Cícero apresenta programa “Volta por Cima” para ajudar pequenos empreendedores a superarem a crise

O candidato a prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (Progressistas), apresentou no guia eleitoral desta quarta-feira (28), o Programa Volta por Cima, uma linha de crédito no valor de R$ 5 mil, para ajudar os pequenos empreendedores a superarem a crise provocada pela pandemia.

No programa eleitoral, Cicero informou que a nova linha de crédito terá juros zero, parcelamento em 30 meses e uma carência de 6 meses para iniciar o pagamento. A inscrição será no Centro de Referência em Assistência Social e uma novidade é que quem quem tiver com as parcelas em dia a prefeitura pagará a última parcela.

Cicero Lucena destacou que gerar emprego sempre foi um grande desafio e com a pandemia esse desafio ficou ainda maior. “O Programa Volta por Cima será uma grande oportunidade para pessoas que perderam seus empregos ou ficaram sem a sua fonte de renda possam recomeçar. Vamos dar oportunidade, sem burocracia e de forma rápida, oferecer uma linha de crédito de R$ 5 mil para quem mais precisa e fortalecer a nossa economia. Eu sei como tornar isso realidade e vou fazer”, completou.

DEBATE NA ARAPUAN: “Quem vai governar a prefeitura? Você, seu marido ou Berg Lima?”, questiona o empresário Diego do Kipreço à Luciene de Fofinho

Durante o debate realizado na rádio Arapuan, nesta quarta, 28, o empresário Diego do Kipreço questionou a prefeita Luciene [de Fofinho] sobre quem de fato vai administrar a gestão. Como se sabe, Luciene fez um acordo para Berg Lima renunciar, sendo eleita indiretamente com os votos dos vereadores da bancada do ex-presidiário.

Em confronto com Fofinha, Diego acusou a candidata de corrupção, lembrando da investigação de desvio de recursos para o combate à covid-19 no município, e também sobre o inquérito da rachadinha.

Em resposta, a candidata do PDT, disse: “Vão ter que inventar outra fake news, porque essa não colou. Vou pedir para Deus me proteger das forças do mal.”

Na réplica, o candidato Diego do Kipreço disse que em sua gestão a tolerância é zero para corrupção, “A senhora se juntou com o maior corrupto de todos os tempos de Bayeux, e está querendo enganar o nosso povo, como o povo de Bayeux pode acreditar na senhora? O povo quer saber quem vai governar, se é a senhora, seu esposo ou Berg Lima,” completou.

Polítika com informações do Polemica Paraíba

ÁUDIO: Em Lucena, assessor de Marcelo Monteiro diz que prefeito de Cabedelo vai ‘jogar’ R$ 200 mil na eleição

Há dias que circula um boato em Lucena de que o prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo, vai gastar R$ 200 mil em boca de urna para eleger Alex Monteiro, que não aparece bem nas pesquisas internas. Esta semana o boato foi confirmado por Ricardo Marculino de Lima, assessor especial do prefeito de Lucena, Marcelo Monteiro: “Ele que fez a última pesquisa e vai jogar R$ 200 mil aqui“.

 

Site do Tribunal de Contas confirma que Ricardo Marculino é assessor especial do prefeito Marcelo Monteiro:

Uma coisa é certa. Se Vitor Hugo fez uma pesquisa e vai ‘jogar’ R$ 200 mil pra eleger Alex Monteiro é porque a situação do sobrinho do prefeito não é nada boa…

OMISSÃO DE BENS: Ministério Público recorre do registro de candidatura e Lucas Romão ainda poderá ficar fora da eleição

Em Pedras de Fogo, o inferno astral de Lucas Romão parece não ter fim.  O Ministério Público Eleitoral recorreu do registro de candidatura de Lucas, após flagrá-lo omitindo bens. Na cidade, todos sabem da mansão que Lucas mora num condomínio vistoso, mas na informação de bens à Justiça Eleitoral, o candidato alega ser tão pobre quanto um pedinte.

