As opções de Cartaxo para 2020

O prefeito Luciano Cartaxo está terminando o segundo mandato com uma notícia boa e outra ruim. A boa é que a gestão continua bem avaliada, sempre acima da média. A ruim é que ainda não há um nome forte para a sucessão em 2020.

Ter uma gestão bem avaliada é meio caminho andado para eleger um sucessor. Tivemos um exemplo da força da avaliação positiva com a eleição de João Azevedo para o governo do Estado. Um neófito em eleições que acabou vencendo no 1° turno. É claro que teve aquela ‘forcinha’ substancial da propina da Cruz Vermelha e todo o mecanismo da ORCRIM girassol, como descobriu o Ministério Público. E também contou com os inúmeros erros e a desunião da oposição.

Mas a avaliação do governo de Ricardo Coutinho – mesmo que manipulada pela propaganda e o ‘calaboca’ da grande mídia – foi determinante pra a eleição de João. Na lógica do eleitor, se o governo é bom, não há motivos para mudar.

A mesma lógica se repetiria na eleição municipal.

O nome de Diego Tavares, empresário, secretário municipal e suplente da senadora Daniella Ribeiro, era tido como certo para a sucessão do prefeito Luciano Cartaxo, mas foi chamuscado pelos áudios envolvendo Adalberto Fulgêncio. E entrar numa eleição com teto de vidro não é nada bom.

Além disso, a baixa popularidade de Diego Tavares seria um risco. Principalmente numa campanha de apenas 50 dias.

Dentro do partido de Cartaxo, há ainda o ex-vereador e secretário de Transparência Pública, Bira Pereira. Bira tem a seu favor um recall (lembrança no eleitorado) adquirido nos dois mandatos de vereador, o que lhe garante uma popularidade razoável para largar bem numa campanha curta. Também conta a favor do ex-vereador uma boa retórica para enfrentar os debates.

O perfil de Bira é outro ponto positivo. Mais ao centro e com baixa rejeição, tem a mesma trajetória dos últimos prefeitos da Capital, que começaram a carreira política nos movimentos estudantis e sociais. Mas para chegar competitivo em 2020, Bira precisaria assumir uma secretaria com mais visibilidade e projeção na grande mídia.

Ao lado de Nonato Bandeira, Roseana Meira e Ronaldo Guerra, Bira foi determinante no apoio de Luciano Agra a Cartaxo, em 2012. Talvez seja o momento do prefeito retribuir o gesto e lealdade de Bira desde então.

Helton René é outra boa opção. Há quase oitos anos a frente do PROCON-JP, o vereador licenciado tem conquistado muito popularidade na defesa do consumidor, sempre ocupando espaços na grande mídia, o que lhe garante um bom recall para começar uma campanha.

Helton tem forte presença nas redes sociais – sendo o vereador com mais seguidores no Instagram – e uma boa aceitação no público evangélico e jovem de João Pessoa. Também possui uma boa retórica para defender a gestão nos debates.

Fora do partido, Luciano Cartaxo pode optar por aliados como o deputado federal Ruy Carneiro e o estadual Wallber Virgolino.

Ruy Carneiro, que já disputou a prefeitura em 2004, e foi vice de Cássio em 2014, tem um bom recall em João Pessoa e sempre desempenhou um mandato acima da média, principalmente como deputado federal.

Ruy reconquistou seu mandato na eleição de 2018, sendo o segundo mais votado de João Pessoa com 6,05%.

Em 2016, antes de aderir à reeleição de Cartaxo, Ruy aparecia nas pesquisas em 2° lugar, fato que confirma seu favoritismo entre os aliados do prefeito. Ruy também foi secretário do Estado e tem experiência suficiente na administração pública para passar segurança aos eleitores.

Com 30 mil votos só em João Pessoa, Wallber foi o deputado estadual mais votado e conquistou 8,13% do eleitorado. É uma votação muito expressiva que faz do delegado um candidato competitivo para a sucessão municipal.

