Ser vice de João Azevedo é mais vantajoso que disputar o Senado

É uma obviedade, mas o instituto da reeleição foi feito para garantir a reeleição do presidente, governadores e prefeitos. Pouquíssimos são os que não obtém êxito, já que o poder da máquina pública e a exposição do cargo representam grandes vantagens em relação aos adversários.

A preço de hoje o governador João Azevedo caminha para a reeleição. Além dos motivos acima, o fato da oposição bater cabeça e estar fragmentada também ajuda. E caso obtenha sucesso na reeleição, João certamente não fará como Ricardo Coutinho, e deixará o governo em busca de uma das duas vagas ao Senado em 2026.

Com a caneta na mão, o vice-governador que assumir o Palácio da Redenção já se torna um favorito, pois a classe política paraibana ama uma máquina pública como Bolsonaro ama a cloroquina.

Ou seja, quem pensar grande vai de vice. Mas como ninguém se candidata a vice, é preciso antes de lançar para a disputa majoritária e entrar no jogo.

Camarão que dorme a onda leva…

A CMJP já tem um Daniel Silveira pra chamar de seu

Fruto da onda conservadora que inunda o Brasil desde 2018, o vereador Tarcísio Jardim é uma espécie de Daniel Silveira, aquele deputado federal bombado que falou fino depois que o STF botou ele numa jaula. Querendo mostrar serviço ao seu nicho de eleitores conservadores, o parlamentar apareceu na sessão da Câmara com uma arma e uma bíblia, ao estilo estado islâmico.

A versão pessoense é mais comedida, mas tão vazio quanto o deputado federal. E como todo bolsominion, tem fetiche por armas. Tarcísio representa a desqualificação das últimas legislaturas da Câmara, que um dia já teve bons nomes como Luciano Cartaxo, Júlio Rafael, Avenzoar Arruda, Bira Pereira, Trocolli, Ruy Carneiro, Potengi Lucena, e até Ricardo Coutinho (antes de virar malandro).

Moro comunica seus patrões que desistiu de ser candidato à Presidência

Condenado pelo Supremo Tribunal Federal por causa de sua parcialidade contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Sérgio Moro informou ao seu empregador, a consultoria Alvarez & Marsal (EUA), que não será candidato ao Palácio do Planalto em 2022, de acordo com nota publicada nesta sexta-feira (7) pela coluna Radar.

Um colega do ex-magistrado havia dito que Moro estuda novamente se mudar para os EUA.

Coordenador do Grupo Prerrogativas, o advogado Marco Aurélio de Carvalho afirmou que poderá ser feito um pedido de extradição, caso o ex-juiz vá morar nos Estados Unidos.