Candidatura de Cássio é a única capaz de impedir racha em Campina Grande

Bruno Cunha Lima, Tovar, Manoel Ludgério e Pedro Cunha Lima. O que eles têm em comum? Todos querem suceder o prefeito Romero Rodrigues em 2021. São quatro nomes fortes, com popularidade, serviço prestado e uma história com a cidade. E todos se acham no direito de pleitear uma candidatura, e com razão.

Nesse duelo de titãs há também muita vaidade, ciumeira e uma guerra-fria entre Bruno Cunha Lima e Tovar, este último considerado o queridinho de Romero Rodrigues.

É ingrediente de sobra pra provocar um racha que só vai beneficiar a oposição. É importante lembrar que Veneziano foi eleito, em 2014, a partir do racha entre Cozete e o grupo Cunha Lima. Igualmente como Cartaxo, em 2012, Veneziano viu a máquina municipal cair em seu colo, e venceu a eleição por uma diferença de 700 votos.

Cássio quer dar uma pausa na política, mas a sua candidatura a prefeito de Campina é a única capaz de botar um ponto final na disputa interna e manter a coesão do grupo e a continuidade de uma gestão muito bem avaliada.

E lógico, pavimentar sua volta ao Senado.