João Azevedo nomeia como assessor ex-prefeito do PSB condenado por improbidade administrativa

Afora o barulho da intervenção em hospitais terceirizados e a suspensão do programa Gol de Placa, diante das inúmeras denúncias investigações do Ministério Público, o governador João Azevedo acaba de nomear o ex-prefeito Waldemar Marinho Filho (Várzea), do PSB. Só que Demazinho, como é mais conhecido, foi condenado pela Justiça Federal em abri de 2018 por improbidade administrativa. Ou seja, meu caro Paiakan, mais barulho à vista.

Conforme o Diário da Justiça Eletrônica, o ex-prefeito (e outras pessoas) foi condenado a repor aos cofres da Funasa R$ 90.000,00 e pagar multa (a ser rateada igualmente), em prol do Fundo de Defesa de Direitos Difusos (vinculado ao Ministério da Justiça), no montante de mais R$ 90.000,00, em ambos os casos com os devidos acréscimos legais. (Mais em https://goo.gl/FT83WA)

Segundo o Diário Oficial da Paraíba, Waldemar Marinho Filho foi nomeado assessor de gabinete do governador João Azevedo.

Blog Helder Moura

Condenado por cobrança de propina no DF pode ser ministro de Bolsonaro

A bancada da bala quer que o deputado Alberto Fraga (DEM-DF), que perdeu a eleição para governador do Distrito Federal, tenha um cargo com status de ministro no Palácio do Planalto.

Bolsonaro é fiel aos amigos e gosta que eles estejam por perto. Ele e Fraga são companheiros de longa data na Câmara.

Condenação de Fraga

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal condenou, no dia de setembro, o deputado Alberto Fraga (DEM), por concussão – uso do cargo público para obter vantagem indevida. De acordo com a denúncia do Ministério Público, Fraga pediu e recebeu R$ 350 mil para firmar um contrato entre o governo do Distrito Federal e a cooperativa de ônibus Coopertran em 2008, quando era secretário de Transportes da gestão de José Roberto Arruda (PR).

O democrata foi condenado a 4 anos, 2 meses e 20 dias de prisão, em regime inicial semiaberto, além de 14 dias-multa. O Judiciário informou que a pena foi aumentada por conta do cargo público ocupado por ele.

Em nota, a assessoria de Fraga afirmou que a decisão como “uma ação totalmente política”. “Enquanto os processos demoram anos para serem julgados o de Fraga tramitou em apenas dois dias. É no mínimo estranho”, diz o texto.

Fazendo jogo de cena, TRE condena Ricardo Coutinho

Num verdadeiro jogo de cena o TRE resolveu condenar Ricardo Coutinho na Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) mais branda de todas, mas não condenou quando devia, nas Aijes Fiscal e da PBPrev.

O governador Ricardo Coutinho foi multado em R$ 30 mil por conduta vedada nas eleições de 2014, quando nomeou diversos cargos comissionados em período vedado pela legislação. A decisão unânime ocorreu durante sessão na tarde desta segunda-feira (26).

A “condenação” serve para amenizar a imagem do Tribunal na próxima absolvição, na Aije do Empreender; justamente a mais grave de todas, e por isso mesmo a que o TRE deixou para julgar por último, e no final do mandato.

A influência de Ricardo no TRE é gigante. E pra não passar recibo, resolveram condenar sem condenar, porque RC continua elegível e no comando do governo, mesmo tendo usado a máquina pública para vencer a eleição.

Todas as outras Aijes em que RC foi absolvido o Ministério Público pediu a cassação no TSE.

Quem está com a razão?