Prefeito de Lucena aumenta folha de pessoal em 58% e MP deve pedir reprovação das contas de 2021

2021 ainda está  na metade, mas o prefeito de Lucena, Leo Bandeira, já pode contar com a certeza de que o Ministério Público vai pedir a reprovação das contas do seu primeiro ano de gestão. Apesar de prometer na campanha que reduziria a quantidade de cargos contratados e comissionados, Leo fez o contrário, e hoje Lucena tem mais funcionários apadrinhados do que concursados.

De acordo com dados do Tribunal de Contas do Estado, Lucena hoje tem 572 funcionários nomeados como contratados ou comissionados, contra 514 efetivos. Em março do ano passado, a gestão do então prefeito Marcelo Monteiro tinha apenas 362 pessoas entre comissionados e contratados. Ou seja, um aumento exorbitante de 58%.

Atualmente a prefeitura possui 402 funcionários contratados e 170 comissionados:

Propaganda da campanha comprova a promessa de reduzir o cabide de empregos em 20%:

 

ESPOSA, IRMÃS, MADRASTA E CUNHADO: Família do prefeito de Lucena custa quase R$ 30 mil por mês aos cofres públicos da cidade

 

A tomada do Patriota e a “roleta-russa” de Jair Bolsonaro

O Antagonista apurou que Admar Gonzaga, ex-ministro do TSE e o principal interlocutor de Jair Bolsonaro nas negociações com o Patriota, sinalizou ao presidente da República que será possível superar os questionamentos do grupo do partido contrário à forma como a família está tomando a legenda.

De toda forma, Jair, ao contrário de Flávio, que já se filiou hoje ao Patriota, tende a esperar um pouco mais para assinar a ficha de filiação.

“Nós vamos continuar brigando. E, se ganharmos, Bolsonaro não terá legenda lá na frente. Ele está jogando uma roleta-russa. Há muita água para correr. A família vai tentar dominar diretórios, mas eles vão filiar e a gente vai desfiliar. Vai ser uma guerra e estamos devidamente preparados”, disse a O Antagonista uma fonte do Patriota.

Palanque de João Azevedo deve reunir PSL, PT, DEM e PCdoB

A coligação do governador João Azevedo tem tudo para ser uma das mais ecléticas da eleição de 2022. Além dos já aliados PT, DEM e PCdoB, a chapa de João deve contar também com o PSL de Julian Lemos, legenda que, ao lado do PT, possui o maior tempo de rádio e TV.

Apesar de fazer uma militância política mais conservadora, Julian se consolidou como um bom aliado do governador, garantindo emendas milionárias para a segurança pública do estado.

2021 e o voo de João Azevedo

Após as turbulências da Operação Calvário, que rifou seu então padrinho politicamente, o governador João Azevedo conseguiu estabelecer voo próprio na política e na gestão do Estado.

O governador mudou de partido e se distanciou do PSB – um símbolo local de corrupção -, e conseguiu manter um governo com aprovação acima da média, mesmo em anos de pandemia. Na administração, boas novas começam a aparecer; uma delas é o voo comercial para o Sertão paraibano, mais precisamente na cidade de Patos. Em abril, o governo anunciou um pacote de obras de quase meio bilhão de reais.

Em 2022, o voo do governador a caminho da reeleição deve seguir sem muitas turbulências, já que os principais nomes da oposição estão associados ao bolsonarismo genocida, e o ex-prefeito Luciano Cartaxo – com contas reprovadas no TCE – caminha para a inelegibilidade.

Bruno decide decretar medidas mais duras em Campina Grande para combater avanço da pandemia

Em entrevista, na manhã desta segunda-feira, 31, o prefeito Bruno Cunha Lima anunciou que haverá a publicação de um novo decreto com medidas mais restritivas para o enfrentamento da crise sanitária em Campina Grande. Preocupado com a evolução dos números e o forte impacto no sistema de saúde, Bruno diz ser inadmissível a negligência ou indiferença de muitas pessoas no cumprimento das medidas coletivas de proteção à saúde.

