Bruno Cunha Lima cria auxílio emergencial de R$ 400 a trabalhadores dos segmentos mais afetados pela pandemia

O prefeito Bruno Cunha Lima lançou, na manhã desta quinta-feira, 1º, no auditório do Cerast, no bairro Dinamérica, o Programa SuperAção de Apoio às Famílias e Estímulo à Economia de Campina Grande. O pacote econômico está orçado em R$ 1,6 milhão e vai contemplar, em sua etapa inicial, 4 mil famílias do Município.

A Prefeitura de Campina Grande vai pagar, em duas etapas, um auxílio emergencial de R$ 400 para famílias comprovadamente afetadas pela pandemia. O benefício tem o caráter suplementar ao auxílio emergencial pago pelo governo federal.

Bruno Cunha Lima lançou o Programa SuperAção, acompanhado da primeira-dama Juliana Cunha Lima, através de uma transmissão ao vivo pelas redes sociais da Prefeitura de Campina Grande. Mais uma vez, foi adotado o modelo de solenidade que evita aglomerações e respeita os protocolos sanitários vigentes de preservação da saúde e da vida por conta da pandemia da Covid-19.

Os beneficiários do programa
Através do Programa SuperAção, o auxílio será pago às pessoas desempregadas que tentaram receber o seguro-desemprego e não conseguiram o benefício. Contempla músicos, vendedores ambulantes, produtores de eventos, motoristas de transporte escolar dos setores público e privado, além de outras categorias afetadas, diretamente, por medidas restritivas impostas na pandemia, sofrendo com a falta de recursos para a garantia da sobrevivência das suas próprias famílias.

Fôlego financeiro
Com esta iniciativa, a Prefeitura tenta minimizar os efeitos dos decretos que estabelecem medidas restritivas para o funcionamento de algumas atividades e serviços. “É um fôlego para quem, neste instante, enfrenta dificuldades financeiras mais duras por conta da pandemia”, garante Bruno.

O pagamento do auxílio emergencial municipal será iniciado assim que for votado e aprovado pela Câmara Municipal o projeto de lei que cria o SuperAção. Haverá o remanejamento orçamentário para atender às milhares de famílias que serão contempladas pelo programa. Por isso, o prefeito agradeceu antecipadamente aos vereadores pelo apoio a mais esta iniciativa social, tendo solicitado a apreciação do projeto com o máximo de urgência.

A presidente da Agência Municipal de Desenvolvimento Econômico (Amde), Alana Carvalho, destacou a importância social dessa iniciativa de caráter suplementar, por socorrer milhares de famílias em dificuldades.

As inscrições para os interessados serão abertas a partir da próxima segunda-feira, dia 5 de abril, por meio de link (auxilioemergencial.campinagrande.pb.gov.br) a ser disponibilizado no site oficial da Prefeitura de Campina Grande.

Haverá a devida a análise cadastral, seguida da divulgação da listagem dos  contemplados com o novo  benefício municipal. Informações poderão ser obtidas pelo número de WhatsApp App (83) 988140117 (destinado para tirar dúvidas).

Também fizeram pronunciamentos sobre a política municipal em favor das famílias afetadas pela pandemia, a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Rosália Lucas; o presidente do Sindicato dos Músicos de Campina Grande, Airton Leme e o vice-prefeito Lucas Ribeiro, que pontuou o novo programa como um gesto de humanidade num momento em que se comemora a Semana Santa.

Quem ainda se pronunciou foi o presidente da Câmara Municipal, Marinaldo Cardoso, assegurando seu apoio ao projeto.

Prestigiaram também o evento o procurador-geral do Município, Aécio Melo e os secretários Rosália Lucas (Desenvolvimento Econômico) Laryssa Almeida (Ciência, Tecnologia e Inovação); Gustavo Braga e o adjunto Felipe Gadelha (Finanças); Giseli Sampaio (Cultura); Filipe Reul e o adjunto Gilney Porto (Saúde), Diogo Flávio (Administração), o superintendente Dunga Júnior (STTP), o vereador Alexandre do Sindicato, lideranças sindicais e outras autoridades municipais.

