Santa Rita

PGR nomeia seis procuradores para o Gaeco do MPF na Paraíba

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on pinterest
Share on whatsapp
Depois de aprovado no início deste mês pelo Conselho Superior do Ministério Público Federal, o procurador-geral da República Augusto Aras nomeou, nesta quarta-feira (12), seis procuradores para atuar no Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPF na Paraíba. Trata-se de Tiago Misael (coordenador, que atua na região de Patos-PB), Victor Veggi e Antônio Edílio Magalhães (que atuam na região da capital João Pessoa), além de Bruno Barros e Bruno Galvão (Campina Grande-PB) e João Raphael (de Guarabira-PB).

Dentre as atribuições do Gaeco-MPF/PB, está o de prestar auxílio aos procuradores naturais na investigação e persecução de crimes praticados por organizações criminosas e na eventual repercussão civil na improbidade administrativa desses crimes; atuar nos casos em que o procurador-geral da República determinar a intervenção, em virtude de incidente de segurança envolvendo membros ou servidores; e proceder à coleta e análise de informações de inteligência.

Segundo o coordenador Tiago Misael, “a criação do Gaeco-MPF/PB vem ao encontro da aspiração de diversos procuradores da República que crescentemente se ressentem de uma atuação integrada e coordenada na investigação e persecução penal da criminalidade organizada que, não raras vezes, renova-se em esquemas cada vez mais sofisticados”.

“Atuando de forma isolada, em ilhas de investigação e persecução, cada procurador da República somente possui conhecimento sobre os fatos que existem no seu âmbito de atribuição, nunca acessando o panorama completo e, às vezes, contentando-se com sucessos parciais que somente atingem os níveis mais baixos da hierarquia criminosa. Atuando dessa forma, o MPF dificilmente chegará ao topo das organizações e estará, apenas parcialmente, cumprindo sua missão constitucional”, destacou Tiago Misael.

“No caso particular da Paraíba, tem-se assistido, há mais de uma década, a sucessão de casos de corrupção atrelados a esquemas muito bem organizados de criminalidade do colarinho branco”, acrescentou o coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MPF na Paraíba.

Primeira reunião – A primeira reunião do Gaeco-MPF/PB será realizada nesta sexta-feira (14) na sede do MPF em João Pessoa. O encontro servirá para os seis procuradores nomeados traçarem metas e planejarem a atuação do grupo para os próximos dois anos. Além da Paraíba, outra unidade do MPF que possui Gaeco é Minas Gerais.

Comentar com Facebook

Comentários

Notícias relacionadas
Dinheiro da Fundação Mangabeira, do PSB, pode estar sendo utilizado para comprar ataques à Operação Calvário na imprensa

Dinheiro da Fundação Mangabeira, do PSB, pode estar sendo utilizado para comprar ataques à Operação Calvário na imprensa

O blog foi informado que alguns poucos portais e blogs que ainda defendem o ex-governador Ricardo Coutinho estariam recebendo recursos…
Presidente da ALPB determina arquivamento de pedido de impeachment contra governador e vice

Presidente da ALPB determina arquivamento de pedido de impeachment contra governador e vice

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o deputado Adriano Galdino, determinou, com base em parecer da Procuradoria Jurídica da Casa…
CPI da Energisa deve ser instalada na Assembleia Legislativa da Paraíba

CPI da Energisa deve ser instalada na Assembleia Legislativa da Paraíba

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) deverá aprovar nas próximas semanas a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI)…
"A corrupção não é algo brasileiro, mas a impunidade é uma coisa muita nossa", diz Nilvan Ferreira sobre decisão do STJ a favor do ex-presidiário Ricardo Coutinho

"A corrupção não é algo brasileiro, mas a impunidade é uma coisa muita nossa", diz Nilvan Ferreira sobre decisão do STJ a favor do ex-presidiário Ricardo Coutinho

Pré-candidato a prefeito de João Pessoa, o comunicador Nilvan Ferreira comentou a decisão do STJ que manteve o ex-presidiário Ricardo…

Siga-nos Facebook

Campina