Virgolino tem se destacado muito nos embates contra o ex-governador Ricardo Coutinho e na defesa da Operação Calvário. Entretanto, bandeiras conservadoras do bolsonarismo podem prejudicá-lo numa disputa majoritária. Ainda mais agora com o fiasco e as inúmeras crises do governo Bolsonaro.

A atuação de Wallber nas redes sociais é impressionante e muitos seguidores já defendem seu nome para disputar a prefeitura. O deputado revelou ao blog que é candidato de qualquer jeito, com ou sem apoios.

Wallber também tem experiência na administração pública, pois foi secretário de Administração Penitenciária na Paraíba e Rio Grande do Norte. E tem como ponto positivo a imagem associado ao combate à corrupção.

Diante das opções, Cartaxo tem bons nomes para construir um sucessor, mas precisa agir desde já. Virar o ano sem ter um pré-candidato será um risco enorme e pode comprometer a sucessão.

Mais uma vez a sorte estará ao lado de Luciano Cartaxo, já que o ex-governador Ricardo Coutinho deverá chegar em 2020 com a ficha suja, seja pela Aije do Empreender, que tramita no TRE, ou pelas outras duas que aguardam julgamento no TSE. E ainda tem a Operação Calvário, que vai botar muito girassol na cadeia.

 

 

 

Luciano Cartaxo autoriza início das obras do Parque Sanhauá e implantação da iluminação em LED em todo o Centro Histórico

O prefeito Luciano Cartaxo apresentou, na manhã desta quinta-feira (21), o projeto do Parque Ecológico do Sanhauá, mais uma grande intervenção que a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) realiza no Centro Histórico da Capital para integrar a região onde a cidade nasceu, resolver problemas históricos, cuidar do meio ambiente e, principalmente das famílias que viviam na Comunidade Vila Nassau, em condições insalubres e de risco. Estimado em R$ 11,6 milhões, a Área de Preservação Permanente, de 193mil m², será recuperada e, no local, construído um grande parque com praça, mirante, elevador panorâmico e passarela. Na solenidade de apresentação do Projeto, no Auditório do Centro Administrativo Municipal (CAM), o prefeito ainda anunciou a implantação da iluminação em LED em todo o Centro Histórico.

De acordo com o prefeito Luciano Cartaxo, o projeto desenvolvido pela PMJP vai cuidar das pessoas que viviam na comunidade Vila Nassau ao mesmo tempo em que transformará a região do Centro Histórico em um grande polo turístico, econômico e cultural. “Importante dizer que não estamos fazendo uma intervenção na comunidade do Porto do Capim, mas sim na comunidade da Vila Nassau. Estas famílias viviam em uma área de risco, ocupações sem a posse da terra e nós vamos oferecer dignidade a estas pessoas, mais qualidade de vida, e um verdadeiro lar para poderem criar seus filhos em segurança”, explicou o prefeito.

Segundo ele, todo o trabalho foi feito a partir do diálogo com a comunidade em um processo iniciado há cinco anos, oferecendo a garantia de que ninguém ficaria desamparado pelo poder público municipal. “Uma das marcas de nossa gestão é a humanização em todos os nossos atos. Antes de qualquer obra, cuidamos das pessoas e do interesse coletivo e é exatamente isso que estamos fazendo neste momento. Conversamos com a população, e os moradores vão viver em dignidade. Assim como os comerciantes, para quem encontramos um espaço para cada um deles continuar exercendo seus trabalhos em outras áreas da cidade”, disse.

O diálogo envolveu técnicos da PMJP, Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan), do Instituto do Patrimônio Histórico Estadual da Paraíba (Iphaep) e população (moradores, comerciantes, corretores de imóveis e fretistas). A área total do Parque Ecológico do Sanhauá é de 193.354 m² e a área construída será de 25 mil metros quadrados, entre áreas urbanizadas e equipamentos. O novo espaço público da Capital contará com praça, mirante, elevador panorâmico, passarela elevada sobre o mangue, ciclovias, calçadas requalificadas e estacionamento com 80 vagas. Toda a região receberá iluminação em LED e respeitará as normas de acessibilidade. As edificações serão mínimas e não invasivas para garantir a regeneração ambiental da região. Os recursos são provenientes de uma parceria também com o Governo Cultural.

