Parecer do Ministério Público revela que Ricardo Coutinho contratou quase 10 mil codificados e prestadores de serviço entre maio e dezembro de 2014

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on pinterest
Share on whatsapp

O parecer do Ministério Público Eleitoral, que pede a cassação e inelegibilidade do ex-governador Ricardo Coutinho pelo uso da máquina pública na eleição, revela que entre os meses de maio e dezembro de 2014, o ex-governador contratou 9.731 codificados (contratados por CPF e que recebiam fora da folha de pessoal) e prestadores de serviço.

Confira um trecho do parecer:

A partir das informações constantes da tabela, e com relação apenas aos “CODIFICADOS”72 e aos prestadores de serviços, verifica-se, de maio a dezembro de 2014, um total de 9.731 admissões e de 8.449 desligamentos, ou seja, cerca de 86,82% de alterações no quadro a partir de maio de 2014. Já levando em consideração o período de julho a outubro, compreendendo o início do período vedado por lei e as eleições, a distorção é maior, atingindo a variação de
87,23%.

O contundente parecer do Ministério Publico, com mais de 200 páginas e farto conteúdo probatório, inclusive da Controladoria Geral do Estado, pede a cassação de Ricardo Coutinho, com fins de inelegibilidade, já que a Aije passou 5 anos nas gavetas do TRE e o mandato chegou ao fim:

O procurador da República pontua: “Restam plenamente configuradas as condutas vedadas pelo art. 73, V e VI, “b”, da Lei das Eleições, e o abuso de poder político em virtude, respectivamente, da massiva movimentação, com admissões e desligamentos, no quadro de pessoal do Estado da Paraíba, por motivação política, durante o ano de 2014, inclusive no período eleitoral, e pela distribuição de grande quantidade de material escolar contendo publicidade institucional do Governo do Estado durante o período eleitoral; além do abuso de poder político através do uso indevido da máquina estatal para a realização, durante o período eleitoral, de reuniões político eleitorais denominadas “Plenárias de Cultura”, e, ainda, o abuso de poder político e econômico através do programa social EMPREENDER – PB, durante o ano de 2014.”

Comentar com Facebook

Comentários

Notícias relacionadas
Ruy, Raoni, Anísio e Nilvan vencem debate da TV Arapuan; Edilma mostrou conteúdo, mas errou na forma

Ruy, Raoni, Anísio e Nilvan vencem debate da TV Arapuan; Edilma mostrou conteúdo, mas errou na forma

O primeiro debate entre os candidatos a prefeito de João Pessoa, realizado pela TV Arapuan, foi muito bem organizado, como…
Aliada do corrupto Berg Lima, prefeita de Bayeux anuncia um capitão como vice

Aliada do corrupto Berg Lima, prefeita de Bayeux anuncia um capitão como vice

Aliada do corrupto Berg Lima, que renunciou ao mandato para derrubar o então prefeito interino Jeferson Kita, a prefeita de…
Em áudio, Ruy dá o tom da campanha contra Ricardo: "quem rouba, mente"

Em áudio, Ruy dá o tom da campanha contra Ricardo: "quem rouba, mente"

Pré-candidato a prefeito de João Pessoa, Ruy Carneiro recebeu com ironia e de forma dura as declarações do ex-presidiário Ricardo…
Após intervenção, executiva municipal do PT emite resolução sobre candidatura de Anísio Maia

Após intervenção, executiva municipal do PT emite resolução sobre candidatura de Anísio Maia

Em resolução aprovada nesta quinta, 17, a executiva municipal do PT afirma que vai recorrer da decisão da nacional contra…

Siga-nos Facebook