Veneziano defende criação de guarda pessoal para ex-governadores e confirma o rótulo dado por RC: “Ele é um jovem com a mentalidade completamente ultrapassada”

“Veneziano é um jovem com a mentalidade completamente ultrapassada. Ele não consegue dialogar com nada que seja novo. Ele só sabe fazer a política da família, dos acordos, do toma lá dá cá”.

Foi assim que sabiamente o governador Ricardo Coutinho definiu o deputado federal Veneziano Vital.

Ao defender o indefensável, quando toda a sociedade critica a aberração da criação da guarda pessoal para o governador Ricardo Coutinho, Veneziano confirma o rótulo dado pelo próprio governador: é um jovem com a mentalidade completamente atrasada.

Num momento em que a população cobra o fim dos privilégios do Estado para uma minoria rica, a exemplo do auxílio moradia, carros oficiais e tantas outra coisas, Veneziano tem a ousadia de defender que o contribuinte pague pela segurança privada de um ex-governador, que já terá direito a uma aposentadoria bem generosa para o resto da vida.

Pior ainda foi a justificativa de Veneziano, afirmando que a decisão não é inédita e ocorre em outros estados. “Isso não é criação do Governo do Estado. Se tiver que questionar, questionemos como um todo”, disse.

Ora! Então se todos erram a Paraíba também tem que errar? E como assim, não é criação do governo do Estado? Por acaso a guarda pessoal para Ricardo Coutinho foi criada pelo governo federal?

O que antes era uma promessa de renovação na política paraibana virou um bajulador com a mentalidade atrasada.

Que vergonha.

REPUBLICANO DE ARAQUE: Ricardo Coutinho cria Guarda Pessoal para garantir segurança privada após deixar o governo

“Ser republicano é crer na igualdade civil de todos, sem distinção de qualquer natureza. É rejeitar hierarquias e privilégios… É saber que o Estado não é uma extensão da família, um clube de amigos, um grupo de companheiros… É repudiar práticas patrimonialistas, clientelistas, familistas, paternalistas, nepotistas, corporativistas”.

O texto acima é do historiador José Murilo de Carvalho e serve para mostrar aquilo que o governador Ricardo Coutinho nunca foi: um republicano. Ricardo é mais um político esperto que há quase 30 anos vive da política e dela se aproveita para viver uma vida de privilégios enquanto encena o personagem do antipolítico.

O governador da Paraíba ficou conhecido em rede nacional por gastar milhões de reais na compra de lagostas, sais de banhos, papel higiênico de luxo e outros mimos desnecessários. Tudo pago com o dinheiro público numa mansão (Granja Santana) incompatível com os novos tempos. E tudo sob uma retórica republicana falaciosa.

A criação da guarda pessoal para “proteger” Ricardo Coutinho da violência que ele mesmo alimentou em oito anos é um verdadeiro tapa na cara de uma sociedade que se revolta com os privilégios da classe política. De acordo com a lei criada pelo babão oficial do governador, deputado Hervázio Bezerra, a “segurança particular” de Ricardo será feita por um oficial da Polícia Militar e mais dos PMs durante quatro anos. Ou seja, além de diminuir o efetivo da PM de 9.793 para 8.993, RC vai desfalcar ainda mais:

Ricardo Coutinho não aceita ser um mortal qualquer, igual todos os paraibanos que trabalham diariamente e sustentam o Estado. Ele acredita que é superior. Uma espécie de Rei vivendo numa República.

É a República “Socialista” do Rei Ricardo Coutinho.