A secretária de Planejamento, Daniella Bandeira, explicou que foi oferecido aos moradores a moradia em um residencial que está sendo construído pela PMJP a 2 quilômetros do local onde eles atualmente residiam, na Comunidade Vila Nassau. “A diferença é que eles vivem em uma área que é reconhecida pela Defesa Civil como imprópria para a habitação e em condições desumanas. Estamos tirando 120 famílias dessa região para oferecer a elas uma estrutura nova, apartamentos de extrema qualidade, assim como de outros residenciais já entregues pela Prefeitura. Inclusive muitas destas famílias estão vivendo em um galpão em ruínas”, disse.

Vida no Centro Histórico – O projeto do Parque Ecológico do Sanhauá se integra a uma série de outras intervenções já realizadas pela Prefeitura Municipal de João Pessoa no Centro Histórico da Capital que modificaram o perfil e deram novo sentido à ocupação desta região a partir de onde a cidade se desenvolveu. Obras como o Parque da Lagoa, Praça da Independência, Pavilhão do Chá, Villa Sanhauá, e a integração desta região à cidade através da nova Avenida Beira Rio, permitiram que o Centro Histórico viva hoje uma nova realidade. Os espaços voltaram a receber a população que sai de todas as regiões da cidade para momentos de lazer e de cultura, ao mesmo tempo em que investidores e a população voltam a ter interesse na ocupação sustentável do local.

Flavio Asevedo

Luciano Cartaxo homologa concurso da Sedurb e anuncia convocação dos 70 aprovados para o dia 1° de maio

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, anunciou, na manhã desta quinta-feira (7) através de seu perfil no twitter (@Luciano_Cartaxo), a homologação do concurso da Secretaria de Desenvolvimento Urbano  (Sedurb), realizado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), e a convocação dos 70 aprovados para tomar posse a partir do dia 1° de maio, Dia do Trabalhador. Somados estes novos profissionais, desde 2013, a atual gestão já realizou concursos públicos e deu posse a 3.292 pessoas em diversas áreas, que ingressaram na Prefeitura para qualificar os trabalhos e oferecer uma melhor prestação de serviços à população.

“Acabamos de assinar, em reunião com os secretários Zennedy (Sedurb) e Lauro (Administração), a homologação do concurso para Agentes de Controle Urbano e autorizamos a convocação dos 70 aprovados a partir do dia 1º de maio. Nossa gestão já alcançou o marco histórico de convocar 3.292 aprovados em concursos”, disse o prefeito na rede social.

O concurso da Sedurb, aberto no ano passado pela PMJP, ofereceu vagas para Agentes de Controle Urbano. O salário inicial é de R$ 1.238,37 com carga horária de 40 horas semanais. A partir da convocação, os profissionais têm até 30 dias para comparecer à Secretaria de Administração (Sead), para tomar posse. Após este período, eles têm até 8 dias para entrar efetivamente em exercício. A Sead fica localizada no Centro Administrativo Municipal (CAM), em Água Fria. Toda a documentação necessária para assinar o termo de posse consta no edital de inscrição.

Entre as atribuições do Agente de Controle Urbano, estão: vistoriar e controlar o comércio de ambulantes nos logradouros público; verificar as autorizações para atividades comerciais em áreas públicas; apreender mercadorias e equipamentos comercializados ou deixados nas vias e logradouros públicos, em desacordo com o Código de Posturas Municipal; executar outras tarefas da mesma natureza ou nível de complexidade associadas ao seu cargo.