De acordo com Bruno,  é preciso punir quem não coopera com as ações de saúde implantadas no município. “Assim faremos. Não cogitamos fechar radicalmente o comércio, mas é preciso coibir abusos e punir os que não cooperam com a saúde pública num momento de tanta gravidade”, destacou.

Outra importante ação será o lançamento de um aplicativo de denúncias, dando oportunidade para que os cidadãos conscientes possam relatar casos de abusos ou de desobediência às medidas. Além disso, o prefeito disse esperar que cada campinense redobre seus esforços de higiene para ajudar no combate à pandemia, como o uso de máscaras e de álcool em gel.

Sobre a situação dos hospitais da cidade, o prefeito Bruno alertou que a situação é preocupante: a rede hospitalar já tem registrado uma alta ocupação dos leitos superior a 90%, tanto nos leitos de enfermaria quanto de UTI.

Codecom

Manoel Junior é empossado e comandará a CNM na gestão 2021/2024

Manoel Junior é o 3º secretário CNM e o único paraibano na gestão 2021/2024. Após a posse, ele destacou a importância de fazer parte do comando da Confederação. “Faremos uma gestão eficiente, a fim de consolidar o movimento municipalista através de políticas públicas para melhorar a qualidade de vida das pessoas”, declarou.

Manoel Junior também destacou a importância da CNM e do presidente Paulo Ziulkoski para o movimento municipalista do Brasil. “Paulo Ziulkoski é um dos principais responsáveis pelo fortalecimento do movimento municipalista. Ele idealizou a Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios e liderou diversas ações que resultaram em conquistas históricas”, enfatizou.

Gilberto Carneiro e a delação de Waldson

Ex-procurador do Estado nos governos de Ricardo Coutinho, Gilberto Carneiro está preocupado com a deleção de Waldson Souza, ex-secretário de Saúde. Ambos são acusados de participarem da ORCRM Girassol, que desviou mais de R$ 130 milhões da Saúde.

A preocupação é tão grande que Gilberto Carneiro foi à Justiça pedir conteúdo da delação, mas o problema é que até agora ela não foi homologada, ou seja, juridicamente inexiste.

A informação consta do despacho do juiz Adilson Fabrício, da 1ª Vara Criminal da Capital, ao negar pedido juridicamente “impossível” do réu Gilberto Carneiro.

A defesa de Gilberto pediu acesso ao teor integral da possível delação premiada de Waldson de Souza, nos autos do processo oriundo da Operação Calvário.

O magistrado negou o pedido, informando que não há delação premiada de Waldson de Souza.

O real adversário de Lula não é Bolsonaro

As bandeiras vermelhas das manifestações de esquerda no sábado passado podem ter feito Jair Bolsonaro sorrir, mas é preciso entender que a polarização de 2022 não será a mesma de 2018. Se na última eleição presidencial boa parte dos eleitores de Jair Bolsonaro tapou o nariz e votou nele, para evitar a volta do PT ao poder, na próxima esses mesmos eleitores devem tapar o nariz e votar em Lula, para impedir que Jair Bolsonaro permaneça no Palácio do Planalto. Ou dividir-se votando massivamente em branco ou nulo, o que deverá ajudar o petista. Há ainda um primeiro turno no meio do caminho do atual presidente, e ele pode até mesmo não passar ao segundo tempo no qual Lula já está garantido, visto que muita gente que votou em Jair Bolsonaro em 2018 poderá votar num terceiro nome que não significará necessariamente uma terceira via.

Não serão petistas ou bolsonaristas que definirão o resultado no ano que vem. Será o eleitorado que, na falta de um candidato com ar de novidade que se mostre viável até o início do ano que vem, acostumou-se a oscilar entre o que fede mais e o que fede menos. E Jair Bolsonaro fede muito mais, porque fede a mortes, enquanto o cheiro da corrupção de Lula está se tornando cada vez mais rarefeito. Trata-se de constatação.

