Mais econômico que Gervásio Maia, Adriano Galdino vai poupar R$ 2 milhões em 4 anos com locação de carros

Semanas atrás fizemos uma denúncia sobre a farra com locação de carros na gestão do ex-presidente da ALPB, Gervásio Maia. Um levantamento realizado pelo blog no site do Tribunal de Contas do Estado revelou que apenas no ano de 2018 a Assembleia gastou a fortuna de R$ 1.855, 000,00 (um milhão oitocentos e cinquenta e cinco mil reais) com três locadoras: M3 Rent A Car Locadora De Veiculos Ltda, Localiza Rent A Car Sa e Talentos Locadora De Veiculos Ltda Me:

Para sorte dos cofres públicos, o contrato não foi renovado pelo presidente Adriano Galdino, que realizou novo processo licitatório e vai economizar quase R$ 50 mil por mês em relação ao que está sendo pago atualmente. Uma economia de R$ 590.280,00 por ano. Mais de R$ 2 milhões até o final do segundo biênio de Adriano Galdino, em 2023.

Uma atitude que deveria ser corriqueira, ainda mais em tempos de crise econômica.

Além do mais, o número de automóveis locados passará de 26 para 30 carros. A economia se dará devido a mudança nos modelos dos veículos, que continuarão atendendo com conforto e segurança aos setores da Casa, mas implicarão num custo menor do contrato.

“A ordem é cortar custos. Vamos diminuir os gastos e fazer um trabalho que a gente possa dar as respostas que o povo da Paraíba quer”, ressaltou o presidente Adriano Galdino.

Os funcionários e parlamentares parabenizaram a iniciativa da Mesa Diretora, através do presidente Adriano Galdino, que tem realizado esforços para diminuir gastos. Atualmente, a ALPB tem 26 veículos locados no valor mensal de R$ 167.690,00. Com o novo contrato, a Assembleia Legislativa vai poder contar com 30 veículos no valor de R$ 118.500. “Ou seja, teremos uma economia mensal de 49.190,00 reais por mês e anual de 590.280,00″, explicou o presidente da Comissão de Licitação, Renato Caldas Lins Júnior.

De acordo com Renato Lins, atualmente a Casa possui contrato com três empresas de veículos que atendem as demandas. “Esses contratos estão em fase de vencimento e o objetivo é que a ALPB possa economizar os gastos com os automóveis. Vamos ter uma redução de praticamente 30% no valor atualmente gasto com locação de veículos. Estamos realizando todos os esforços necessários para melhorar os custos e o trabalho feito aqui na Assembleia”, disse o presidente da Comissão de Licitação.

Desde que assumiu a presidência do Legislativo Estadual no início do ano, o deputado Adriano Galdino vem realizando ações que visam fazer uma grande reforma administrativa para otimizar os trabalhos na Casa. O presidente afirmou que a prioridade é se adaptar ao cenário de crise estadual e nacional. Galdino já tem feito redução de gastos em outros setores, como nos gabinetes dos deputados e também nas secretarias da Casa.

Polítika com ALPB.

MORDOMIA: Em apenas um ano, gestão de Gervásio Maia na ALPB gastou quase R$ 2 milhões com locação de carros para os deputados

Será que a ORCRIM girassol também está grampeando o presidente da Assembleia Legislativa?

O presidente Adriano Galdino precisa solicitar uma varredura da Polícia Federal em seu gabinete, como fez em 2011, o ex-presidente Ricardo Marcelo:

Galdino contrariou recentemente Ricardo Coutinho, o governador de fato, que trabalhou para eleger Hervázio Bezerra no segundo biênio.

Apesar de ser um girassol, Galdino nunca contou com a confiança irrestrita dentro da cúpula e pode estar sendo vítima da tradicional arapongagem dos socialistas.

Cautela e canja de galinha não faz mal a ninguém…

CPI DA CRUZ VERMELHA: Notícia de 2018 mostra Cida Ramos elogiando acessibilidade da ALPB, o que comprova manobra de Galdino para abafar escândalo de corrupção

É de se lamentar que o PSB e o presidente da Assembleia Legislativa usem a deficiência física da professora Cida Ramos – pessoa que admiro muito, desde os tempos da UFPB – como pretexto para suspender os trabalhados da Assembleia Legislativa por 15 dias. Recesso este que deverá ser imprensado com o Carnaval. Ou seja, debate sobre a CPI da Cruz Vermelha e a Operação Calvário só em março!

