Cantor diz que Ricardo Coutinho é um rato e delinquente da pior espécie, “Quem rouba dinheiro da saúde e dos mais pobres comete o mais cruel e hediondo dos crimes”

O cantor e compositor Vital Farias é mais um a dar uma pista para que o GAECO chegue ao chefão da ORCRIM girassol. Assim como o deputado Walber Virgulino, Vital acredita que Ricardo Coutinho é o chefe da organização criminosa que desde 2011 vem roubando dinheiro da saúde pública.

Vital Farias postou um texto nas redes sociais onde não “poupou elogios” ao Mago:

CONFIRA A ÍNTEGRA DA POSTAGEM…

HUM RATAZANA DO RABO DE DINOSSAURO!

A Paraíba e o Brasil estão em choque! Como cidadão comum que sou acompanho à distância os passos da operação “Calvário” e o desmantelamento de uma organização criminosa que seguramente promoveu o mais aviltante e escandaloso assalto aos cofres públicos da nossa história. Estamos falando de bilhões de reais! Bilhões!

Graças ao trabalho corajoso e independente do Ministério Público, do Judiciário e da Polícia Federal, já podemos identificar o chefe dessa organização criminosa. Ele sempre foi um falso moralista; era chegado a umas bravatas, pousava de gestor sério e moderno, aparentava ter hábitos modestos, frequentemente atacava seus adversários com enorme virulência, tinha um discurso agressivo, era perseguidor, destruiu milhares e milhares de famílias com seus métodos desumanos; era medonho; sequer a própria família ele preservou.

Ele enganou muitos e por muito tempo. E ainda tem os cúmplices que o seguem. Vão afundar uns abraçados aos outros ou trocando tapas. Ele ganhava eleições de forma surpreendente. Hoje sabe-se muito bem o porque e como. Seus assombrosos e inacreditáveis crimes raspavam os interesses eleitorais. Contudo, ganhar as eleições fraudando todo o processo não era seu principal objetivo. Enriquecer, era!!! Ao logo dos anos, enquanto pousava de bom moço , foi amealhando um patrimônio invejável. Uma fortuna de fazer inveja a muitos bilionários.

Um delinquente da pior espécie. Perigoso! Um ceifador de vidas. Sim! Quem rouba dinheiro da saúde e dos mais pobres comete o mais cruel e hediondo dos crimes. E já se sabe que sua ação criminosa se estendia para áreas como a educação. Um monstro!!! O mais perverso que já andou por nossas terras. Seu nome? Todos sabem. Chama-se Ricardo Coutinho, o tirano, o perverso, o medonho, o mal feitor, o bandido. Mas ele está em completo desespero, não fala coisa com coisa, até a voz, antes altiva, oscila em tons estranhos.

Passou a andar como um rato se esgueirando pelos cantos dos aeroportos e se utilizando indevidamente de benesses que não lhe cabem. Seus auxiliares mais próximos estão presos ou foram alvos de buscas e apreensões. Ele está cercado, moralmente destruído. Sua reputação foi à ruína. Restaram-lhe seus bens( imóveis inclusive na Europa). Mais do que adianta? Um rato só rói as sobras e se tiver enjaulado nada lhe restará. Sem patrimônio, sem honra, sem dignidade. Um rato, apenas!”

“Ricardo Coutinho é o Sérgio Cabral da Paraíba”, acusa deputado

Segundo o deputado estadual Tovar Correio Lima, Ricardo Coutinho é o Sérgio Cabral da Paraíba. A declaração foi dada durante a convenção estadual do PSDB, no último domingo, 05.

Ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral assaltou o Estado e já é considerado o maior corrupto do Brasil, tendo desviado quase R$ 1 bilhão.

PESQUISA DATAVOX: Gestão de Berg Lima é reprovada por 77% da população de Bayeux

O prefeito ex-presidiário de Bayeux, preso em flagrante ao extorquir um empresário em julho de 2017, possui a maior rejeição dos últimos 10 anos na cidade. De acordo com os números da pesquisa Datavox, 77,1% dos eleitores desaprovam a administração que ficou marcada por escândalos de corrupção.

