LARANJA? Paraibana que recebeu meio milhão do PT e R$ 150 mil do PROS, obteve apenas 737 votos para deputada estadual

Em tempos de laranjas, o Ministério Público Eleitoral precisa investigar a disparidade entre as doações recebidas pela campanha da ex-candidata a deputada estadual, Malu Vinagre, e a votação por ela obtida, apenas 737 votos.

Malu nunca disputou uma eleição, mas já na primeira campanha, abocanhou R$ 650 mil reais do fundo eleitoral; meio milhão do PT, mais R$ 150 mil do PROS, seu partido. O mais curioso é que ninguém viu campanha da candidata nas ruas de João Pessoa, seu “reduto eleitoral”, com 452 votos.

Mesmo assim, Malu Vinagre, que é irmã do ex-deputado federal André Amaral, declarou ter gasto R$ 209 mil com “atividades de militância e mobilização de rua”.

Apenas para fazer um comparativo, o deputado estadual Anísio Maia, que obteve 23 mil votos, gastou míseros R$ 116 mil em toda a campanha. Ou seja, apenas o custo que Malu Vinagre teve com “atividades de militância e mobilização de rua” daria pra bancar a campanha de Anísio e ainda sobraria troco.

Outro curiosidade, Malu Vinagre gastou R$ 40 mil com consultoria jurídica, sendo R$ 30 mil para Mayara Rangel Nascimento Sociedade de Advocacia e R$ 10 mil Johnson Abrantes – Sociedade de Advogados.

É inimaginável que uma candidatura proporcional tenha tanta demanda jurídica numa eleição. Nem candidatos a prefeito das médias e pequenas cidades paraibanas gastam tanto. E olhe que a demanda jurídica é bem maior numa eleição majoritária.

A justiça eleitoral precisar agir com rigor!

Estamos falando de dinheiro público, impostos do trabalhador brasileiro. O financiamento público de campanha é necessário, pois dá chance de competição aos candidatos menos abastados. Se não fosse o financiamento público, a democracia estaria nas mãos do capital, viraria uma “dinheirocracia” e o povo trabalhador não teria a mínima representação no poder executivo e legislativo.

O fundo eleitoral já é mal visto pela sociedade, e com exemplos assim, estaremos alimentando o discurso pelo fim do financiamento público.

 

 

 

 

Euda Fabiana consolida pré-candidatura e pode ser a nova representante do Curimataú na Assembleia

Ex-prefeita de Cuité por dois mandatos, Euda Fabiana consolida a sua pré-candidatura e deverá ser a nova representante da região na Assembleia Legislativa. A pré-candidata aposta na popularidade da sua gestão, que contava com mais de 70% de aprovação e a expectativa é que Euda seja a mais votada em Cuité e tenha uma boa votação nas cidades circunvizinhas.

Nas últimas semanas Euda tem incorporado lideranças importantes e também conta com o apoio do vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior, para expandir a campanha em outras regiões do estado.

A receptividade ao nome de Euda e a baixa rejeição tem ajudado. No último fim de semana a pré-candidata participou de vários eventos na região, entre eles o Moto Lama, acompanhada dos vereadores Jácio Borges e Jean Carlos, do município de Nova Floresta, que recentemente aderiram à pré-candidatura de Euda Fabiana.

 

Vereadores mais votados de Nova Floresta declaram apoio à Euda Fabiana para deputada estadual

A ex-prefeita de Cuité e pré-candidata a deputada estadual, Euda Fabiana, recebeu esta semana o apoio dos dois vereadores mais votados de Nova Floresta; Gean Carlo e Jácio Borges. Recém filiada ao Patriota, Euda se apresenta como a representante da região e conta com os apoio do vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Junior, e o deputado federal Benjamin Maranhão.

“Bado Venâncio, em 2010, ao disputar uma das vagas na Assembleia Legislativa, alcançou a marca de 1645 votos em Nova Floresta, e a expectativa das lideranças é que possamos, em 2018, ultrapassar essa marca, ampliando ainda mais a nossa vontade de trabalhar e buscar conquistas concretas para o povo de Nova Floresta e toda região que compreende Curimataú e Seridó paraibano”, disse Euda.

“Euda Fabiana tem experiência e conhecimento para representar Nova Floresta e a região na Assembléia Legislativa. É um cargo sério que precisa ser ocupado por quem tem serviço prestado e sabe o que faz”, afirmou o vereador Gean Carlo.

Cida Ramos começa a tomar bases de deputados aliados de uma forma pouco republicana

Deputados ligados ao governo confidenciaram ao blog a insatisfação com as práticas adotadas pela pré-candidata Cida Ramos no interior do estado. De acordo com os relatos, Cida está cooptando lideranças políticas de uma forma pouca republicana e muito fisiológica – o que tem gerado revolta na base do governo.

Parece que os setes anos na secretaria de Desenvolvimento Humano deixaram Cida assistencialista demais.

A estrutura é grande e nem as bases de Estela Bezerra escaparam. O deputado estadual Buba Germano também já perdeu lideranças para Cida.

Cida Ramos deverá ser a mais votada de 2018.