“Prefiro ser cassado, mas não perco a eleição para Cássio”, teria dito Ricardo Coutinho em 2014

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on pinterest
Share on whatsapp

Um auxiliar do ex-governador Ricardo Coutinho confidenciou ao blog que o então candidato à reeleição foi alertado em 2014 que o uso da máquina pública na campanha juntamente com o abuso do poder econômico poderia terminar em cassação do mandato.

Ricardo não tinha digerido o divórcio de Cássio e levou a eleição para o lado pessoal. Segundo o ex-auxiliar, RC teria dito: “Prefiro ser cassado, mas não perco a eleição para Cássio”. A frase teria sido dita quando Ricardo Coutinho estava 20 pontos atrás de Cássio, ainda no 1° turno.

Entrei em contato com o ex-governador para checar a veracidade da frase, mas fui bloqueado no WhatsApp.

A famosa Aije do Empreender, que cochilava no TRE há cinco anos, finalmente começará a ser julgada nesta quinta-feira, 11. No entanto, a Aije vai além do programa Empreender, envolvendo outras práticas que embasaram o pedido de cassação por parte do Ministério Público Eleitoral:

1 – Uso indevido  da máquina pública para realização, durante o período eleitoral, de reuniões político-eleitorais, promovidas pelo Governo, através da Secretaria de Cultura, denominadas “Plenárias da Cultura”;

2 – Distribuição gratuita de material escolar, que deveria ocorrer em janeiro, ocorreu em julho, agosto e setembro, em pleno período eleitoral de 340 mil kits escolares, contendo publicidade  institucional do Governo do estado;

3 – Movimentação de pessoal, demissões e contratações, inclusive “codificados” em todas as regiões do estado, claramente por motivação política, no ano de 2014, inclusive no período eleitoral;

4 – Abuso de poder político e econômico através do programa social Empreender, durante o ano de 2014, inclusive no período eleitoral.

EXÉRCITO GIRASSOL: Perícia judicial do Ministério Público encontrou 27 mil CPF’s recebendo salários fora da folha de pessoal, entre 2013 e 2014, na gestão de Ricardo Coutinho

 

Comentar com Facebook

Comentários

Notícias relacionadas

Entre os 'paraíbas' e Bolsonaro, Julian Lemos ficou com o poder que não tem

Entre os 'paraíbas' e Bolsonaro, Julian Lemos ficou com o poder que não tem

Julian Lemos foi escorraçado e humilhado pelos filhos do presidente Bolsonaro, mas continua fiel. Porém, distante do núcleo duro do…
61,2% dos paraibanos reprovam governo de Bolsonaro; 50% avaliam como RUIM ou PÉSSIMO

61,2% dos paraibanos reprovam governo de Bolsonaro; 50% avaliam como RUIM ou PÉSSIMO

Pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 22, pelo Instituto Opinião, mostra que a avaliação do governo de Jair Bolsonaro vai de mal…
Temer afirma que Bolsonaro é a sua continuidade

Temer afirma que Bolsonaro é a sua continuidade

Após ter chegado à presidência da República em 2016 por causa de um golpe contra a então presidente Dilma Rousseff,…