feira, dia 30.

A decisão da ministra Laurita Vaz mantém as cautelares, o uso de tornozeleira, o recolhimento em casa no máximo às 20h, e a proibição de se ausentar da Comarca de João Pessoa.

Marcelo José

Com cunhado indicado na Sudene, Pedro Cunha Lima se cala diante do maior escândalo do governo Bolsonaro

Paraiba é a sexta colocada no país no ranking de transparência sobre Covid-19

O Estado da Paraíba subiu 10 posições no ranking de transparência sobre a Covid-19. A boa notícia veio nesta quinta-feira (30), por meio da publicação do novo ranking no site Open Knowledge Brasil (OKBR), que avalia a qualidade dos dados e informações relativas à pandemia do coronavírus, divulgados pelo Ministério da Saúde e estados brasileiros, em seus portais oficiais (https://transparenciacovid19.ok.org.br/). Com isso, a Paraíba saiu da 16ª e está na 6ª posição, em relação aos outros estados do país.

Comparado aos estados do Nordeste, a Paraíba aparece em terceiro lugar. Quanto a pontuação, disponibilizada no site, a Paraíba está com 81 pontos, junto com o Distrito Federal. De 80 a 100 pontos, o nível de transparência é considerado alto.

Na primeira posição no ranking, estão Rondônia e Pernambuco, com 98 pontos; o Ceará aparece em segundo, com 95; em terceiro, Espírito Santo, com 93; Minas Gerais, em quarto, com 88 e em quinto, Goiás e Amapá com 86 pontos.
O trabalho de disponibilizar os dados, referentes ao coronavírus, com a maior transparência possível, vem sendo desenvolvido por meio de uma parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde (SES), a Controladoria Geral do Estado (CGE) e a Companhia de Processamento de Dados da PB (Codata).

O bom resultado da parceria, que colocou a PB em sexto lugar, em transparência nos dados da pandemia, foi reconhecido pelo Governador João Azevedo. “Parabéns a toda equipe. O esforço conjunto é a melhor arma para combater essa pandemia”, disse.

O secretário executivo de Saúde, Daniel Beltrammi, ficou bastante satisfeito com a elevação da Paraíba para o sexto lugar no ranking da transparência. “A transparência das informações contribui para agilizar o trabalho árduo que já estamos desenvolvendo desde o início da pandemia. Agradeço imensamente toda a equipe por estar nos guiando em direção ao êxito”, ponderou.

O trabalho vem sendo coordenado pelo secretário executivo, da CGE, Letácio Guedes. “Parabenizo a todos! Sabemos o quanto é difícil exercitar a transparência pública para atender a critérios e usuários distintos, mas, estamos conseguindo e a tendência é que a Paraíba suba ainda mais neste ranking”, concluiu.

Com cunhado indicado na Sudene, Pedro Cunha Lima se cala diante do maior escândalo do governo Bolsonaro