Ronaldo Luiz será candidato a deputado federal pela Rede Sustentabilidade e acredita no potencial eleitoral de Bayeux

A Rede Sustentabilidade vem ampliando os seus quadros na Paraíba e lançou Ronaldo Luiz como pré-candidato a deputado federal. Ronaldo mora na cidade de Bayeux e foi um dos principais expoentes da construção do projeto que elegeu Berg Lima prefeito, mas rompeu com o mesmo depois que Berg foi preso em flagrante por corrupção.

Ronaldo Luiz é Geógrafo formado pela UEPB e Pós-Graduando em Planejamento Urbano e Gestão de cidades no UNIPÊ. Carrega em seu currículo a experiência como secretário de Planejamento e secretário adjunto da Educação na prefeitura de Bayeux.

“Estou à disposição para concorrer à Câmara Federal, por um sentimento e convicção em liderar um processo político verdadeiro e coletivo, que dialogue com a sociedade e atenda seus anseios por uma liderança comprometida com valores da transparência, igualdade social, participação popular, combate à corrupção, e a sustentabilidade”, disse Ronaldo Luiz.

O pré-candidato acredita que Bayeux tem potencial para ter um representante no Congresso Nacional. “É de suma importância para os paraibanos implementar uma modificação em sua representação no Congresso, e assim, possibilitar a oxigenação e o surgimento de novas lideranças políticas formadas por cidadãos de bem que desejam dar sua contribuição, além disso, Bayeux precisa de alguém que a represente no cenário nacional e, portanto, Bayeux merece ter o seu representante na Câmara Federal”, finalizou Ronaldo.

Pré-candidato à Câmara Federal, Geraldo Amorim defende a redução do número de deputados de 513 para 257

O ex-vereador de João Pessoa e pré-candidato a deputado federal, Geraldo Amorim, defendeu nesta terça-feira, 17, a redução da Câmara Federal pela metade; passando de 513 para 257 parlamentares.

“Temos o maior e o mais caro congresso do mundo, com 513 deputados, em sua maioria formado por pessoas de atuação duvidosa e distante das necessidades da sociedade. Não desconheço e nem quero reduzir a importância da Câmara Federal, mas precisamos valorizar o acesso, qualificando o parlamento e fazendo com que o eleitor vote com mais cuidado”, justificou Amorim.

Caso a Câmara Federal seja reduzida pela metade, a Paraíba passaria a contar com 6 deputados federais e 18 deputados estaduais.

“Com menos deputados federais e estaduais, ficaria mais fácil para a população fiscalizar e cobrar seus representantes. E certamente eles teriam mais receio de fazer besteiras e votar contra o povo. E ainda teríamos uma grande economia de dinheiro público, já que hoje cada deputado custa R$ 180 mil por mês e mais de R$ 2 milhões ao ano”, explicou Amorim.

Atualmente uma PEC já tramita no Congresso pela redução da Câmara de 513 para 386 deputados, mas provavelmente não será votada em 2018 e terá que ser reapresentada em 2019.