Pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Ruy larga na frente e promete plano de governo ousado e participativo

Enquanto o prefeito Luciano Cartaxo sequer escolheu um sucessor, seus adversários largam na frente, a exemplo de Ruy Carneiro e Nilvan Ferreira, que acaba de divulgar Francisco Sarmento como coordenador do plano de governo do MDB.

Ruy está mais adiantado ainda e já possui um plano de governo praticamente finalizado. Em contato com o blog, o tucano disse que aproveitou a pandemia para realizar diversas reuniões virtuais com segmentos importantes da sociedade, como professores universitários, empresários, médicos, enfermeiros, movimentos sociais, entre outros.

Um dos cabeças do programa de governo de Ruy Carneiro é o professor Sérgio Buarque, economista e consultor de muito prestígio.

“Realizamos vários grupos de trabalho em diversas áreas da sociedade e levantamos dados importantes sobre a macroeconomia. Durante a pandemia organizamos mesas de discussão virtual com mais de 60 pessoas, entre técnicos, empresários, professores, populares e profissionais do SUS. Nosso plano de governo está alicerçado num tripé que reúne consultoria técnica, salas de debate com técnicos e mesas de discussão com segmentos da sociedade”, explicou Ruy.

O pré-candidato também informou ao Polítika que cases de sucesso de cidades do porte de João Pessoa foram apresentados para debates em grupos virtuais.

Antes da pandemia, Ruy já tinha lançado o ‘Fala, João Pessoa‘, onde o deputado se reunia com diversos segmentos da população para debater os problemas da cidade.

Ao que tudo indica, Ruy Carneiro deve apostar numa campanha moderna e propositiva, apresentando soluções inovadoras para problemas antigos de João Pessoa.

 

MAIS UMA PROMESSA DE ELEIÇÃO? Lucena agora vai ganhar um parque aquático; assim como já ganhou uma ponte e um estaleiro

Todo ano eleitoral aparece um projeto mirabolante para a pequenina e pobre Lucena. Desde 2010 a cidade já ganhou uma ponte e um estaleiro, e agora também vai ganhar o maior parque aquático da América Latina. O problema é que nada disso sai do papel e o povo continua sendo enganado ano após ano.

A ponte e o estaleiro já viraram lendas urbanas. Vamos torcer para que não aconteça o mesmo com o Sun Park, e o projeto realmente saia do papel, pois Lucena parou no tempo com a péssima administração do prefeito Marcelo Monteiro e carece de desenvolvimento econômico e social.

Apesar de ser uma cidade turística, o prefeito Marcelo Monteiro não soube explorar o potencial de Lucena ao longo de 8 anos. A cidade não possui um plano de desenvolvimento turístico, muito menos crédito, incentivo e capacitação para a população que deseja empreender no setor.

A economia local gira em torno do Fundo de Participação dos Municípios – FPM, o que mantém a cidade pobre e atrasada, mas garante o povo refém dos cargos e das esmolas da prefeitura.

Lucena tem um grande potencial turístico, religioso e gastronômico, mas não há divulgação dos seus atrativos nem mesmo para os turistas que desembarcam no aeroporto Castro Pinto.

Parece que o projeto de Marcelo Monteiro é manter a cidade pobre e dependente da prefeitura. E ele está conseguindo.

Prefeito ostentação de Lucena já gastou R$ 320 mil com aluguéis de carros de luxo; valor daria pra comprar 10 veículos populares

Ruy contempla Ação Social ‘Apenas AME’ com doação de salário e quer ver projeto aprovado na Câmara

Repetindo o gesto dos últimos meses, o deputado federal Ruy Carneiro doou metade do seu salário deste mês para fortalecer a saúde e a assistência social no combate ao novo coronavírus. A entidade favorecida desta vez foi a Ação Social “Apenas AME”, que realiza doação de cestas básicas, auxílios a moradores de rua, ambientação de escolas, entre outras ações. O parlamentar paraibano tem diversas medidas para diminuir os impactos da pandemia de Covid-19. Uma delas é o projeto de decreto legislativo que prevê o corte de 50% nos salários de deputados federais e senadores. Mas, enquanto o projeto não avança na Câmara, Ruy continua fazendo a sua parte.

