Por que a mesma Justiça Eleitoral que cassou Pâmela Bório em 5 meses, não julga a AIJE contra Ricardo Coutinho engavetada há cinco anos?

Se em determinadas ocasiões, contra os menores, a justiça age na velocidade de um guepardo, em outros casos, contra os poderosos, trabalha na velocidade de uma tartaruga grávida.

É o caso de Pâmela Bório e Ricardo Coutinho. A primeira teve o diploma de suplente cassado em apenas 5 meses no TSE. Já o segundo, é beneficiado pela “estranha” lentidão do TRE que há cinco anos está com a AIJE do Empreender engavetada e “curiosamente” já trocou de relator por 5 vezes.

Justamente a AIJE que tem 99,9% de chances de cassar o ex-governador e torná-lo inelegível por 8 anos.

Pâmela disputou a eleição em 2018, Ricardo Coutinho em 2014.

A influência de RC no judiciário paraibano é tão grande a ponto de engavetar uma AIJE pela eternidade?

Anulação dos votos de Pâmela Bório pode tirar Julian Lemos da Câmara Federal

Os 11.120 votos obtidos pela jornalista Pâmela Bório foram anulados ontem quando o ministro Og Fernandes, do Tribunal Superior Eleitoral, decidiu pela cassação do diploma da suplente de deputada federal da coligação PSL/DC e PSDC.

O ministro  entendeu que Pâmela era inelegível para 2018 pelo vínculo matrimonial como ex-mulher do governador Ricardo Coutinho (PSB), já que a separação se deu após a reeleição e no mesmo período anterior ao pleito. Com isso, segundo juristas consultados pelo Blog, os votos da coligação são, consequentemente, recontados.

A decisão afeta a coligação, que alcançou 167.012 votos e atingiu o coeficiente eleitoral de 165.781 votos para eleger um parlamentar. Sem os 11.120 votos de Pâmela, a votação da coligação caiu para 154.800 votos, abaixo do coeficiente, o que pode, em tese, resvalar no único eleito nesse bloco partidário, o deputado federal Julian Lemos (PSL).

Heron Cid

O dossiê de Ricardo Coutinho contra Nonato Bandeira

Pâmela Bório informou ontem, 29, no programa Intrometido, que o ex-governador Ricardo Coutinho encomendou um dossiê contra Nonato Bandeira, à época, em 2012, adversário de RC e ex-secretário de comunicação.

O blog ainda não obteve acesso ao “Dossiê-Nonato”, mas Pâmela me enviou uma foto pelo Whatsapp. E Parece uma bíblia:

Será que Nonato tem um dossiê contra Ricardo Coutinho?

Dizem que o GAECO tá preparando um…

 

Pâmela Bório diz que ficou com medo de ser envenenada após achar caixas de dinheiro na residência de Ricardo Coutinho

Em nota divulgada nas redes sociais, a ex-primeira da Paraíba, Pâmela Bório, afirma que teve receio de ser envenenada após descobrir o que Ricardo Coutinho era e o que ele fazia. Pâmela se refere às caixas de dinheiro que ela encontrou na Granja Santana enquanto esteve casada com o ex-governador.

“Óbvio que a motivação da minha separação em abril de 2013 e posterior divórcio em 2015 foi justamente a descoberta de quem era e o que fazia e claramente só tive segurança em denunciar na PGR e na PF após sair da Granja, onde passei bom tempo só comendo o que eu via ser feito com receio de ser envenenada.”

O que não é nenhuma novidade, pois Pâmela já reiterou por diversas vezes ter encontrado caixas de dinheiro na residencia oficial do governo. Mas até então Pâmela não tinha revelado o receio em ser assassinada:

VÍDEO: Ex-esposa de Ricardo Coutinho confirma para a Justiça ter encontrado “caixas de dinheiro” em guarda-roupa da Granja Santana

Confira a nota na íntegra:

SOBRE (IN)JUSTIÇA
Por Pâmela Bório – jornalista

Que tipo de gente defende o mal? Que tipo de gente defende a injustiça? Que tipo de gente defende a roubalheira?

Quando proferi discurso em ato do último domingo, dia 07, me permiti ser a voz dos que não têm voz, mortos ou vivos, mas todos injustiçados, roubados, prejudicados por uma quadrilha responsável pelo 2º maior escândalo de corrupção do país, perdendo apenas para o caso do PT e revelada pela Operação Calvário, ainda em andamento… Bilhões de reais foram desviados da saúde – por isso tanta gente com péssimo atendimento médico (quando tem!) e, pior, tantos morrendo nos hospitais públicos!