Em dezembro do ano passado, a própria parlamentar rasgou elogios à reforma realizada pelo ex-presidente Gervásio Maia:

Matéria veiculado em 27 dezembro de 2018 no portal Paraíba On Line:

A professora Cida Ramos, deputada diplomada para o primeiro mandato e primeira mulher deficiente a assumir um cargo na Assembleia Legislativa, elogiou a iniciativa do presidente da Casa, Gervásio Maia (PSB), que promoveu acessibilidade ao deficiente físico, auditivo e visual com as reformas no prédio do Poder Legislativo, que ficou agora totalmente adaptado às necessidades desse segmento da população paraibana.

(…)

Para a deputada, foram bastante relevantes as adaptações o que significa que a o Legislativo está democratizando o acesso, cumprindo um direito elementar das pessoas com deficiência puderam opinar e viver a vida pública da cidade e do Estado.

O que mudou de dezembro pra cá? Certamente é o medo da CPI da Cruz Vermelha e o constrangimento de Adriano Galdino em ter que barrar mais um inquérito contra o esquema do governo.

E mesmo que a reforma fosse necessária, precisaria de 15 dias para fazer ajustes na acessibilidade ao plenário da ALPB? Até o próprio Gervásio Maia ficou indignado com a manobra que desqualifica sua gestão:

“Chama um marceneiro, corta lá 20 centímetros da altura do púlpito, da tribuna, e o assunto está resolvido”, ironizou.

De acordo com o deputado, antes não tinha elevador para cadeirante, não tinha sinalização em braile, não tinha botão de pânico nos banheiros, não tinha nada. “Fizemos tudo. Não precisava dessa zoada toda que está se fazendo. O quesito acessibilidade foi tratado com muito respeito, até por que eu conheço a legislação e procurei fazer com que o projeto arquitetônico verificasse isso” disse Gervásio.

 

Com medo da CPI da Cruz Vermelha, Adriano Galdino suspende trabalhos na Assembleia Legislativa por 15 dias

Não é porque o deputado Adriano Galdino passou a rasteira em Ricardo Coutinho para se eleger presidente da Assembleia, no segundo biênio, que ele vai deixar de ser aliado de primeira hora. Galdino já está mostrando serviço e suspendeu por 15 dias os trabalhos da Casa, pois tem medo da CPI da Cruz Vermelha e quer deixar a poeira baixar.

O deputado usou um subterfugio para justificar tal medida, alegando que a ALPB não possui a acessibilidade necessária para garantir o acesso da deputada Cida Ramos, mesmo passando por uma imensa reforma no ano passado, e mais duas na gestão de Ricardo Marcelo.

O histórico de Adriano Galdino nos revela bem a sua verdadeira intenção. Na sua primeira gestão à frente da ALPB o deputado barrou todas as CPI’s da oposição. Juntamente com o governador Ricardo Coutinho, articulou CPI’s “chapa-branca” que nunca resultaram em nada, apenas para impedir inquéritos importantes, como a que investigaria as denúncias de corrupção no programa Empreender.

A estratégia é deixar a poeira baixar, principalmente após a declaração do deputado Walber Virgolino a favor da CPI para investigar o maior esquema de corrupção da história da Paraíba.

O deputado estadual Raniery paulino chegou a propor que a ALPB realizasse sessões em outro ambiente, mas não teve êxito.

PRESIDÊNCIA DA ALPB: Histórico de bajulador foi crucial para a derrota de Hervázio Bezerra

Bajulador oficial do ex-governador Ricardo Coutinho, o deputado Hervázio Bezerra foi derrotado pelo seu próprio perfil. Hervázio representava uma Assembleia Legislativa submissa ao governo do estado, coisa que alguns deputados da base não concordam.

A defesa apaixonada que Hervázio fazia do governo Ricardo Coutinho também contribuiu para a sua rejeição, principalmente na oposição, onde o parlamentar comprou muitas brigas desnecessárias.

Desrespeitando as ordens de Ricardo Coutinho, Adriano Galdino e Tião souberam tirar proveito da situação.

 

 

SEM AUTONOMIA: Eleição para a presidência da Assembleia foi negociada no gabinete de João Azevedo

Em seu Art 2° a Constituição Federal garante a tripartição dos poderes ao prever que são poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário.

Mas na Paraíba a coisa é diferente. Aqui quem escolhe o presidente da Assembleia é o governador de plantão, que já decidiu pelos nomes de Adriano Galdino e Hervázio Bezerra.

Vai faltar autonomia e independência. Mas vai sobrar harmonia para o PSB.