Codecom

Em relato histórico, Ronaldinho lembra cassação de Ronaldo Cunha Lima pela Ditadura: “O que lembro com precisão daquele instante é o puta que pariu que meu pai grita e na sequência joga o rádio no chão”

Acabo de receber no WhatsApp um relato histórico de Ronaldinho sobre o momento em que Ronaldo Cunha Lima, então prefeito de Campina Grande, escutara na rádio que estava sendo cassado pela Ditadura. Perseguido, Ronaldo foi para Rio de Janeiro e São Paulo, onde chegou a vender sapatos para sustentar a família.

“O dia era 13 de março, o ano 1969, fazia 45 dias que o meu saudoso pai, o Poeta Ronaldo Cunha Lima, havia assumido a prefeitura municipal de Campina Grande, depois de vencer uma eleição histórica. Morávamos todos, eu ,minha mãe Gloria, Cássio, Glauce e Savigny, na modesta casa de telha aparente da nossa querida avó Nenzinha, na pacata rua Solon de Lucena.

A casa era simples, mas muito aconchegante, tinha quintal e pés de sapoti, oiti, manga, goiaba e abacate. Naquele tempo eu brincava de peão, coruja, patinete, esconde-esconde…. eu era uma criança feliz. Naquele tempo ‘também, vivíamos sob o jugo de uma ditadura militar, que teve início no dia 31 de março de 1964.

Dentre os atos baixadas pelo regime ditatorial, o AI-5 foi sem dúvida o mais cruel e ignóbil deles. Voltando ao dia 13 de março: era noite, estávamos eu, Glauce e Cássio brincando sobre a cama e numa rede próxima estava meu pai com um rádio de pilha colado à orelha escutando a relação do nomes das autoridades que eram cassadas pelo regime militar sem que fosse dada qualquer explicação.

O que lembro com precisão daquele instante é o “puta que pariu” que meu pai grita e na sequência joga o rádio no chão que se espatifa. Foi uma cena dramática. Ele tinha acabado de escutar o nome dele dentre os cassados. O mundo desabou. E desabou também uma forte chuva. Parecia que o céu chorava por aquela inimaginável injustiça. Nossas vidas mudaram radicalmente.

As ditaduras, por não representarem a vontade da maioria, se impõem pelo medo. Todos viviam com medo. Tendo perdido o mandato que lhe fora outorgado pelo povo de Campina Grande e não podendo exercer o cargo de promotor público, para o qual havia passado mediante concurso público, o Poeta viu-se obrigado a ir para São Paulo, onde foi buscar um meio de garantir o sustento da família, que só tempos tempos depois tb foi pra São Paulo. Na Av Augusta, como vendedor de sapato, foi esse o primeiro emprego do prefeito e promotor cassado. A história continua. É longa e extraordinária. Aí eu me pergunto: o que faz um cidadão de bem desejar o retorno de um tempo tão sinistro?”.

No Instagram, Romário repercute vacinação em João Pessoa para autistas e pessoas com síndrome de Down

O ex-jogador e agora senador Romário Faria usou o Instagram para citar João Pessoa, como exemplo. É que a Capital paraibana iniciou nesta quinta-feira (01), a vacinação contra a Covid-19 em pessoas com mais de 18 anos que tenham Síndrome de Down ou Transtorno do Espectro Autista (TEA). Cerca de 3 mil pessoas preenchem esse grupo prioritário.

Romário tem uma filha, Ivy, portadora da síndrome, e atua como uma voz corrente em defesa do direitos das pessoas com Down, através das rede sociais e projetos apresentados no Senado.

“Eu faço um apelo a todos os secretários municipais do País que dêem prioridade às pessoas com deficiência. Muitos apresentação quadro de saúde bastante vulnerável à Covid. É comum, por exemplo, que pessoas com Síndrome de Down tenham cardiopatias. É um momento crítico para todos, peço a sensibilidade dos gestores”, postou Romário.

Pela manhã, o prefeito Cícero Lucena (Progressistas) acabou o início da vacinação do grupo prioritário. “Já estamos quase atingindo os grupos de risco orientados pelo Ministério da Saúde, acima de 60 anos, e nada mais justo que agora ter este olhar para estas pessoas. É um esforço para cuidar de quem mais precisa e levar a vacinação para o maior número de pessoas possíveis”, declarou.

O público-alvo pode procurar a imunização na Associação Pestalozzi da Paraíba, no Cristo; no Instituto Helena Holanda, que fica no Bairro dos Estados; e na Associação de Pais e Amigos de Excepcionais (Apae), nos Bancários.

