Julian Lemos é considerado o melhor congressista da Paraíba pelo Ranking dos Políticos

O deputado federal Julian Lemos foi considerado o melhor congressista da Paraíba pelo portal Ranking dos Políticos, no acumulado dos anos de 2019, 2020 e 2021. O Ranking avalia senadores e deputados federais em exercício, classificando-os do melhor para o pior, de acordo com os critérios de combate aos privilégios, desperdício e corrupção no poder público.

A pontuação dos políticos é definida de acordo com informações obtidas em fontes oficiais como os sites da Câmara, do Senado e dos Tribunais de Justiça.

Além da aputa anticorrupção, Julian Lemos se destacou em seu primeiro mandato pelo trabalhado realizado em prol da segurança pública, sendo reconhecidamente o parlamentar que mais garantiu recursos para a área através de emendas.

O gado segue o pastor

O blog teve acesso a duas pesquisas internas que confirmam a preferência do eleitor bolsonarista pela pré-candidatura do pastor Sérgio Queiroz ao Senado. É quase um 7×1 contra o filho de Wellington Roberto, que segue apanhando da margem de erro.

Dessa vez o gado não seguirá o som do berrante.

Sem a mínima expressão política, Bruno Roberto só é conhecido pelo episódio em que ele foi preso comprando votos para o pai. Ao menos a família é unida e trabalha em conjunto, né?

VÍDEO: Começou a temporada das dancinhas ridículas

Na busca pelo voto, vale tudo, até pagar mico com dancinhas de rede social. Quem abriu a temporada 2022 foi o senador Veneziano Vital, mostrando que além de ser ruim de gestão (até hoje Campina tem trauma do lixo tomando conta das ruas), também é ruim de dança:

Ano de eleição é sempre assim. Politico toma café frio, beija menino com catarro, bebe Pitú e faz dança ridícula.

Propostas que é bom, nada…

Kassab descarta Lula e Bolsonaro no 1º turno, e vê Ciro como “única 3ª via”

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, descreveu os rumos do partido nestas eleições após opções de pré-candidaturas desistirem da corrida presidencial, como o senador Rodrigo Pacheco (PSD) e o ex-governador Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul. Para o ex-ministro, “não é impossível” apoiar Ciro Gomes (PDT), enquanto uma aliança com Lula ou Bolsonaro, no primeiro turno, está descartada.

Apesar de citar o pedetista como um “excelente candidato” e “única terceira via”, Kassab advertiu que ele precisa ter, até junho, pelo menos 10% na pesquisa espontânea, além de 15% no cenário estimulado. Só assim, Ciro teria chances de receber apoio do PSD e de outros partidos, o que garantia mais tempo de TV e dinheiro.

“Nenhum partido vai fazer aliança com um candidato como o Ciro se ele não chegar, no início de junho, a 15%, 16%. Não é fácil, com menos de 15%, conseguir alcançar o Bolsonaro. Bolsonaro e Lula estão com votos muito consolidados”, comentou o presidente do PSD.

Após ficar sem nomes relevantes para a disputa presidencial, Kassab revelou que o partido caminha para não ter candidatura, de maneira que cada estado poderá ter a liberdade de fazer as alianças necessárias. Por outro lado, o ex-ministro bateu o martelo: Lula e Bolsonaro não terão o apoio da legenda no primeiro turno.

“O partido caminha para não ter candidatura. Estamos consultando cada estado, cada liderança”, pontuou Kassab. “Eu acho que uma coligação com o Lula, no primeiro turno, é difícil. Também, com Bolsonaro, é difícil”, continuou.

Ruy reforça importância do piso salarial da enfermagem durante reunião com presidente da Câmara Federal

O deputado federal Ruy Carneiro (PSC) reforçou novamente nesta terça-feira (3), a importância da aprovação do piso salarial da enfermagem, durante visita ao presidente da Câmara Federal, Arthur Lira. O projeto de lei 2564/2020 está na pauta de votação desta semana e deve ser levado ao plenário amanhã (4).

“Mais uma vez venho reforçar meu apoio à toda categoria, destacando o reconhecimento profissional e chamando atenção para os reflexos positivos que serão gerados na melhoria dos serviços oferecidos à população. O presidente Arthur Lira me reafirmou que a votação do projeto vai ser realizada e finalmente está chegando o dia de se fazer justiça com aqueles que se esforçam, se dedicam e trabalham incansavelmente para salvar vidas.”, afirmou Ruy.