Segundo destacou o prefeito, a atual gestão é a que mais realizou concursos públicos e convocou aprovados, inclusive fazendo história em áreas importantes nas quais nunca havia ocorrido concurso, criando os primeiros profissionais de carreira, como foi o caso da Procuradoria-Geral do Município (PGM) com 26 profissionais já em pleno exercício de suas funções; na Controladoria-Geral do Município (CGM), com 20 convocados; e no Instituto Previdenciário Municipal (IPM), onde em 28 anos de sua fundação, apenas no ano passado aconteceu o seu primeiro concurso, com 60 vagas.

Além destes, a PMJP realizou o maior concurso público da Educação de João Pessoa e convocou 1.502 profissionais; convocou 332 profissionais para a Guarda Civil Municipal e 1.282 na área da Saúde para atuar nos hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPA) construídas pela gestão.

Desafio do #10yearschallenge comprova que Cartaxo superou gestão de Ricardo Coutinho

O desafio do #10yearschallenge foi assimilado pela política e a criatividade das redes tem garantido boas comparações. Em João Pessoa, internautas tem comparado a gestão de Ricardo Coutinho, 2009, com a gestão de Cartaxo, 2019.

A comparação deixa evidente que Luciano Cartaxo superou Ricardo e já pode ser considerado o melhor prefeito da história de João Pessoa. E também o mais ousado, pois teve a coragem de intervir onde muitos preferiram se acomodar; como na reforma da Lagoa e a urbanização do bairro São José.

VILA SANHAUÁ: O Passeio histórico de Luciano Cartaxo sobre seus adversários

A Rua Cardoso Vieira, no bairro do Varadouro, muda de nome em um trecho de mais ou menos 150 metros, de onde se vê ao lado direito um conjunto de casarões antigos erguidos na década de 1920. Dali, até a Praça XV de Novembro, passa a se chamar Rua João Suassuna, em homenagem ao ex-presidente da província da Paraíba e pai do nosso grande escritor Ariano.

É ali, onde o passado faz um encontro com o moderno e ganha ares de contemporaneidade, que se avista o Residencial Villa Sanhauá.Um empreendimento habitacional criativo que marca um novo momento no processo de revitalização do Centro Histórico de João Pessoa.

Ao todo são 17 unidades habitacionais com áreas de 39,93 m² (um quarto) e 73,41 m² (dois quartos), além de 6 unidades comerciais que seguem todos os padrões de habitabilidade e acessibilidade exigidos pelos órgãos competentes e as rigorosas exigências técnicas ditadas por IPHAN e IPHAEP, incluindo o plano arqueológico. O que fez com que a intervenção recebesse elogios de diversas instituições especializadas por isto.

O diferencial da obra já podia ser visto desde o lançamento do edital de seleção para ocupação dos imóveis, que fora direcionado para pessoas que desenvolvem atividades culturais, artísticas e empreendedores que atendem a este fim. Trata-se de um programa habitacional pensado com o viés da economia criativa, que se configura numa estratégia ousada de ocupação do espaço urbano do nosso Centro Histórico por pessoas que não apenas passeiem por ele, mas que nele trabalhem e o habitem.

A Vila Sanhauá é parte de uma inteligente ação da gestão do prefeito Luciano Cartaxo que tem por objetivointegrar a cidade da orla ao Centro Histórico, de forma planejada e cuidadosa.

Observem…

Vindo do Cabo Branco pela nova Avenida Beira Rio, o passante desfrutará de uma bela paisagem daquela via e chegará ao Parque da Lagoa; de onde, seguindo adiante, chegará à Vila Sanhauá. Podendo aproveitar a viagem para visitar o reformado Hotel Globo, e ainda, verificar as obras da Escola das Artes e da Biblioteca Municipal que funcionarão no Conventinho.

Se vier pela Avenida Epitácio Pessoa e a opção for seguir pelo binário da Praça da Independência em direção à parte alta do nosso Sítio Histórico, o motorista pode se dirigir pela Avenida General Osório em direção ao revitalizado Pavilhão do Chá, de onde se pode seguir a pé até a Praça João Pessoa; passando pela Praça 1817 pode-se tomar um café na Galeria Augusto dos Anjos. De volta ao roteiro é possível chegar adiante até Casa da Pólvora.

