Campina

Bolsonaro escala Flávio para desarticular CPI que investigaria ministros do STF e frustra bolsonaristas

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on pinterest
Share on whatsapp

O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) recebeu do presidente nacional do partido, deputado Luciano Bivar (PE), pedido para entrar na articulação contra a criação da CPI da Lava Toga. O filho do presidente Jair Bolsonaro é o único dos quatro senadores do PSL que não assinou a petição pela abertura da comissão. O argumento é a suposta ilegalidade do inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal para investigar ameaças contra magistrados.

A tentativa de desarticular a CPI desagrada a base aliada, que não acompanha o movimento de Jair Bolsonaro. Demonstrando flertar com golpe contra as instituições, o vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ) afirmou que “por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos”. “Como meu pai, também estou muito tranquilo e o poder jamais me seduziu”, disse numa sequência de tuítes (confira aqui).

Flávio Bolsonaro passou a entrar na mira do Judiciário após o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificar movimentações milionárias e atípicas de R$ 7 milhões de 2014 a 2017 por parte de Fabrício Queiroz, assessor o atual senador quando o parlamentar era depuado estadual no Rio. Queiroz liderava um esquema de lavagem de dinheiro. Recentemente, o presidente do STF, Dias Toffoli, suspendeu as invetigações contra o filho de Bolsonaro ao proibir o compartilhamento de dados pelo Coaf sem prévia autorização judicial.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), lidera as articulações para barrar a CPI e classificou a tentativa de criação da comissão como inconstitucional.

“Se há entendimento de que a comissão não pode investigar decisão judicial, como vou passar por cima disso?”, questionou. Os relatos forma publicados no jornal O Estado de S.Paulo.

De acordo cokm Luciano Bivar, a CPI é “uma afronta ao Poder Judiciárioo”. “Precisa-se fazer um entendimento melhor do que fazer uma CPI, isso não faz sentido”, disse o presidente da legenda, acrescentando que é preciso “apostar na governabilidade no nosso país.”

Comentar com Facebook

Comentários

Notícias relacionadas
"A corrupção não é algo brasileiro, mas a impunidade é uma coisa muita nossa", diz Nilvan Ferreira sobre decisão do STJ a favor do ex-presidiário Ricardo Coutinho

"A corrupção não é algo brasileiro, mas a impunidade é uma coisa muita nossa", diz Nilvan Ferreira sobre decisão do STJ a favor do ex-presidiário Ricardo Coutinho

Pré-candidato a prefeito de João Pessoa, o comunicador Nilvan Ferreira comentou a decisão do STJ que manteve o ex-presidiário Ricardo…
Livânia Farias nega pressão do Gaeco por delação premiada

Livânia Farias nega pressão do Gaeco por delação premiada

A ex-secretária de Administração do Estado, Livânia Farias, divulgou carta nesta terça-feira (18), na qual nega pressão do Ministério Público…
STJ mantém o Sérgio Cabral da Paraíba em liberdade

STJ mantém o Sérgio Cabral da Paraíba em liberdade

Por 4 votos a 1, a Sexta Turma do STJ manteve a liminar concedida em dezembro por Napoleão Nunes Maia…
STJ começa a julgar pedido para prender Ricardo Coutinho novamente

STJ começa a julgar pedido para prender Ricardo Coutinho novamente

A Sexta Turma do STJ iniciou o julgamento de um recurso da PGR para derrubar a decisão do ministro Napoleão…

Siga-nos Facebook

Santa Rita