Inconformado, o Ministério Público Eleitoral, na pessoa do Promotor Marinho Mendes, recorreu e apresentou provas de que Lucas mentiu. Ao recorrer da decisão que deferiu a candidatura de Lucas, o MP anexou dois comprovantes de que o sobrinho do prefeito possui bens, mas omitiu à Justiça Eleitoral. Confira:

Contrato de compra e venda de terreno pertencente a Lucas Romão

Declaração do Detran informando que existem dois veículos automotores em nome de Lucas

EXCLUSIVO: Veículo da campanha de Lucas Romão é pego com arma irregular, R$ 5 mil e santinhos; candidato e a esposa estavam no carro

EXCLUSIVO: Luciene de Fofinho plagiou todo o plano de governo da prefeita do Conde

Parece que os adversários da prefeita Luciene [de Fofinho] estão certos ao afirmar que ela não tem um projeto de governo para a cidade, mas sim um projeto familiar, já que a prefeita e o marido vivem há mais de uma década exclusivamente da política. O blog descobriu que o plano de governo apresentado ao TRE é uma cópia (quase que completa) do programa de governo da prefeita do Conde, Márcia Lucena, da eleição de 2016.

Ambos os programas possuem 17 páginas e praticamente os mesmo tópicos, também na mesma sequência. Em alguns parágrafos ainda tentaram disfarçar mudando a ordem de algumas palavras. Noutros, sequer tiveram o ‘cuidado’ e literalmente plagiaram o plano de governo, conforme os prints a seguir:

 

Ambos os planos de governo podem ser conferidos nestes links:

Luciene de Fofinho

Márcia Lucena

Vale lembrar que Luciene de Fofinho poderá ter o registro de candidatura impugnado, uma vez que a apresentação do plano de governo é obrigação de todo candidato a prefeito.

DESBUROCRATIZAÇÃO – Romero inaugura a Sala do Empreendedor de Campina Grande

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, inaugurou na manhã desta terça-feira, 27, na Vila do Artesão, a Sala do Empreendedor. A iniciativa objetiva desburocratizar o processo de formalização de empreendedores de micros e pequenas empresas e do microempreendedor individual. A Sala do Empreendedor passa a oferecer serviços de abertura, alteração e baixa de empresas, confecção de declarações anuais, impressão de certidões e orientações.

“Estamos trabalhando para a efetivação da Sala do Empreendedor há bastante tempo e trata-se, justamente, de prestar apoio para aquelas pessoas que desejam empreender, colocar seu primeiro negócio”, destacou, Romero Rodrigues, observando que a Prefeitura, através da Amde e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, além do Sebrae e da Caixa Econômica Federal, fecharam parceria para justamente desburocratizar e agilizar esse processo de documentação, facilitando a vida do empreendedor.

O presidente da Agência Municipal de Campina Grande (AMDE), vereador licenciado Nelson Gomes, agradeceu ao apoio do prefeito Romero e a parceria com o Sebrae para que a Sala do Empreendedor se tornasse uma realidade nesta data.

Para a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico de Campina Grande (SEDE), Rosália Lucas, a Sala do Empreendedor é um passo importante para o fomento da economia. Ela destacou a iniciativa do prefeito Romero Rodrigues e assegurou que a pretensão é avançar, cada vez mais, neste processo.

Além do prefeito Romero Rodrigues, do presidente da Amde, Nelson Gomes, da secretária Rosália Lucas e do gerente do Sebrae/CG, João Alberto, estiveram presentes na ocasião o chefe de Gabinete da Prefeitura Municipal, Alcindor Vilarim; o vice-presidente da Federação das Micro Empresas e Conselheiro do Sebrae/PB, Cícero Freire; o vice-presidente da Associação Comercial, Antônio Andrade e o secretário municipal de Esportes, Asfora Neto.

Atendimento – A Sala do Empreendedor de Campina Grande ficará instalada, inicialmente, no auditório da Vila do Artesão, na avenida Almeida Barreto,  bairro de São José. No local, passam a ser oferecidos os seguintes serviços: criação, alteração e baixa do MEI; impressão dos boletos de pagamento do MEI; orientações sobre emissão de certidão e orientações em geral sobre o MEI, mostrando direitos e deveres do empreendedor.

Em virtude da pandemia do Covid-19, o atendimento na Sala do Empreendedor será realizado por meio de agendamento, pelo telefone (83) 3077-2712 ou pelo link https://minhaagendavirtual.com.br/cgcasadoempreendedor.

