Site do TRE comprova que presa na Operação Calvário foi administradora financeira da campanha de Cida Ramos e João Azevedo

A servidora lotada na Procuradoria-Geral do Estado, Maria Laura Caldas de Almeida Carneiro, presa preventivamente na operação Calvário, foi coordenadora financeira da campanha de João Azevedo e da campanha de Cida Ramos à Prefeitura de João Pessoa, nas eleições 2016. A informação foi divulgada em primeira mão pelo programa Correio Debate, da 98,3 FM, com Nilvan Ferreira, Victor Paiva e João Costa.

Maria Laura foi a única presa na quarta etapa da operação, desencadeada nesta terça-feira (30) e encaminhada ao presídio Júlia Maranhão.  Ao todo, além da prisão, estão sendo cumpridos 18 mandados de busca e apreensão, sendo dois relacionados a endereços atribuídos à servidora.

Laura também foi alvo de mandados cumpridos na terceira etapa da operação, quando foram apreendidos, na casa dela, tiras destinadas ao embalar dinheiro. Também foram cumpridos mandados de busca e apreensão em endereços relacionados ao agora ex-procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro, cumpridos em casa e no trabalho.

OPERAÇÃO CALVÁRIO: Propina da Cruz Vermelha pode ter financiado campanhas de Cida Ramos e Estela Bezerra

Informações exclusivas obtidas pelo blog confirmam que a força-tarefa da Operação Calvário também começa a investigar as campanhas para a prefeitura de João Pessoa de Estela Bezerra e Cida Ramos, respectivamente no anos de 2012 e 2016.

De acordo com a delação de Leandro Nunes de Azevedo e os depoimentos dos empresários envolvidos, as campanhas de Ricardo Coutinho e João Azevedo foram financiadas com propina da Cruz Vermelha.

A suspeita agora é se as duas últimas campanha do PSB para a prefeitura de João Pessoa também foram financiadas com o dinheiro da Saúde desviado através das organizações sociais.

A suspeita pode ser ser corroborada pela delação da mulher de confiança de Ricardo Coutinho, Livânia Farias, presa há 30 dias e considerada pelo Ministério Público o “caixa” da ORCRIM girassol.

A Operação Calvário está apenas começando…

 

É OU NÃO É? Cida acusa Raniery Paulino de chamar Ricardo Coutinho de ladrão

O barraco hoje (27) na Assembleia acabou sobrando para o governador de fato, Ricardo Coutinho. Segundo a deputada Cida Ramos, Raniery Paulino teria chamado RC de ladrão.

O deputado nega.

“Ele disse que não disse [o termo ladrão], mas no meio da minha fala com ele, ele afirmou: ‘ele é ladrão sim, ele é ladrão sim’”, disse Cida.

Será que Raniery tem razão?

E aí, caro leitor, você acha que Ricardo Coutinho é ladrão?

VÍDEO: Deputados do PSB e críticos da Operação Calvário armam barraco na Assembleia

Os deputados governistas e críticos da Operação Calvário, entre eles Ricardo Barbosa e Cida Ramos, não querem que a Assembleia Legislativa aprofunde o debate sobre a corrupção na Cruz Vermelha e a Operação Calvário.

Fora dos microfones e dentro do plenário, os ânimos ficaram acirrados entre Cida e Raniery, quando houve uma crítica ao ex-governador Ricardo Coutinho. Um bate boca foi iniciado e a deputada Pollyana encerrou a sessão alertando para um possível decoro parlamentar.

Cida disse que Raniery Paulino chamou o ex-governador Ricardo Coutinho de ladrão, e isso seria uma calúnia.

Raniery disse que a sessão foi encerrado porque os deputados da oposição começaram a debater o escândalo da Cruz Vermelha, principalmente quando o parlamentar propôs requerimento convidando o conselheiro do TCE, Nominando Diniz, a expor o voto dele no julgamento das contas da Cruz Vermelha.

Por que os deputados Ricardo Barbosa e Cida Ramos andam tão exaltados nas últimas semanas?

Polítika com informações do Portal do Litoral

MANOBRA: Estela Bezerra e Cida Ramos inventam CPI’s desnecessárias e sepultam investigação sobre a Cruz Vermelha na ALPB

O Ministério Público e o GAECO precisam prestar mais atenção na movimentação das deputadas estaduais Estela Bezerra e Cida Ramos. Ambas manobraram para sepultar a CPI da Cruz Vermelha. Elas tem medo de quê?

Como se sabe, a ex-chefe de gabinete de Estela é presidente da Cruz Vermelha na Paraíba.

Ou seja, tem gente como medo das investigações…

Estela e Cida protocolaram três pedidos de CPI’s desnecessárias e sem o menor fundamento. E como a Assembleia não pode ter mais de três comissões ao mesmo tempo, a CPI da Cruz Vermelha está sepultada.