Apenas 18,4% dos entrevistados responderam que aprovam a gestão de Berg e 4,5% não souberam opinar:

Berg Lima também bate o record de rejeição quando o entrevistado é questionado a avaliar a gestão de maneira mais detalhada. 41,6% consideram a administração PÉSSIMA e 26,6% RUIM. Na soma de péssimo e ruim, Berg alcança o impressionante percentual de 68,2%:

A Datavox realizou 402 entrevistas no dia 30 de abril. A margem de erro é de 4,9% e o intervalo de confiança é de 95%.

Berg Lima se mantém no cargo de prefeito graças a uma liminar, mas nas próximas semanas pode ser afastando novamente.

Vereador Jeferson Kita, do PSB, livra Berg Lima da cassação pela terceira vez e já pode pedir música no Fantástico

O que faz um vereador livrar um prefeito corrupto da cassação por três vezes, mesmo sendo de um partido de oposição ao prefeito ex-presidiário Berg Lima? Seria a relação estreita do vereador Jeferson Kita com Berg? Os cargos que o vereador tem na gestão? Ou o prefeito ex-presidiário sabe de coisa que a gente não sabe?

A verdade é que Jeferson Kita salvou a pele de Berg Lima por três vezes. Na última agora, seu voto de minerva enterrou mais um pedido de cassação que estava empatado. O vereador deve achar normal manter um prefeito corrupto, preso em flagrante e condenado, gerindo milhões de reais por mês.

À população de Bayeux só resta uma saída; derrotar este parlamentar nocivo, que não tem vergonha nem o mínimo de pudor em trabalhar contra os interesses da população e a favor de um corrupto preso em flagrante.

E não só ele, mas os demais que votaram a favor de Berg Lima: Lico, Rubem, Dedeta, Netinho, Zé Baixinho, Adriano do Táxi, França e Guedes.

ATENÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO: Prefeito ex-presidiário de Bayeux faz contrato sem licitação no valor de quase R$ 2 milhões para o lixo

O Tribunal de Contas do Estado e o Ministério Público precisam agir imediatamente e investigar o contrato “emergencial” sem licitação realizado pelo prefeito ex-presidiário Berg Lima. Se o prefeito manter seu modus operandi e cobrar uma propina de 20%, como fez quando foi preso em flagrante com dinheiro na cueca, Berg estará metendo a mão em quase R$ 400 mil.

Nos bastidores comenta-se que Berg Lima deixou o lixo tomar conta de Bayeux para ter um álibi que justificasse a contratação emergencial sem licitação.

“Berg transformou Bayeux num grande lixão à céu aberto. Além do lixo comum, seus atos são um lixo de imoralidade e ilegalidade com o povo de nossa querida Bayeux. Haveremos de nos libertar desse pesadelo!”, disse o empresário Léo Micena.

A permanência de Berg Lima na prefeitura fere o princípio constitucional da moralidade na administração pública. É uma dessas aberrações jurídicas que só acontecem nas cidades pequenas do Brasil.

Até quando a raposa vai continuar cuidando do galinheiro?

Com a palavra o Tribunal de Justiça da Paraíba.

Após retorno do prefeito ex-presidiário, lixo toma conta das ruas de Bayeux

O poder judiciário precisa agir rapidamente e expurgar o prefeito ex-presidiário Berg Lima da prefeitura de Bayeux. Além da imoralidade em manter um sujeito que foi preso em flagrante ao receber propina de um fornecedor, a incompetência de Berg tem piorado a situação da cidade, que já não era boa.

O lixo se espalha pela cidade, e a população que praticamente não tem sistema público de saúde, fica mais exposta à doenças e insetos.

Bayeux está entregue às baratas, literalmente, e o judiciário precisar agir para, no mínimo, moralizar a administração pública, pois a cidade não aceita ser administrada por um ladrão que passou quase seis meses na cadeia.