Enquanto Jair Bolsonaro aposta no antilulismo, com discurso extremado como se a polarização fosse a mesma de 2018, Lula aposta no antibolsonarismo, com discurso afável, pouco ideologizado, de “união nacional”, porque sabe que a polarização em 2022 será outra, a do extremismo versus “polo democrático”,  e que o seu cheiro de ralo já não incomodará tanto, visto que o cheiro de morte do oponente já é bem mais acentuado. De qualquer forma, Jair Bolsonaro não saberia e não poderia fazer diferente: é um sujeito de inteligência limitada e enveredou pelo caminho sem volta da sociopatia. O atual presidente não é o real adversário de Lula, apesar da retórica do chefão petista. O real adversário de Lula é um nome forte que represente uma alternativa a ele. Mas esse nome ainda não existe e não se sabe se existirá a tempo.

Mario Sabino

Enfim, Nilvan assume o bolsonarismo

Na eleição de 2020, o comunicador Nilvan Ferreira escondeu o presidente Bolsonaro da sua campanha. Mas o estrago à imagem de Nilvan já estava feito, pois as centenas de declarações do radialista a favor do presidente consolidaram no eleitorado o estigma de candidato bolsonarista.

Sem a má fama, talvez Nilvan fosse hoje o prefeito de João Pessoa. Porém, após o resultado das urnas, Nilvan Ferreira finalmente se assume como bolsonarista e diz que vai trabalhar pela reeleição do presidente.

De besta Nilvan não tem nem a cara. Quer roubar de Walber Virgolino e Cabo Gilberto o protagonismo bolsonarista na Paraíba. Vai buscar uma eleição segura para deputado federal com o voto do gado.

Inconformado com a perda do cargo de secretário, Luiz Couto junta 12 gatos pingados contra aliança do PT com o governador

Até o momento em que foi secretário estadual da Agricultura Familiar, o ex-deputado federal Luiz Couto era a favor do partido participando da gestão do governador João Azevedo. Agora, após a demissão, o padre está contra a aliança, e juntou 12 gatos pingados do PT para reclamar no Diretório Nacional.

É o triste fim de Luiz Couto. Está jogando a sua trajetória no lixo para apoiar um ex-presidiário da espécie de Ricardo Coutinho.

Confira a nota do grupo de Luiz Couto:

No último dia 26 de maio foi nomeado o militante petista Bivar de Souza Duda para o cargo de Secretário de Estado da Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido da Paraíba. Segundo informa a mídia local “a nomeação sacramenta a volta do Partido dos Trabalhadores ao Governo do Estado”. A mencionada secretaria era ocupada pelo ex-deputado Luiz Couto até 23 de outubro de 2020, quando foi exonerado do cargo pelo governador da PB. Identifica-se nesse ato represália ao filiado e ao PT, e se deu em virtude do acatamento da decisão da Direção Nacional no sentido de apoiar a candidatura a prefeito de Ricardo Coutinho pelo PSB.

Para que se reestabeleça a normalidade do processo partidário na PB é urgente que o DN se posicione quanto ao recurso encaminhado em fevereiro passado, que a comissão de ética delibere acerca dos processos disciplinares pendentes relacionados ao pleito de 2020 e que o diretório municipal de João Pessoa, que está sem direção formal há meses, seja recomposto.

Saudações petistas e democráticas,

Atenciosamente,

Luiz Albuquerque Couto – CNF 2081
Antônio Barbosa Filho – CNF 7277705
Jose Antonio Trajano de Vasconcelos – CNF 30421
Cícero Gregório de Lacerda Legal – CNF6048020
Jeremias Bezerra Fernandes de Araújo – CNF 6495640
Joelson da Costa Barbosa – CNF 5237128
Carlos Pontes de Lima – CNF 2601078
Marcos Antonio Vidal dos Santos Pinto – CNF 1313948
Teresinha de Jesus de Souza Dantas – CNF 268088
José Ancelmo Barbosa Dantas – CNF 6416528
Bruno Sarmento Ferreira – CNF 6452315
João Andrei Dantas – CNF 6002126
e demais membros da Resistência Socialista