Operação Calvário realiza escavações em sítio de operadora da propina e encontra agenda, notebook e itens de luxo

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on pinterest
Share on whatsapp

Sapatos Christian Louboutin de Paris, bolsas Louis Vuitton, óculos Armani, notebooks, celulares, CDs e… agendas. Os achados arqueológicos encontrados pelo Gaeco nas escavações realizadas em propriedade de Maria Laura Caldas de Almeida Carneiro, no assentamento Nego Fuba (Santa Terezinha), revelam como eram dilapidados os recursos públicos desviados da Cruz Vermelha gaúcha.

Sapatos Loubotin estão entre os dez mais caros do mundo. Os mais baratos custam em torno de US$ 3 mil. Bolsas da Louis Vuitton não saem por menos. Óculos Armani são os mais procuradores pelas estrelas de Hollywood e são igualmente caros. Um ultrabook Lenovo, como o encontrado nas escavações não saem por menos de US$ 2,5 mil. Ou seja, uma pequena fortuna. Pra quem tem bom gosto e dinheiro pra gastar.

Mas, apesar da pequena fortuna gasta na grife, a maior riqueza está nas agendas, uma delas da construtora Queiróz Galvão, na qual, numa primeira vista, a força tarefa encontrou informações mais do que preciosas, com esquema de pagamentos, datas, valores, nomes e tudo o mais. Uma radiografia de como Laura, que era apenas uma das operadoras, exercia sua função dentro da organização criminosa.

Laura, conforme as primeiras investigações, comprou um lote no assentamento Nego Fuba, próximo a Patos, para realizar encontros com outros integrantes do esquema criminoso e, segundo as investigações, também esconder dinheiro, pertences e documentos. O esquema criminoso, como se sabe, movimentou mais de R$ 1,1 bilhão nos contratos com a Cruz Vermelha gaúcha e outras organizações sociais.

Prisão – Laura foi presa na Operação Calvário IV, em 30 de abril, e permanece detida, enquanto negocia os temos de uma colaboração premiada com o Gaeco e a Justiça. Foi numa casa de Laura, no conjunto Costa e Silva, em João Pessoa, que a força tarefa encontrou fitas de papel utilizadas para acomodar maços de dinheiro que, segundo as investigações, foram retirados às pressas do local, com o início da operação.

Helder Moura

Comentar com Facebook

Comentários

Notícias relacionadas
Ricardo Coutinho foge de entrevista na Correio FM

Ricardo Coutinho foge de entrevista na Correio FM

Esqueçam aquele Ricardo Coutinho destemido e metido a brabo, que prometia surras de cipó na oposição. Depois de ser preso…
STJ nega pedido de Coriolano para trabalhar vendendo “batatas” e “gado”

STJ nega pedido de Coriolano para trabalhar vendendo “batatas” e “gado”

A ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou habeas corpus impetrado pela defesa de Coriolano Coutinho para…
CADÊ O DINHEIRO? Gestão de Marcelo Monteiro já arrecadou quase R$ 300 milhões, mas Lucena continua abandonada

CADÊ O DINHEIRO? Gestão de Marcelo Monteiro já arrecadou quase R$ 300 milhões, mas Lucena continua abandonada

Prestes a completar 8 anos de mandato, o prefeito de Lucena, Marcelo Monteiro, não pode reclamar de falta de dinheiro.…

Siga-nos Facebook