Cida Ramos diz que Virgolino e Cabo Gilberto tem fixação por Ricardo Coutinho

Após o deputado estadual Jeová Campos (PSB) criticar a obsessão do seu colega Wallber Virgolino em falar sempre do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), “cuspindo no prato que comeu”, foi a vez da deputada Cida Ramos falar sobre a “fixação” de deputados pelo ex-governador. Ela disse que se tratava de uma questão já da ordem psicológica, se referindo a Wallber e Cabo Gilberto Silva, que não foram citados nominalmente pela socialista.

“É impressionante como o governo Ricardo Coutinho foi tão forte ao ponto de causar um processo psicológico, de fixação, naqueles que nada têm a debater e a oferecer nesta Casa. É impressionante como um governo, que nem é mais governo, mas se torna referência para todas as falas que são colocadas por um ou outro deputado nesta Tribuna”, lamentou.

Cida disse ainda que os parlamentares, que batem sempre na tecla da Segurança Pública, têm memória curta porque a “fixação” por Ricardo é maior.

“O nome é doce, mas é doce na boca daqueles que não têm nada a dizer e que chegam aqui para repetidamente falar de um governo que mudou a face da Paraíba. Aqui, os que chegam para falar da Segurança, eles não se lembram de tempos atrás. A memória é tão fixada no governo Ricardo Coutinho, porque foi ele que conseguiu colocar salários, um dos melhores do Nordeste, que fez com que a polícia tivesse pneu, carro, armamento e a inteligência funcionasse. Como era há 10 anos? A memória é curta porque a fixação é longa”, arrematou.

ParaíbaJa

MODO PSB DE GOVERNAR: Cabo Gilberto denuncia que policiais estão recebendo apenas R$ 6 por hora trabalhada em dia de folga

O deputado Cabo Gilberto denunciou o descaso que estão fazendo com os policiais militares na Paraíba. “É inadmissível, é humilhante, é desrespeitoso com a dignidade da pessoa humana, o policial , devido a falta de efetivo, está sendo convocado para trabalhar durante a sua folga por R$ 6,00 a hora trabalhada. Não tem ser humano que suporte, nem a carga de trabalho, nem a miséria de salário”, denunciou o parlamentar.

A denúncia do deputado, que é cabo da Polícia Militar da Paraíba, foi feita após a publicação da convocação dos policiais que são obrigados, no segundo dia de folga, a deixar seu descanso, sua família, e ir trabalhar a R$ 6,00 por hora trabalhada, correndo risco de vida.

VÍDEO: Cabo Gilberto critica agressões à imprensa e diz que PSB é o partido mais corrupto da Paraíba

O deputado estadual Cabo Gilberto se solidarizou nesta quinta, 16, com os profissionais da imprensa que estão sendo vítimas de agressão por cobrir fatos sobre a Operação Calvário e a corrupção nos governos de Ricardo Coutinho:

 

Deputado Cabo Gilberto pede com urgência justificativa ao comandante Geral da PM sobre inconsistência no Curso de Formação de Oficiais

Desde a última sexta-feira, dia 10, foi entregue ao Comando Geral da Polícia Militar, ofício do gabinete do deputado estadual Cabo PM Gilberto Silva (PSL), pedindo, com urgência cópia dos exames toxicológicos, e justificativa do grande número de eliminação de concorrentes no Curso de Formação de Oficiais da Polícia Militar da Paraíba.

O Curso de Formação de Oficiais da Polícia Militar da Paraíba, classificou 78 concorrentes para 30 vagas. Em uma das fases do certame algo inusitado aconteceu, quando 74% dos alunos foram reprovados no exame toxicológico, o que gerou suspeita e apreensão tanto dos estudantes, quanto de seus familiares.

O deputado estadual Cabo PM Gilberto Silva, ao tomar conhecimento do fato, considerou urgente explicação do Comando Geral da Polícia Militar e a suspensão das novas etapas do Curso, para que prejudicados na eliminação, não tenham seu direito violado tendo em vista que inconsistências podem prejudicar candidatos de forma injusta.

“Nossa preocupação de imediato é que ninguém seja prejudicado, e todos possam concorrer em pé de igualdade, e uma inconsistência na elaboração do edital não seja injusto com uns e beneficie outros candidatos”, comentou o parlamentar.

VÍDEO: Cabo Gilberto acusa ex-governador Ricardo Coutinho de superfaturar compra de helicóptero que não funciona

O deputado estadual Cabo Gilberto Silva, do PSL, detonou o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) na manhã desta quarta-feira (08), durante sessão na Assembleia Legislativa. Ele disse que o governo de Coutinho superfaturou a compra de um helicóptero em quase R$ 2 milhões.

O parlamentar apresentou o contrato e mostrou que  a aeronave custou R$ 16,7 milhões, mas, segundo o deputado, o governo do Rio de Janeiro, comprou helicóptero similar por cerca de R$ 15 milhões: “Superfaturamento de quase R$ 2 milhões, inclusive, esse helicóptero (da Paraíba) foi comprado em março de 2018, mas só funcionou na campanha eleitoral (em outubro).”

O parlamentar disse que “o senhor Ricardo Coutinho, então governador, utilizou a máquina pública em favor de seus candidatos, João Azevedo e Fernando Haddad… Quando acabou o segundo turno, os helicópteros sumiram. O helicóptero está no hangar do governo, sem as hélices e sem o motor”, afirmou.

O deputado revelou ter feito uma investigação e descobriu que foi a ex-secretária Livânia Farias quem assinou a compra do helicóptero, e Leandro Nunes Azevedo, foi o responsável para fazer a fiscalização da compra. Ambos, como se sabe, foram presos na Operação Calvário, por desvio de recursos públicos: “Não tem dinheiro pra nada neste Estado, mas para corrupção tem dinheiro de sobra”.

E arrematou: “O ex-governador, o ditador Ricardo Coutinho prestou um desserviço aos cofres públicos e à sociedade paraibana, e ainda ataca a Imprensa, ataca os órgãos fiscalizadores, o Ministério Público, a Justiça e a própria Assembleia Legislativa, quando disse que os deputados valiam R$ 300 mil e eram como um pneu furado, ou seja, furou, trocou, e, agora, fica dando uma de bom moço, paladino da moral, mas a máscara de vossa excelência vai cair.” O deputado revelou que está encaminhando a denúncia ao Ministério Público.

CONTRATO DA COMPRA NO RJ

Veja um trecho do discurso:

Cabo Gilberto afirma que João Azevedo tem informações privilegiadas e tenta obstruir a Justiça; “Se não for afastado do governo, toda a Operação Calvário pode acabar em pizza”

O deputado estadual Cabo Gilberto afirmou nesta quarta, 01, que o governo João Azevedo “passou recibo” ao exonerar dois secretários investigados na Operação Calvário “coincidentemente” na manhã em que o GAECO realizava a 4a fase da operação.

“Cobramos a demissão de Gilberto Carneiro, Livânia Farias e Waldson de Souza há meses, mas o governador “coincidentemente” só os exonerou no Diário Oficial da terça-feira, 30, editado na segunda-feira, 29. Ou seja, um dia antes da 4a fase da Operação Calvário o governo já tinha as informações sobre os mandados de busca e apreensão”

Para o parlamentar, é muita coincidência a exoneração antes da operação:

“No meu entendimento o governo de João Azevedo tem informações privilegiadas e tenta obstruir a Justiça. Se João não for afastado, toda a Operação Calvário corre riscos de acabar em pizza”