LARANJA? Paraibana que recebeu meio milhão do PT e R$ 150 mil do PROS, obteve apenas 737 votos para deputada estadual

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on pinterest
Share on whatsapp

Em tempos de laranjas, o Ministério Público Eleitoral precisa investigar a disparidade entre as doações recebidas pela campanha da ex-candidata a deputada estadual, Malu Vinagre, e a votação por ela obtida, apenas 737 votos.

Malu nunca disputou uma eleição, mas já na primeira campanha, abocanhou R$ 650 mil reais do fundo eleitoral; meio milhão do PT, mais R$ 150 mil do PROS, seu partido. O mais curioso é que ninguém viu campanha da candidata nas ruas de João Pessoa, seu “reduto eleitoral”, com 452 votos.

Mesmo assim, Malu Vinagre, que é irmã do ex-deputado federal André Amaral, declarou ter gasto R$ 209 mil com “atividades de militância e mobilização de rua”.

Apenas para fazer um comparativo, o deputado estadual Anísio Maia, que obteve 23 mil votos, gastou míseros R$ 116 mil em toda a campanha. Ou seja, apenas o custo que Malu Vinagre teve com “atividades de militância e mobilização de rua” daria pra bancar a campanha de Anísio e ainda sobraria troco.

Outro curiosidade, Malu Vinagre gastou R$ 40 mil com consultoria jurídica, sendo R$ 30 mil para Mayara Rangel Nascimento Sociedade de Advocacia e R$ 10 mil Johnson Abrantes – Sociedade de Advogados.

É inimaginável que uma candidatura proporcional tenha tanta demanda jurídica numa eleição. Nem candidatos a prefeito das médias e pequenas cidades paraibanas gastam tanto. E olhe que a demanda jurídica é bem maior numa eleição majoritária.

A justiça eleitoral precisar agir com rigor!

Estamos falando de dinheiro público, impostos do trabalhador brasileiro. O financiamento público de campanha é necessário, pois dá chance de competição aos candidatos menos abastados. Se não fosse o financiamento público, a democracia estaria nas mãos do capital, viraria uma “dinheirocracia” e o povo trabalhador não teria a mínima representação no poder executivo e legislativo.

O fundo eleitoral já é mal visto pela sociedade, e com exemplos assim, estaremos alimentando o discurso pelo fim do financiamento público.

 

 

 

 

Comentar com Facebook

Comentários

Notícias relacionadas
DESCEU REDONDO: Skol de Jeová Campos é destaque na imprensa nacional

DESCEU REDONDO: Skol de Jeová Campos é destaque na imprensa nacional

A cervejinha do deputado estadual Jeová Campos foi destaque no portal O Antagonista. Durante sessão da ALPB, nesta quarta, 03,…
"Prioridade é salvar vidas", diz Nonato Bandeira

"Prioridade é salvar vidas", diz Nonato Bandeira

Apesar da saída de auxiliares do governo João Azevedo devido ao calendário eleitoral, o secretário de Comunicação, Nonato Bandeira, reafirmou…
DNIT agradece empenho de Efraim Filho nas obras da BR-426

DNIT agradece empenho de Efraim Filho nas obras da BR-426

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) finalizou, nesta quarta-feira (03), a obra de implantação e pavimentação dos 7,7…
Berg Lima antecipou pagamento de empresa do lixo, mas não pagou aposentados

Berg Lima antecipou pagamento de empresa do lixo, mas não pagou aposentados

Os aposentados de Bayeux estão com salários atrasados porque o prefeito afastado Berg Lima preferiu antecipar o pagamento da empresa…

Siga-nos Facebook