OPERAÇÃO CALVÁRIO: Delator afirma que propina era entregue no escritório do advogado de Ricardo Coutinho

Mais uma “coincidência” envolvendo o ex-governador Ricardo Coutinho. De acordo com a delação de Leandro Azevedo, ex-assessor de Livânia Farias e operador da propina da Cruz Vermelha, o dinheiro da corrupção era entregue no escritório do advogado de Ricardo Coutinho, Francisco Ferreira, no bairro do Bessa.

Segundo o delator, os pagamento iniciais eram feitos por Saulo Pereira Fernandes (alvo da terceira fase da Operação Calvário), ocorrendo os primeiros encontros na rua e, posteriormente, no escritório de advocacia.

Ainda segundo o delator, Saulo seria o responsável financeiro da Cruz Vermelha, e que chegou a receber dinheiro de propina pago por Leandro dentro das dependências do próprio hospital.

Nos últimos dias o blog mostrou a relação estreita do advogado do ex-governador Ricardo Coutinho com a organização social ABBC:

COINCIDÊNCIA? Advogado pessoal de Ricardo Coutinho também advoga para organização social da Saúde

Em contato com o Polítika, Francisco Ferreira afirmou que chegou a ser sócio de Saulo Pereira durante um ano, mas que dissolveu a sociedade por motivos profissionais. Francisco Ferreira ressaltou que não tem relação nenhuma com a corrupção envolvendo a Cruz Vermelha e que o delator apenas citou o local das operações, isentando-o de qualquer ilícito.

Nota:

1. A Sociedade com Saulo Pereira Fernandes foi formalmente Constituída e passei pouco mais de 1 ano conforme Documentos anexos;
2. Após minha saída da Sociedade de Advogados constituída com Saulo, este Causídico constituiu no mesmo local , Nova Sociedade, desta feita, Sociedade Unipessoal de Advocacia conforme Documentos anexados;
3. Saulo deu continuidade a sociedade, incluindo em meu lugar a sua esposa continuando as suas atividades em local diverso e em outro Estado ( documento anexo);
4. Que até hoje pago dividas de IPTU referente ao período da antiga Sociedade referente a 2015 e 2016 ( documentação anexa);
5. A minha relação com Saulo Fernandes era estritamente profissional e dentro do que preceitua a Lei e a Ordem do Advogados do Brasil , cada um atuando em sua área específica do Direito e de forma independente;
6. Nunca presenciei no escritório a presença de nenhum dos investigados, pois conheci Leandro Pessoalmente apenas após deflagração da Operação Calvário e ele
Pode muito bem esclarecer isso ;
7. Nunca presenciei qualquer conduta ilícita praticada por Saulo Pereira Fernandes;
8. Após minha saída por iniciativa própria da Sociedade, arquei com as demais dívidas do escritório e desde então não tenho conhecimento da área e do local que meu ex-sócio vive e trabalha;

Com relação a ABBC , rescindi, desde janeiro , unilateralmente o Contrato por descumprimento de clausulas relativas a
Falta de pagamentos de honorários na forma pactuada , mesmo eu tendo prestado os serviços .

Por fim, esclareço que minha vida é pautada de
Muito trabalho e militância na advocacia e na ciência do Direito e transcende o Estado da Paraíba , pois atualmente, conforme qualquer um pode consultar através de minha OAB 18.025 , e dos Portais do TJ PB , TJ DF , JF PB , JF DF, TCE, TCU, TRT2 , TRT6 , TRT13 , TST , TRE , TSE , STJ e STF, nosso Escritório de Advocacia , FRANCISCO FERREIRA SOCIEDADE INDIVIDUAL DE ADVOCACIA, sob minha coordenação única , atua em centenas de processos em todo o Brasil, sendo que só na Paraíba atuamos em quase 5 centenas de processos ativos( 1º e 2º graus ) .

Dessa forma, a fim de esclarecer as citações que envolvem meu nome, e em respeito a toda minha clientela que tenho em todo o país , e de contribuir com o exitoso trabalho do GAECO na busca da verdade real, é que esclareço estes fatos que em nada desabonam a minha conduta moral e pessoal que sempre foi pautada de muito labor.

Francisco Ferreira
Advogado

O advogado enviou cópia da petição encaminhada ao Desembargador Ricardo Vital:

 

COINCIDÊNCIA? Advogado pessoal de Ricardo Coutinho também advoga para organização social da Saúde

Mais uma “coincidência” evidencia a estreita relação do ex-governador Ricardo Coutinho com as organizações sociais que tomaram conta do sistema público de saúde da Paraíba. O advogado particular de RC, Francisco das Chagas Ferreira, foi constituído pela organização social ABBC (Associação Brasileira de Beneficência Comunitária) para atuar nas ações judiciais da terceirizada.

Não constitui imoralidade, muito menos ilegalidade, o fato do advogado pessoal de Ricardo também advogar para uma OS que chegou à Paraíba pelas mãos do ex-governador. Mas é muita coincidência.

Nas redes sociais, Francisco Ferreira não esconde sua militância pelo PSB. A foto em questão traz o advogado com o secretário Waldson de Souza, alvo de um mandado de busca e apreensão na Operação Calvário.

Waldson também teve uma conversa grampeada ao planejar o superfaturamento de uma licitação da Saúde:

 

Na semana passada, publicamos uma matéria sobre a cunhada de Ricardo Coutinho, superintendente de uma organização social que o ex-governador trouxe para o estado:

Cunhada de Ricardo Coutinho é superintendente da Organização Social contratada na Educação

No começo do mês a imprensa veiculou outra “coincidência”. A presidente da Cruz Vermelha na Paraíba foi chefe de gabinete da deputada estadual Estela Bezerra, do mesmo partido de Ricardo Coutinho.

Contrato irregular

Em 2015, o Tribunal de Contas do Estado julgou irregular o contrato de gestão firmado pelo governo do Estado com a Organização Social ABBC para gerenciar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na cidade de Guarabira.

O valor do contrato foi de R$ 15,5 milhões. A auditoria apontou dentre outras irregularidades ausência de razão da escolha da empresa contratada e ausência de comparativos de preços, demonstrando que a contratação era menos onerosa para o Estado.

No exercício de 2014, segundo o SAGRES, foram pagos R$6.282.720,69 decorrente do contrato de gestão.O ex-secretário de Saúde Waldson de Souza recebeu multa de R$ 2 mil pelas irregularidades.

Polítika com informações de Hélder Moura.