Mas os culpados não são apenas os ladrões – eles acreditam na impunidade apoiados em cúmplices no judiciário. E tão grave quanto os atos criminosos é também a omissão – hoje, inclusive, o meu pastor destacou sobre este pecado no culto da manhã. Então, contra um judiciário que é cúmplice, omisso ou covarde (leia-se, uma parte do judiciário, e não O judiciário), me levanto e repudio, tendo absoluta certeza de que toda a maioria do povo compartilha da mesma indignação e repulsa. Eu defenestro um judiciário criminoso que envergonha a toda uma categoria profissional, eu combato os que maculam a todos os justos e honestos do judiciário – e também fora dele. Ao passo que eu apoio incondicionalmente todos os grandes profissionais, aos juízes perseguidos como o Moro – saibam que aqui na Paraíba temos muitos como ele. Particularmente vi duas juízas serem colocadas em suspeição apenas por seus ofícios livres de compactuações com o poder executivo, como as admiráveis excelências Tulia Neves e Lucia Ramalho.

Quem ousa apoiar práticas tão nefastas? Somente quem acoberta ou pratica as mesmas péssimas ações. Continuarei combatendo a corrupção onde estiver, dentro ou fora do judiciário, da política, do partido… Por toda a população que é vitimidada, por todos os juristas que, assim como eu, passaram muitos anos de sua vida estudando e se esforçando por uma vida melhor para sua família e para a sociedade, por todos da imprensa que não podem falar a verdade dos fatos, aqui estou.

Para desviar o foco das minhas denúncias do domingo, passaram a me execrar publicamente, me injuriaram de “louca”, de “caloteira” pelo leilão (no ano passado) de um imóvel com irregularidades no financiamento, fabricaram nudes como se, absurdamente, eu tivesse postado tais fotos aqui no Instagram, disseminaram memes como se as causas das denúncias fossem interesses em cargos de quem nem tem capacidade para tal oferta, inventaram mentiras diversas… Questionaram até o porquê de “só depois de romper relações matrimoniais com o ex-governador Ricardo Coutinho, Pâmela Bório descobriu que ele não presta e que é chefe de quadrilha”… Óbvio que a motivação da minha separação em abril de 2013 e posterior divórcio em 2015 foi justamente a descoberta de quem era e o que fazia e claramente só tive segurança em denunciar na PGR e na PF após sair da Granja, onde passei bom tempo só comendo o que eu via ser feito com receio de ser envenenada.

Bom, nesta semana tudo foi feito para que minhas denúncias fossem ofuscadas. Pressionaram até o TJ para emitir nota de repúdio contra mim – o que não aconteceu, obviamente. Ao contrário, a Associação dos Magistrados da Paraíba não deveria ser condescendente com um judiciário que aceita ser subjugado ou que se mantém em conluio com criminosos. Deveria haver gratidão por alguém que se sujeita a todo tipo de retaliação por lutar pelos direitos, pela Lei, por um judiciário mais coerente com sua missão em promover a justiça.”

VÍDEO: Ex-babá do filho de Ricardo Coutinho confirma ter encontrado caixas de dinheiro na Granja Santana

VÍDEO: Em discurso no ato a favor da Operação Calvário, Pâmela Bório diz que o judiciário paraibano é corrupto e que a hora do juiz Aluízio Bezerra está chegando

Sem papas na língua, a ex-esposa do governador Ricardo Coutinho denunciou a corrupção no judiciário paraibano. Em seu discurso no ato a favor da Operação Calvário, realizado no último domingo, 07, na orla de Tambaú, Pâmela lembrou os escândalos de corrupção envolvendo o governo do PSB e disse que a hora do juiz Aluízio Bezerra está chegando.

“Sabe porque esses crimes continuam acontecendo? (…) Porque estamos com o judiciário cooptado e corrupto. Porque no nosso judiciário há os omissos, mas também há os parceiros de crime, há os juízes que vendem sentença (…) áudios foram vazados (…) Desembargador Aloysio Bezerra, que sempre facilita as ações do governo do estado da Paraíba, a sua hora está chegando também, senhor vossa excelência. Vossa excelência é só um exemplo, temos uma lista de juristas e políticos que continuam nos matando todos os dias, seja por covardia ou seja por estarem também na criminalidade (…) Eu não sei a diferença de um reles ladrãozinho de carteira de esquina para vocês, alias, eu sei a diferença, eles não tiveram estudos (…)”, disse Pâmela.

Os áudios vazados que Pâmela Bório se refere envolvem o procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro e o então secretário de Saúde na gestão de Ricardo Coutinho, Waldson Souza, que supostamente estariam combinando o superfaturamento de uma licitação da Saúde.

Na conversa nada “republicana”, como diria o ex Ricardo Coutinho, o juiz aparece numa fala de Gilberto Carneiro dando a entender que Aluízio Bezerra é aliado do PSB, o que compromete a independência do magistrado.