Como se pode perceber, o prefeito Luciano Cartaxo aos poucos montou um quebra-cabeça composto por obras que acabou criando um roteiro histórico por onde se pode desfrutar não apenas da beleza desses monumentos, mas também ter certeza do compromisso da sua gestão com essa parte da nossa cidade e da nossa História, há tempos menosprezada por seus antecessores.

O irônico é que a Vila Sanhauá é a concretização daquilo que lá atrás já foi chamado de “Moradouro” pelo então prefeito Ricardo Coutinho, que até o lançou, mas nunca conseguiu tirá-lo do papel ao longo dos seus mandatos à frente da PMJP. Mais irônico ainda, é lembrar que o jingle da vitoriosa campanha do socialistaem 2004 – uma paródia do hino do bloco Muriçocas do Miramar – bradava: “e a cidade velha só com Ricardo vai se revitalizar”. O que só acabou acontecendo com Luciano.

Revitalizar o Centro Histórico é redesenhar a estratégia de desenvolvimento da cidade a partir daquela região e a Vila Sanhauá é mais uma fotografia da energia e do empenho que o prefeito tem empregado nisto, o que é admirável.

Em síntese…

Com a Vila Sanhauá, Luciano ampliou o passeio pelo nosso Centro Histórico e ainda deu um passeio histórico nos seus adversários. Ponto pra ele.

Rômulo Halysson Oliveira

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: Luciano Cartaxo vai à Argentina para integrar Fórum Iberoamericano de Prefeitos

Referência no desenvolvimento socioambiental, a Prefeitura de João Pessoa foi uma das 90 cidades da América Latina e Caribe selecionadas para integrar o “III Fórum Iberoamericano de Prefeitos: coordenação para um desenvolvimento sustentável”, realizado entre os dias 20 e 21 de março em Mendonça, na Argentina. O prefeito da capital paraibana, Luciano Cartaxo, fará parte da comitiva de gestores escolhidos pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), organismo internacional parceiro da administração municipal no programa ‘João Pessoa, Cidade Sustentável’, que contempla um plano de ação de U$ 100 milhões.

Com o programa, João Pessoa passou a fazer parte de uma rede internacional de cidades sustentáveis, sendo avaliada pelo BID como o modelo de gestão mais avançado no país na execução do plano de ação que contempla 60 ações prioritárias. “Seremos um dos representantes do Brasil neste Fórum internacional de prefeitos, onde serão avaliados os novos desafios metropolitanos, junto com novas práticas administrativas, em áreas como infraestrutura urbana, medidas de apoio estímulo à competitividade e à economia criativa. Também teremos a oportunidade de conhecer outros modelos de intervenção em áreas de risco”, disse o prefeito.

O prefeito de João Pessoa já foi um dos representantes da rede de cidades sustentáveis em Santander, na Espanha, e também em Washington, nos Estados Unidos, onde avançou com a etapa final para conclusão do convênio internacional junto ao BID, que agora passa pela final de aprovação na Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Participam do Fórum gestores à frente de cidades como Buenos Aires, Quito, Medellín e Sevilha. Luciano Cartaxo viaja acompanhado dos secretários da Receita, Adenilson Ferreira, e o de Comunicação, Josival Pereira.

Mudança de Cartaxo para o PV foi motivada pela disputa presidencial e reforça candidatura ao governo

Comandado pelo ministro Gilberto Kassab, da tropa de choque de Temer, o PSD representava uma associação perigosa de Luciano Cartaxo ao esquema político que sustenta o presidente da República.

O PSD apoiou a nociva reforma trabalhista e diversas outras medidas impopulares de Michel Temer. O partido é um aliado de primeira hora e, caso o MDB não lance candidato, Kassab deve marchar com o Rodrigo Maia ou outro candidato governista.