Homenagem – Na oportunidade, em virtude do falecimento da artesã Maria Aparecida, ocorrido na manhã da última segunda-feira (26), Nelson Gomes decidiu homenageá-la e designou que a Sala do Empreendedor receba o nome da artesã. “A partir de hoje, nossa amiga, a artesã Maria Aparecida, passa a ter seu nome imortalizado nessa iniciativa tão importante em favor de quem acredita na cidade”, postou Nelson.

EXCLUSIVO: Ministério Público investiga Luciene de Fofinho pelo crime de peculato

A prefeita de Bayeux, Luciene [do Fofinho], está sendo investigada pelo Ministério Público em inquérito civil que apura o crime de peculato, que consiste na subtração ou desvio de dinheiro público ou de coisa móvel apreciável, para proveito próprio ou alheio:

Mais informações em instantes.

VÍDEO: Desesperada após receber pesquisa interna, prefeita de Bayeux protagoniza a cena mais ridícula das eleições 2020

Ricardo Coutinho é alvo de nova fase da Operação Calvário

O ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) está entre os investigados na nona fase da Operação Calvário. O nome do candidato a prefeito de João Pessoa é citado junto com o do ex-procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro; do mandatário da Cruz Vermelha Brasileira, Daniel Gomes; do conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado, Arthur Cunha Lima; do ex-deputado Arthur Cunha Lima Filho, e do ex-chefe de gabinete de Arthur no TCE, Sérgio Ricardo Ribeiro da Gama.

A nova fase da operação é relacionada com suposto esquema de lavagem de dinheiro, tendo Arthur Cunha Lima como figura central em suposto esquema de “venda de aprovação de contas”. Ele teria negociado, com a intermediação de Arthur Filho e do advogado Diogo Mariz Maia, o pagamento de R$ 500 mil pela Cruz Vermelha Brasileira para que os balancetes da Organização Social fossem aprovados no Tribunal de Contas do Estado. O dinheiro teria sido pago de forma parcelada.

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Francisco Falcão, acatou pedido da subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo, para bloquear R$ 2,2 milhões nas contas de cada um dos seis investigados na ação proposta pelo Ministério Público Federal. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em seis endereços nesta terça-feira (27), porém, focando outros citados na investigação, a exemplo do advogado Diogo Mariz.

Contando todos os suspeitos na investigação, o STF determinou o bloqueio de R$ 23,4 milhões. A reparação é cobrada ainda de Diogo Maia Mariz, SG Construções e Locações de Máquinas e Equipamentos LTDA., Cidade Inteligente Goiana Construções SPE LTDA., Seven Software Sistemas e Serviços LTDA., Sumário Editora, Comércio e Representações de Livros, Lúcio Paredes Cunha Lima e Keydson Samuel Sousa Santiago.

A operação é fruto da ação integrada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), Ministério Público da Paraíba, Ministério Público Federal, Polícia Federal e Controladoria-Geral da União (CGU).

Todos os mandados foram expedidos pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Francisco Falcão. A competência da Corte foi firmada em razão da necessidade de investigar eventuais delitos praticados pelo atual governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), e por três conselheiros do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE/PB).

O esquema teria começado em 2011 e envolveria a contratação de organizações sociais (OSs) para gerir recursos públicos. De acordo com a investigação, as OSs direcionavam os gastos de hospitais para determinados fornecedores, que, posteriormente, repassavam parte do valor a agentes públicos. Na mesma operação já houve buscas e apreensões em dezembro de 2019, ocasião em que o STJ determinou o afastamento do cargo de dois conselheiros do TCE/PB.

As investigações contam com mensagens de celular, gravações ambientais e informações obtidas por meio de um acordo de colaboração premiada firmado entre a Procuradoria-Geral da República (PGR) e um empresário que era gestor de fato de duas entidades envolvidas nos ilícitos.

A subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, designada pelo procurador-geral, Augusto Aras, para atuar nos processos criminais perante o STJ, também requereu a imposição de medidas cautelares a um advogado investigado pelo esquema, como a proibição de frequentar as dependências do TCE/PB e a suspensão do exercício da atividade advocatícia perante o órgão e em contratos com entes públicos.

Suetoni Souto Maior