O parlamentar também reiterou a importância do diálogo permanente com os representantes das instituições e profissionais da saúde desde o início dessa luta. “Além de solicitar agilidade na avaliação e aprovação da matéria, também fizemos questão de conversar com representantes de vários hospitais, defendendo a relevância dessa conquista para a melhoria na qualidade dos atendimentos. Em breve, nós também temos que rever a situação das demais categorias da saúde, que também enfrentam muitas dificuldades”, finalizou.

Em dezembro do ano passado, Ruy Carneiro já havia solicitado, através do requerimento 2782/2021, a inclusão do projeto de lei na pauta da Câmara. O PL 2564/2020, que cria o piso salarial da enfermagem brasileira, teve o pedido de urgência aprovado no plenário da Câmara dos Deputados no dia 22 de março deste ano, com 458 votos favoráveis e apenas 10 contrários.

OAB-PB, ABRACRIM e ANACRIM unem forças em prol da advocacia criminal na Paraíba

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Paraíba (OAB-PB), através da Comissão de Justiça Criminal, realizou, na tarde desta segunda-feira (02), plenária para debater os desafios da advocacia criminal na Paraíba. O evento, intitulado de I Plenária da Advocacia Criminal, aconteceu de forma híbrida, no auditório da OAB-PB e foi transmitido ao vivo pelo Zoom.

A plenária foi comandada pelo presidente da OAB-PB, Harrison Targino, e pelo presidente da Comissão de Justiça Criminal, Junior Moura. Vários advogados e advogadas participaram do debate.

Também compuseram a mesa da solenidade o presidente em exercício da Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas (ABRACRIM), Sheyner Asfora; o presidente da ABRACRIM na Paraíba, Rafael Vilhena; o vice-presidente da ANACRIM-PB, Rafael Simões; o presidente em exercício da Comissão de Prerrogativas da OAB-PB, Joaquim Lorenzoni; o presidente da Comissão de Execução Penal, Daniel Alisson; a vice-presidente da Comissão de Justiça Criminal da OAB-PB, Erika Bruns; e o diretor regional do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), Carlos Aquino.


O presidente da OAB-PB, Harrison Targino, destacou que a advocacia criminal é o ramo do Direito que mais perto está possibilidade de violência e virulência contras prerrogativas da advocacia. “Quem é advogado e advogada criminal sabe muito bem que seu atuar está no limiar próximo de sofrer afetação a sua liberdade de atuação de qualquer autoridade que se arvoram na condição do poder estatal, por isso a advocacia criminal merecem um cuidado especial”, disse.

Harrison também ressaltou a importância de abrir as portas da Instituição para os advogados militantes e se unir com as associações representativas da advocacia criminal e fortalecer a todos no que tange a pontos comuns. “Dilemas não nos faltam, a exemplo de audiências, visitas em presídios, unificação cartorária, enfim, o que está na pauta de nossas preocupações. Por isso quero transmitir a vocês uma só certeza: ao tempo em que estivermos na presidência da OAB-PB estaremos extremamente atentos à defesa das prerrogativas da advocacia”, afirmou.

O presidente da Comissão de Justiça Criminal, Junior Moura, destacou que o principal objetivo do evento foi ouvir a advocacia. “É importante que cada advogada diga qual é o principal problema que a advocacia criminal enfrenta nesse período pós pandemia. Se é a audiência virtual, por zoom, se as sessões da Câmara Criminal devem ser apenas presencias ou híbrida. Enfim, tudo isso a OAB-PB precisa escutar e dizer junto aos poderes como a advocacia criminal se posiciona”, afirmou.

O presidente em exercício da ABRACRIM Nacional, Sheyner Asfora, parabenizou a OAB-PB pela primeira plenária para ouvir a advocacia criminal. “É um momento histórico, onde a OAB da Paraíba convoca a classe para discutirmos os problemas, os dilemas da advocacia criminal e também dar oportunidades para apresentarmos sugestões e propostas para que a OAB-PB, juntamente com a ABRACRIM e ANACRIM, possa dar encaminhamento às reivindicações da classe. Estamos juntos para lutarmos de forma unida em defesa dos interesses da advocacia criminal”, afirmou.

Além dos ocupantes da mesa, muitos dos presentes, tanto de forma física, quanto remota, puderam apresentar seus reclames e sugestões com vistas a melhorar o trabalho da advocacia criminal na Paraíba. “Vamos construir juntos nossas bandeiras comuns”, conclui o presidente Harrison Targino.