Sony Lacerda

Dinho, a maçã e a tentação

Para o cristianismo, Adão e Eva foram expulsos dos jardins do Éden quando ela não resistiu e devorou o fruto proibido oferecido pela serpente: a maçã. Foi a partir daí que começaram as desventuras deste nosso planeta, tudo por uma maçãzinha.

No episódio que vai ficar conhecido como o iPhone do iDinho, o presidente da Câmara não resistiu à tentação de comprar um iPhone novo com recursos públicos e se queimou sozinho na sociedade, pois como presidente da Casa, é nele que vai recair as críticas do povão, e não nos demais vereadores. Uma regalia absurda, já que todo parlamentar possui seu próprio celular.

O blog tem tentado contato com Dinho, mas em vão. Eu só queria dizer que a bateria do Samsung dura mais e o celular é mais barato. Sem contar na qualidade da câmera.

A Câmara Municipal suspendeu a licitação depois que o Ministério Público caiu em cima. Mas o que a sociedade espera é bom senso por parte de Dinho, e que ele acabe de vez com o privilégio desnecessário.

Nos próximos dias, o blog vai revelar outros ‘mimos’ da Casa..

Em apenas um mês, Daniella Ribeiro gastou quase R$ 4 mil em combustíveis; valor foi ressarcido pelo Senado

O Opala 6 cilindros da senadora Daniella Ribeiro continua bebendo mais que o cantor Zeca Pagodinho. Segundo dados do portal da transparência do Senado, Daniella gastou R$ 3.590 com combustíveis em apenas um mês, fevereiro de 2020. O valor, claro, foi ressarcido pela Casa:

Em apenas um dia, 13 de fevereiro, a senadora consumiu R$ 385 em combustíveis. No geral, é como se a senadora enchesse o tanque do carro a cada dia.

Em 2019, Daniella foi destaque na imprensa nacional por utilizar a verba indenizatória para bancar almoço pra bacana em restaurante chique e por pedir ressarcimento de café e sorvete:

SENADORA OSTENTAÇÃO: Daniela Ribeiro janta no The W, mas quem paga a conta de R$ 420 é o Senado

Senadora Daniella ‘Sorvetão’ afirma que o ressarcimento do seu sorvete de R$ 17 é permitido por lei, mas que não vai mais pedir reembolso de valores irrisórios

 

TORRANDO DINHEIRO PÚBLICO: Prefeito de Lucena aluga imóvel da mãe do tesoureiro, mas gestão não utiliza

O prefeito de Lucena, Leo Bandeira, continua decepcionando os eleitores que acreditaram na mudança. A farra com o dinheiro público só tem aumentado, e a gestão agora aluga imóveis dos próprios auxiliares, mas não os utiliza. A denúncia chegou ao blog através de moradores, e mostra que a prefeitura pagou R$ 3.900 pelo aluguel de uma casa, mas que jamais foi utilizada pela gestão:

De acordo com a denúncia repassada ao blog, Jacyra Gomes é mãe do tesoureiro da gestão, Assis Gomes. Uma denúncia já foi feita no Ministério Público, e não se surpreendam se Leo Bandeira for afastado do cargo nos próximos dias.

Como você avalia os 100 dias de gestão do prefeito de Lucena, Leo Bandeira?

 

Ministério Público pede suspensão da compra de iphones e pacote de internet para vereadores de João Pessoa

O Ministério Público de Contas da Paraíba (MPC) ofereceu representação com pedido de cautelar e inspeção especial por causa do edital de contratação de empresa de telefonia móvel, com cessão de aparelhos no valor estimado de R$ 415.800,00 pela Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP). O órgão pede suspensão do pregão, o recebimento da representação e a instauração de processo para apurar o caso.

Auditoria verificou a existência de irregularidades, tendo solicitado a expedição de medida cautelar para suspensão do certame.

“Ante o exposto, entende-se presentes indícios de irregularidades, amplamente expostos ao longo deste relatório, e perigo de dano, capaz de causar prejuízos ao erário, pela continuidade desta contratação, que se mostra inadequada para os tempos difíceis que enfrentamos. Assim, com arrimo no art. 195, § 1° do Regimento Interno do TCE-PB, sugere-se a SUSPENSÃO CAUTELAR do Pregão Presencial n° 00002/2021, até ulterior manifestação deste Tribunal de Contas.”, diz.

