Raoni Mendes demonstra grandeza política e elogia projeto de Cartaxo a favor dos autistas

São poucos os políticos que tem a grandeza de elogiar um adversário quando ele acerta. O ex-deputado estadual Raoni Mendes é um deles. Mesmo fazendo oposição ao prefeito Luciano Cartaxo, desde 2013, Raoni mostrou que realmente faz parte de uma nova geração de políticos e parabenizou o adversário.

Ontem, 09, o prefeito Luciano Cartaxo deu uma aula de como fazer política diante de um tema caro para população de João Pessoa.

Após ser alvo de críticas por vetar um Projeto de Lei com flagrante vício de origem, de autoria do vereador Tibério Limeira, o gestor chamou para si o feito a ordem e encaminhou para a Câmara um PL instituindo a realização do Censo de Inclusão da Pessoa Autista, com objetivo de mapear o perfil das pessoas com o Transtorno do Espectro Autista, bem como desenvolver políticas públicas.

A medida foi comemorada por pais de autistas, entidades ligadas ao tema, políticos aliados e até de adversários.

Gestos assim contribuem para que a política não vire um mata-mata, onde quem sempre acaba perdendo é a coletividade. É preciso destacar que o ex-governador Ricardo Coutinho, indo na contra-mão do bom senso, vetou o Projeto de Lei 1.350/2017, que determinava a inclusão do símbolo mundial do autismo em placas para sinalizar atendimento prioritário em estabelecimento públicos e privados do Estado.

O motivo do veto? Nenhum. Apenas porque o projeto tinha como autor o ex-deputado Bruno Cunha LIma.

À época, várias entidades que representam autistas e seus familiares na Paraíba emitiram nota contra o veto do governador Ricardo Coutinho. As entidades lamentaram a insensibilidade do governador e afirmaram, na nota, que se ele insistisse em manter o veto, iriam acionar os deputados estaduais para reverter a decisão.

Confira a íntegra da nota…

As entidades abaixo representadas vêm a público repudiar o veto do governador Ricardo Coutinho ao projeto de lei 1.350/2017, de autoria do deputado estadual Bruno Cunha Lima, que determina a inclusão do símbolo mundial do autismo nas placas que sinalizam atendimento prioritário em estabelecimentos públicos e privados na Paraíba.

As pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) já sofrem inúmeras dificuldades no seu dia a dia. A falta de assistência adequada para atender as suas necessidades – de saúde, educacional e social – só se agrava quando encontramos empecilhos como este, que impede que uma atitude simples traga benefícios valiosos aos portadores e seus familiares.

A atitude de não reconhecer a necessidade de inclusão do símbolo mundial do autismo como forma de garantir a plena execução de um direito já garantido na legislação federal é reflexo do desconhecimento da sociedade e de alguns de seus representantes públicos a respeito das dificuldades vivenciadas e das necessidades desse grupo (cada vez maior) de pessoas e de seus familiares e responsáveis.

Diferentemente do que acontece com outras síndromes e deficiências, o autismo não traz consigo nenhuma alteração morfológica que identifique o autista como tal, o que faz com que nossos direitos, além de não respeitados, não sejam conhecidos pela grande maioria das pessoas, que muitas vezes não sabem o que significa e qual o impacto do autismo na vida das famílias.

Por isso, apelamos par que o governador Ricardo Coutinho nos receba em audiência e considere rever o veto dado ao projeto. Porém, se mesmo assim decidir mantê-lo, iniciaremos uma luta para pedir aos deputados estaduais paraibanos que derrubem o veto do Executivo.  

Contamos com a sensibilidade, bom senso e respeito aos autistas e seus familiares.

– AMA – Associação de Amigos do Autista de Campina Grande

– ACPA – Associação Campinense de Pais de Autistas

–  IVAP – Instituto Vida Autismo da Paraiba

– AMPARA – Associação de Mães e Pais de Autistas

 – MOAB – Movimento Orgulho Autista Brasil”