O prefeito ex-presidiário não é o único responsável pelos caos em Bayeux; vereador Jefferson Kita também tem culpa

A população de Bayeux precisa entender os motivos da crise política que a cidade vive. Todos sabem que Berg Lima foi preso em flagrante ao cobrar propina de um fornecedor da prefeitura. A justiça cumpriu com seu papel, o Gaeco também. Faltava apenas a cassação na Câmara Municipal para a população de Bayeux se livrar da maior fraude política da história.

Mas o vereador Jeferson Kita, PSB, presidente da Comissão, decidiu pela inocência de Berg e arquivamento do processo. E ainda articulou com mais 9 vereadores a absolvição de Berg na votação do relatório que o inocentava de um crime incontestável que virou manchete nacional.

Depois de Berg Lima, o vereador Jeferson Kita é o principal responsável pelo caos que tomou conta de Bayeux. É cumplice de todo o sofrimento que a população e o funcionalismo vêm passando desde a prisão do prefeito-presidiário.

Mas em 2020 a população dará o troco…

Com medo da população, prefeito ex-presidiário de Bayeux não despacha mais na prefeitura

O prefeito de Bayeux, Berg Lima, preso em flagrante, em 2017, ao receber propina de um fornecedor, não tem despachado na prefeitura da cidade. Berg está fugindo da população, que tem cobrado soluções para o caos gerado pelo prefeito que prometeu uma revolução administrativa e moral na eleição de 2016.

Berg também está fugindo dos servidores, que estão há três meses sem receber salário. Muitos, inclusive, passando fome e pedindo ajuda para sobreviver.

Mas o caos de Bayeux não é culpa exclusiva de Berg Lima. Os vereadores que em duas oportunidades rejeitaram a cassação do presidiário são cúmplices e a população precisa “dar o troco” nas eleições de 2020.

Preso em flagrante por corrupção há quase um ano, Berg Lima continua recebendo salário de R$ 20 mil

Enquanto a maioria do trabalhador honesto de Bayeux tem que fazer milagre pra sobreviver com um salário de R$ 954,00, um político preso em flagrante por corrupção ganha R$ 20 mil todo mês sem dar um prego numa barra de sabão. E assim deve continuar até dezembro de 2020, já que 10 vereadores da cidade votaram contra a cassação de Berg Lima e arquivaram o processo.

Diferente de gestores que são afastados por suspeitas de corrupção, Berg Lima foi afastado do cargo porque foi preso em flagrante e vários vídeos comprovam o crime cometido. Ou seja, não há dúvidas sobre a ilicitude.

O mais curioso é que a classe política de Bayeux compactua com tal imoralidade e até o presente momento ninguém provocou a Justiça para que o salário de Berg Lima seja suspenso.

Enquanto Bayeux continua um caos e falta de tudo para a população mais carente, um corrupto dará um prejuízo aos cofres da cidade de quase R$ 1 milhão até 2020. E tudo isso com a ajuda dos nobres vereadores:

Berg Lima teria recebido R$ 300 mil para apoiar deputado federal, em 2014

A denúncia foi feita em 2014, e correu as redes sociais como rastilho de pólvora, mas o povo de Bayeux não acreditou muito. O então candidato a deputado estadual, Berg Lima, teria recebido R$ 300 mil para votar no deputado federal Damião Feliciano, confira:

O candidato a deputado estadual Berg Lima (PTN), de Bayeux, está envolvido em suposta negociação com o deputado federal Damião Feliciano (PDT) para apoiar candidatura a reeleição. Hoje, a denúncia foi divulgada através das redes sociais do candidato, que aproveitou o espaço utilizado para comentários e se defendeu.

De acordo com denúncia (foto abaixo), Berg teria recebido R$ 300 mil para garantir apoio a Damião Feliciano, na cidade de Bayeux.

Através do Facebook, o candidato Berg Lima se defendeu e disse que não existe “dinheiro”: “Tenho um apoio com compromissos para Bayeux, na política infelizmente temos que fazer alianças de postura. Acho que você foi mal informado, não existe dinheiro, há estrutura de campanha”, publicou Berg Lima.

Polêmica Paraíba