O MPC apontou três irregularidades:

  1.  Vigência do contrato de 24 meses, com possibilidade de prorrogação até 60 meses, desacompanhado da demonstração de vantajosidade econômica para prorrogações além do limite anual, exigido pela Lei de 8.666/93, art. 57, II1;
  2.   Provável prejuízo ao erário ao não prever a troca de aparelhos, caso o contrato seja renovado por longo período;
  3.  Direcionamento da licitação com a determinação da marca Apple para os aparelhos celulares, restringindo a competição sem uma justificativa consistente.

O pedido é assinado pelo Procurador-Geral do Ministério Público de Contas/PB, Manoel Antônio dos Santos Neto, e o Procurador do Ministério Público de Contas/PB Luciano Andrade Farias.

Efraim confirma R$ 9,6 milhões para auxiliar manutenção de 196 leitos de UTI

O coordenador da bancada federal paraibana, deputado federal Efraim Filho, confirmou que a Paraíba foi contemplada neste mês de março com valores destinados pelo Ministério da Saúde para a manutenção de 196 leitos de UTI já em atividade, sendo 12 desses para UTI infantil. O valor total chega a 9,6 milhões, e é aplicado para auxiliar nos custos de manutenção dos leitos de UTI de unidades hospitalares da estrutura de saúde do Governo do Estado e municípios, a exemplo de João Pessoa, Campina Grande, Cajazeiras, Patos, Santa Rita.

Efraim Filho agradeceu ao Ministro da Saúde, o médico paraibano Marcelo Queiroga: “esses recursos são essenciais para cobrir custos das redes de saúde municipal e estadual, reforçar o atendimento e lutar contra o colapso do sistema de saúde. Enfrentar essa pandemia é um desafio que conta com a união de esforços dos governos municipais, Estaduais e federal. A bancada paraibana tem estreitado contato com o Ministro da Saúde Marcelo Queiroga, para trazer a Paraíba cada vez mais apoio no combate ao Covid.”

Entre os Hospitais contemplados estão em João Pessoa os hospitais Santa Isabel, Frei Damião, ProntoVida e Clementino Fraga; em Santa Rita o Hospital Metropolitano; em Campina Grande o Hospital de Clínicas, Dom Pedro I, Instituto de Saúde Elpidio Almeida, SAS e o hospital municipal Severino Bezerra de Carvalho (UTI infantil); Em Patos o Complexo hospitalar Janduhy Carneiro e o hospital infantil Noaldo Leite (UTI infantil) ; Em Cajazeiras o Hospital Regional do Estado.

Ruy se reúne com novo ministro da Saúde e apresenta projetos

Dedicado a ampliar o atendimento e os investimentos nos hospitais da Paraíba, o deputado federal Ruy Carneiro reuniu-se esta semana com o novo ministro da Saúde, o paraibano Marcelo Queiroga, com quem tratou também do esforço do Congresso Nacional para ajudar o país a ampliar o ritmo de vacinação das pessoas contra a covid-19.

“A vacina é a única maneira de enfrentarmos efetivamente o vírus e conter o crescimento do número de contaminados e mortos. Este é o principal foco do trabalho do ministro e estamos engajados num movimento nacional para contribuir com a imunização”, explicou.

Na pauta da reunião, Ruy apresentou um conjunto de projetos que está ajudando a realizar e para os quais espera poder contar com o apoio do ministério, a exemplo da compra do novo acelerador linear que vai melhorar o tratamento de câncer por meio de radioterapia no Hospital Napoleão Laureano, além do apoio aos hospitais São Vicente de Paulo e Padre Zé, em João Pessoa. Ruy tratou também da construção do Hospital Help, em Campina Grande.

“O ministro conhece bem a realidade da saúde na Paraíba. Ele tem sensibilidade e está comprometido com os projetos que fortaleçam a rede pública no nosso Estado”, disse Ruy. “Também tratamos da necessidade de o país promover mutirões de saúde em praticamente todas as especialidades médicas porque a pandemia atrapalhou o tratamento das pessoas e as filas cresceram muito ao longo do ano”, acrescentou.