“Se tivesse sido aprovado, meu projeto já teria permitido uma economia de R$ 30 milhões nesses últimos três meses. Recursos que poderiam ter sido usados para estruturar melhor a saúde do Brasil. E diminuído a angústia de todos nós que precisamos lidar com essa pandemia” comentou Ruy.

O valor destinado por Ruy Carneiro neste mês, R$ 12,4 mil, já foi encaminhado para a conta da Ação Social “Apenas AME” e poderá ser usado nos projetos executados pelos voluntários. “É um gesto simbólico sobre o que cada um pode fazer neste momento de pandemia. Não adianta falar e não agir. Tem que estar perto das pessoas, saber o que precisam e executar tudo o que estiver ao alcance.

O deputado ainda acrescentou a importância de que essa medida fosse adotada não só pela Câmara. “Se as Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais puderem reproduzir essa iniciativa, muito mais poderia ser feito. O importante é ajudar quem mais precisa neste momento. Fazemos nosso trabalho de encontrar os meios para isso. Apontamos o problema e qual a solução. Estamos buscando formas de levantar recursos, e também cobrando a boa execução dos gastos com a saúde pública”, destacou Ruy

Pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Nilvan Ferreira é vítima de injúria racial em grupo de WhatsApp

É inadmissível que comportamentos racistas ainda persistam em pleno século 21, sem o menor constrangimento e em grupos de WhatsApp. Na última quinta-feira, 25, o comunicador Nilvan Ferreira foi vítima de injúria racial ao ser chamado de macaco no grupo Diretoria do Canelle, que reúne pessoas da política e imprensa:

O usuário ‘Geraldo’ cometeu o crime de injúria racial ao comparar Nilvan a um macaco e merece ser denunciado. Atitudes como estas precisam ser repelidas da nossa sociedade.

Efraim quer menos burocracia para crédito a micro e pequenas empresas

Durante esta semana houve muitos questionamentos sobre o acesso ao crédito para empresas afetadas pela crise causada pela pandemia da Covid-19. Empresários ainda não conseguiram os recursos anunciados pelo Governo Federal, mas, para resolver a questão, o Poder Executivo mandou ao Congresso Nacional a Medida Provisória 975. Agora, transformar crédito em dinheiro tem sido uma preocupação constante do relator da MP, deputado federal Efraim Filho (DEM-PB).

“Menos burocracia e ampliação das garantias por parte do governo vão ao encontro das necessidades de quem emprega. Micro e pequenos empreendedores sempre tiveram muita dificuldade para conseguir dinheiro junto aos bancos; sempre houve muita má vontade em emprestar para aqueles que acreditam e investem num pequeno comércio”, lamenta Efraim, que preside a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Comércio, Serviço e Empreendedorismo.

Duas Medidas Provisórias (MP) em tramitação no Legislativo abordam o tema do acesso ao crédito: 944 e 975. O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nessa quinta-feira (25) o texto base da MP 944, que concede uma linha de crédito especial para pequenas e médias empresas pagarem a folha de salários em meio à crise decorrente do coronavírus.

De acordo com Efraim Filho, relator da 975, que destina R$ 20 bilhões para o Fundo Garantidor para Investimentos do BNDES, valores para empresas com faturamento entre R$ 360 mil e R$ 300 milhões anuais, a MP tem votação prevista para a próxima semana.

“A MP 975 entra neste cenário para complementar a política de acesso ao crédito e vai atender empresas que não foram atendidas em outros programas”. O problema, para Efraim, não está no valor aportado, mas sim nas dificuldades para acessar as linhas de financiamento. “Quando tantos empreendedores precisam de crédito, o dinheiro não pode ficar parado nos bancos, como se estivesse debaixo do colchão”, pondera.

Em conversas com representantes da equipe econômica do governo e com lideranças partidárias, Efraim Filho defende a ampliação do prazo para pagamento do empréstimo e a melhoria do nível de garantias oferecidas pelo governo. “São correções para garantir fôlego durante o isolamento e para o período posterior, porque a economia, infelizmente, não vai retomar de forma plena.

O Congresso Nacional aprovou em abril um programa voltado a ajudar as micro e pequenas empresas a enfrentarem a crise do coronavírus. E criou uma linha de crédito especial de quase R$ 16 bilhões. Mas o governo admite dificuldade de fazer esse recurso chegar ao segmento que representa 39% das empresas brasileiras.