Ou seja, Luciano Cartaxo entraria na disputa ao governo com o carimbo de Temer na testa, num estado onde Lula tem mais de 60% dos votos. É como iniciar uma maratona carregando um peso de 30kg nas costas. Um risco desnecessário.

Prudente, Cartaxo deu um passo à esquerda e se consolida no campo progressista ao se filiar ao PV, partido historicamente de Centro, que em diversas eleições já se coligou com o PT. Luciano não quis correr o risco que Cássio correu por duas vezes (2002 e 2006) de ser derrotado pelo voto lulista e da velha dicotomia esquerda x direita.

Que os adversários aprendam; Cartaxo não é só sorte, é estratégia também…

E será candidato.

Movimento “Volta Cartaxo” começa a ganhar corpo e forma

Tem tirado o sono do governador Ricardo Coutinho a possível volta do prefeito Luciano Cartaxo à disputa ao Governo do Estado. Favorito disparado, Cartaxo é a grande pedra no caminho do PSB, ainda mais agora que a campanha foi encurtada para 45 dias, reduzindo as chances de candidatos desconhecidos do eleitorado.

O prefeito é o único que disputa os mesmos eleitores de Ricardo Coutinho na Grande João Pessoa. Logo, representa um antídoto a possível transferência de votos de Ricardo a favor de João Azevedo. Coisa que já aconteceu na eleição de Estela, em 2012, e Cida Ramos, em 2016. Além disso, o perfil de Cartaxo é parecido com o de RC, porém, mas leve e com menos rejeição. Ambos tem origem na esquerda, militaram nos movimentos sociais e já foram do PT.

Luciano hoje é o único capaz de derrotar um governo com quase 80% de aprovação, e sua desistência – espertamente –  inverteu o jogo e agora faz com que líderes da oposição implorem pela sua candidatura. A verdade é que a oposição perdeu o time, ficou de “mimimi” demais e erroneamente deixou Romero Rodrigues brincar de pré-candidato quando todos sabiam que ele não seria.

Assim como o “Volta Agra”, em 2012, o “Volta Cartaxo” começa a ganhar corpo e forma, principalmente após o pedido do ministro Gilberto Kassab para que Cartaxo dispute o governo. A diferença em relação ao saudoso Luciano Agra é que Cartaxo só depende de si, e Agra dependia de um partido que ele não tinha maioria no diretório.

Luciano Cartaxo não teria nada a perder ao reconsiderar sua desistência. Muito pelo contrário. Nesse meio tempo tem ganhado mídia e popularidade. E ainda mostrou pra oposição quem precisa de quem.

Mesmo sem o apoio de Maranhão e com um provável segundo turno, a matemática política é favorável a Luciano Cartaxo. O senador Maranhão – que agora surfa no recall, mas será engolido nos debates e pela máquina do Estado – deverá terminar a eleição em terceiro lugar, obtendo entre 15 e 17% dos votos.

E mesmo que o senador apoie o candidato do PSB no segundo turno, ainda não seria o suficiente para derrotar Cartaxo, que hoje tem potencial para terminar o primeiro turno com mais de 40% dos votos.

A perspectiva de vitória é grande, principalmente com o apoio de Romero Rodrigues e uma grande ala do MDB.

Hoje o maior argumento para que Cartaxo reconsidere a sua decisão chama-se “cavalo selado”…

 

 

 

EXCLUSIVO: Secretário de Cartaxo pode cair nas próximas horas

Uma fonte revelou ao Polítika que o prefeito Luciano Cartaxo já admite afastar o secretário de infraestrutrura, Cássio Andrade. A demissão seria motivada pela suspeita de superfaturamento nas obras de revitalização do Parque da Lagoa.

O prefeito tem sentido o desgaste da Operação Irerês (Polícia Federal), potencializado pelo bombardeio da mídia, e o afastamento seria uma resposta à sociedade.

E se ao final tudo não passar de suspeitas, Cássio Andrade reassume a pasta.