Membros do Conselho do MPF pedem investigação de Deltan Dallagnol por conversas com Moro

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on pinterest
Share on whatsapp

RIO — Integrantes do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) pediram nesta segunda-feira que o órgão investigue as conversas entre o coordenador da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, e o ministro da Justiça, Sergio Moro, ex-responsável por julgar ações da operação em primeira instância. Neste domingo, o site The Intercept Brasil divulgou mensagens extraídas do aplicativo Telegram que sugerem atuações combinadas entre os dois. Conforme reportou a colunista do GLOBO Bela Megale , o pedido de apuração foi apresentado à Corregedoria do Ministério Público Federal.

Um dos conselheiros que assina o pedido, Erick Venâncio, ressaltou a necessidade de apurar a troca de mensagens, mas disse ainda ser cedo para afirmar se Dallagnol responderá a um processo disciplinar. Além dele, apoiam a investigação no documento os conselheiros Gustavo Rocha, indicado pela Câmara, Luiz Fernando Bandeira de Mello, pelo Senado. O objetivo é que o CNMP apure se o coordenador da força-tarefa cometeu atos ilícitos na Lava-Jato e se agiu com viés ou motivação política.

Mensagens atribuídas ao procurador Dallagnol e Moro mostram os dois combinando atuações enquanto trabalharam na operação Lava-Jato. A reportagem  ainda cita mensagens entre os procuradores nas quais eles teriam discutido no aplicativo Telegram uma maneira de barrar a entrevista  do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva autorizada por um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

O Globo

Comentar com Facebook

Comentários

Últimas notícias

Opinião

Mais lidas