Leto Viana afirma que radialista Fabiano Gomes deu um golpe em Luceninha e recebia mesada de R$ 30 mil

Em depoimento realizado na Polícia Federal no último dia 09 de abril, o ex-prefeito de Cabedelo, Leto Viana, preso há 1 ano, afirmou que repassava mesada de R$ 30 mil para o radialista Fabiano Gomes. Valor que posteriormente foi reduzido para R$ 20 mil.

De acordo com Leto, os valores seriam o pagamento pela participação de Fabiano na negociação que resultou na compra e venda do mandato de Luceninha, ex-prefeito que “renunciou” em 2013. E também para que o radialista emitisse opiniões contrarias à construção de um novo shopping em Cabedelo.

Leto ainda relata que Fabiano, Olívio (ex-secretário) e Lucas Santino (ex-vereador) aplicaram um golpe em Luceninha, desviando o dinheiro que, no acordo, deveria ser utilizado para pagamento de dívidas de campanha:

O outro lado:

A defesa de fabiano gomes esclarece que as declarações do ex-prefeito de Cabedelo Leto Viana – munido de artilharia desenfreada e sem compromisso com a verdade – entram em flagrante desacordo com o que disse, em juízo, o ex-prefeito Luceninha em referência a pessoa de Fabiano.

Em depoimento prestado à Polícia Federal dia 19 de março passado, Luceninha afirmou categoricamente que não sofreu qualquer pressão da parte de Fabiano para abrir mão de seu mandato de prefeito.

Se há na verborragia de Leto algo a considerar é a confirmação da real versão dos fatos de que nunca se recebeu um centavo sequer da Prefeitura de Cabedelo e sim do empresário Roberto Santiago, a quem prestava serviços de assessoria de comunicação. E, ao receber pagamentos de um multimilionário empresário, conhecido e respeitado pelos paraibanos, não caberia questioná-lo sobre a origem de seus recursos.

Reitera-se aqui – mais uma vez – que fabiano gomes segue à disposição das autoridades competentes, confiante de que a justiça será feita. E que os verdadeiros envolvidos serão condenados e quitarão suas dívidas com a sociedade.