pmjp2

FGV: Gestão de Cartaxo é considerada uma das mais transparentes do Brasil; Governo Ricardo fica na lanterna

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on pinterest
Share on whatsapp

Uma das apostas do governador Ricardo Coutinho para eleger seu sucessor, em 2018, será a comparação entre governos. Mas ele terá dificuldades em impor sua narrativa. Além de seus números como prefeito já terem sido superados por Luciano Cartaxo, como construção de casas, creches e obras; Ricardo Coutinho também é superado num quesito de extrema importância numa democracia: a transparência pública.

Estudos realizados em todo o país pela ONG Transparência Brasil e pela Fundação Getúlio Vargas, divulgados nacionalmente, colocam o Governo da Paraíba e a Prefeitura de João Pessoa em posições completamente diferentes em relação à transparência das ações e dos gastos públicos. Enquanto a gestão Luciano Cartaxo é apontada como uma das mais transparentes do Brasil, segundo as duas instituições, o governo Ricardo Coutinho figura nas últimas colocações entre os Estados da Federação.

João Pessoa acaba de ser apontada como primeiro lugar no Nordeste e terceira melhor posicionada entre as capitais brasileiras, conforme o ranking do Índice Geral de Transparência Ativa, elaborado pelos professores da Fundação Getúlio Vargas. Levando-se em consideração os mesmos quesitos avaliados pela FGV no estudo sobre as prefeituras, o Governo da Paraíba ficou em penúltimo lugar entre os Estados, à frente apenas de Sergipe e logo atrás do Mato Grosso, Amazonas e Acre.

O índice de transparência é fruto do estudo denominado “Transparência Local no Brasil: Avaliando a Aplicação da Lei de Acesso nos estados e nas grandes cidades”. O trabalho foi organizado pelo professor Gregory Michener, um canadense naturalizado brasileiro, com mestrado e doutorado pela universidade do Texas, nos Estados Unidos, e membro da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas (EBAPE), da FGV.

Em outro trabalho respeitado nessa área, a Transparência Brasil fez uma avaliação do cumprimento da Lei de Acesso à Informação em 206 órgãos públicos de todo o país. João Pessoa figura entre as três melhores colocadas, ao lado de Recife (PE) e Vitória (ES). O governo da Paraíba sequer pontua no relatório da Transparência Brasil por não atender às solicitações feitas.

Foram avaliados pelos técnicos da ONG itens como respostas aos pedidos de informação apresentados por cidadãos, instituições ou parlamentares, o deferimento destas respostas, o recurso, a anonimização (tornar anônimo) e os envios de anexos solicitados. Dos 206 órgãos públicos avaliados, apenas dez se aproximam mais da posição alcançada pela Prefeitura de João Pessoa. A capital paraibana também tem sido apontada como uma das mais transparentes do Brasil por instituições como a Controladoria Geral do Município e o Ministério Público Federal.

Comentar com Facebook

Comentários

Notícias relacionadas
Câmara de gás da PRF de Bolsonaro e a banalização da morte em dias sombrios

Câmara de gás da PRF de Bolsonaro e a banalização da morte em dias sombrios

É conhecida a frase de Pedro Aleixo, então vice-presidente, quando Costa e Silva decidiu baixar o AI-5, no dia 13 de…
Criação de vara criminal para julgamento de organizações criminosas deve agilizar condenação dos membros da Orcrim Girassol

Criação de vara criminal para julgamento de organizações criminosas deve agilizar condenação dos membros da Orcrim Girassol

A famosa Orcrim Girassol – desbaratada no âmbito da Operação Calvário e acusada pelo Ministério Público de desviar quase meio…
Paraibana usa a guerra na Ucrânia como trampolim político e quer disputar o Senado

Paraibana usa a guerra na Ucrânia como trampolim político e quer disputar o Senado

Confesso que já vi de tudo na política quando o assunto é candidatura. Tem palhaço, ex-BBB, dona de cabaré, ladrão,…
Isolado no MDB, Veneziano só vai ficar com a sede da Beira Rio

Isolado no MDB, Veneziano só vai ficar com a sede da Beira Rio

O senador Veneziano Vital, pré-candidato ao governo, vive um momento sui generis no comando do MDB. O partido foi esvaziado…

Siga-nos Facebook