As deputadas manobraram e usaram o regimento da Casa para impedir que parlamentares investiguem o maior esquema de corrupção da história da Paraíba, envolvendo bilhões de reais.

Mas passaram recibo. E prego que se destaca sempre leva martelada…

Cabe à oposição apelar ao judiciário para inibir uma manobra tão descarada.

Elas tem medo de quê?

CPI DA CRUZ VERMELHA: Notícia de 2018 mostra Cida Ramos elogiando acessibilidade da ALPB, o que comprova manobra de Galdino para abafar escândalo de corrupção

É de se lamentar que o PSB e o presidente da Assembleia Legislativa usem a deficiência física da professora Cida Ramos – pessoa que admiro muito, desde os tempos da UFPB – como pretexto para suspender os trabalhados da Assembleia Legislativa por 15 dias. Recesso este que deverá ser imprensado com o Carnaval. Ou seja, debate sobre a CPI da Cruz Vermelha e a Operação Calvário só em março!

Em dezembro do ano passado, a própria parlamentar rasgou elogios à reforma realizada pelo ex-presidente Gervásio Maia:

Matéria veiculado em 27 dezembro de 2018 no portal Paraíba On Line:

A professora Cida Ramos, deputada diplomada para o primeiro mandato e primeira mulher deficiente a assumir um cargo na Assembleia Legislativa, elogiou a iniciativa do presidente da Casa, Gervásio Maia (PSB), que promoveu acessibilidade ao deficiente físico, auditivo e visual com as reformas no prédio do Poder Legislativo, que ficou agora totalmente adaptado às necessidades desse segmento da população paraibana.

(…)

Para a deputada, foram bastante relevantes as adaptações o que significa que a o Legislativo está democratizando o acesso, cumprindo um direito elementar das pessoas com deficiência puderam opinar e viver a vida pública da cidade e do Estado.

O que mudou de dezembro pra cá? Certamente é o medo da CPI da Cruz Vermelha e o constrangimento de Adriano Galdino em ter que barrar mais um inquérito contra o esquema do governo.

E mesmo que a reforma fosse necessária, precisaria de 15 dias para fazer ajustes na acessibilidade ao plenário da ALPB? Até o próprio Gervásio Maia ficou indignado com a manobra que desqualifica sua gestão:

“Chama um marceneiro, corta lá 20 centímetros da altura do púlpito, da tribuna, e o assunto está resolvido”, ironizou.

De acordo com o deputado, antes não tinha elevador para cadeirante, não tinha sinalização em braile, não tinha botão de pânico nos banheiros, não tinha nada. “Fizemos tudo. Não precisava dessa zoada toda que está se fazendo. O quesito acessibilidade foi tratado com muito respeito, até por que eu conheço a legislação e procurei fazer com que o projeto arquitetônico verificasse isso” disse Gervásio.

 

Cida Ramos começa a tomar bases de deputados aliados de uma forma pouco republicana

Deputados ligados ao governo confidenciaram ao blog a insatisfação com as práticas adotadas pela pré-candidata Cida Ramos no interior do estado. De acordo com os relatos, Cida está cooptando lideranças políticas de uma forma pouca republicana e muito fisiológica – o que tem gerado revolta na base do governo.

Parece que os setes anos na secretaria de Desenvolvimento Humano deixaram Cida assistencialista demais.

A estrutura é grande e nem as bases de Estela Bezerra escaparam. O deputado estadual Buba Germano também já perdeu lideranças para Cida.

Cida Ramos deverá ser a mais votada de 2018.

CADÊ O TRE? Cida Ramos escancara e transforma plenária do O.D em palanque eleitoral para João Azevedo

A campanha eleitoral nem começou e o uso político da máquina pública promete ser bem maior que em 2014. A certeza da impunidade é tão grande que na mesma semana em que o Ministério Público Eleitoral pediu a cassação do governador Ricardo Coutinho e reconheceu o uso do Estado para fins eleitorais, a secretária de Desenvolvimento Social – e  pré-candidata a deputa estadual – Cida Ramos,  transformou uma plenária do Orçamento Democrático num verdadeiro comício para João Azevedo.

“Eu quero saudar essa mesa na pessoa do meu companheiro, na pessoa daquele a quem eu, Ricardo e a Paraíba, deposita as maiores confianças, João, para a continuidade de um projeto que é vitorioso em João Pessoa e é vitorioso em toda a Paraíba…”, panfletou Cida Ramos.

Só faltou o encerramento tradicional, pedindo que o eleitor vote no 40 no próximo dia 7 de outubro.

O eleitor agora se pergunta, e cadê o TRE que nada faz para impedir tamanho aparelhamento do Estado por um partido?

Bem, a justiça eleitoral da Paraíba finge que nada vê e o PSB finge que não comete crime eleitoral.

Tá dominado. Tá tudo dominado…