Giberto Carneiro: “Agora deixe eu lhe pedir uma coisa, faça uma visita a Aluízio Bezerra, de uma conversada com ele, tranquilo, porque ele é um defensor nosso. Tem que alimentar ele de informação”.

 

VÍDEO: Ex-babá do filho de Ricardo Coutinho confirma ter encontrado caixas de dinheiro na Granja Santana

A Operação Calvário já está analisando os vídeos da ex-babá do filho de Ricardo Coutinho, Janaína Alexandre, declarando ter encontrado caixas de dinheiro na Granja Santana. Informação que também foi confirmada pela ex-esposa de RC, Pâmela Bório.

Serão as mesmas caixas do esquema da Cruz Vermelha? Só a investigação do Gaeco irá nos responder.

A babá teria migrado para a Espanha, já de algum tempo, temendo por sua vida. É o que, inclusive, ela revela num dos vídeos. Sabe-se, por fim, que esses vídeos teriam sido produzidos em meados de 2014, pouco tempo depois de Janaína ter deixado a Granja Santana.

Polítika com informações de Hélder Moura

VÍDEO: Ex-esposa de Ricardo Coutinho confirma para a Justiça ter encontrado “caixas de dinheiro” em guarda-roupa da Granja Santana

Durante o programa Intrometidos, exibido em 24 de outubro de 2016, a ex-primeira-dama Pâmela Bório revelou que, certo dia, quando ainda era esposa de Ricardo Coutinho, ao procurar taças de cristal, ela encontrou misteriosas “caixas de dinheiro” num quarto de hóspedes da Granja Santana. “Só sei que  eram muitas caixas, que estavam guardadas lá no guarda-roupa”, afirmou.

“Eu não sabia o que pensar na hora… a justificativa foi que o dinheiro que estava guardando era de diárias de viagens de um carro da campanha”, pontuou Pâmela. Informação similar, inclusive, já havia circulado na Internet, com o depoimento de uma ex-babá da Granja, que fez revelação nos mesmos termos, além de outras de maior gravidade.

Então, durante uma audiência na Justiça, em 20 de novembro de 2018, instada a confirmar a informação em juízo, Pâmela confirmou tudo.

CONFIRA O TRECHO DO INTROMETIDOS COM A REVELAÇÃO DE PÂMELA…

Helder Moura

Supremo repara injustiça e nega ação de censura contra Pâmela por postar sobre Jampa Digital e execução de Bruno Ernesto

O governador Ricardo Coutinho sofreu novo revés nas ações movidas contra a ex-primeira-dama Pâmela Bório. O ministro Roberto Barroso (Supremo Tribunal Federal) acaba de fulminar uma decisão do juiz da 7ª Vara Cível de João Pessoa, que havia proibido Pâmela de postar sobre o escândalo do Jampa Digital. O governador foi ainda condenado a pagar os honorários da causa, estimados em R$ 2 mil.

Em julho de 2016, o juiz José Célio de Lacerda Sá (titular da 7ª Vara) acatou pedido do governador Ricardo Coutinho e proibiu a ex-primeira-dama de postar nas redes sociais informações sobre o Jampa Digital, bem como sua eventual relação com o assassinato do jovem Bruno Ernesto, ex-coordenador de Informática da Prefeitura de João Pessoa.

O governador alegou em sua ação, que Pâmela vinha tentando, de forma dissimulada, estabelecer um vínculo entre o escândalo do Jampa Digital e o assassinato de Bruno Ernesto, e que isso objetivava macular a sua imagem. E ex-primeira-dama, então, Pâmela decidiu recorreu ao Supremo, com pedido de liminar, contra decisão do magistrado.

Mas, em poucos meses depois, em outubro de 2016, o ministro Roberto Barroso deferiu a liminar impetrada pela ex-primeira-dama, determinando a suspensão temporária dos efeitos da decisão do juízo da 7ª Vara Civil. Agora, Barroso cassou, definitivamente, a decisão do juiz e ainda arbitrou multa contra o governador pela litigância.

Atuaram na defesa de Pâmela os advogados George e Michele Ramalho.

Despacho – Em sua decisão, o ministro pontuou: “… Por todo o exposto, com fundamento no art. 161, parágrafo único, do RI/STF, julgo procedente o pedido, para cassar a decisão reclamada. Condeno a parte beneficiária do ato reclamado ao pagamento de honorários advocatícios, arbitrados em R$ 2.000,00 (dois mil reais), na forma do art. 85, § 8º, do CPC/2015. Publique-se. Comunique-se.”

Hélder Moura

VÍDEO: Ex-esposa de Ricardo Coutinho diz que Granja Santana serve para esconder dinheiro e bandido

A Granja Santana foi palco mais uma vez de um atrito envolvendo o governador Ricardo Coutinho, Pâmela Bório e o filho do casal, na última quinta-feira, 22. Indignada por ter seu direito de ver a criança tolhido pelos seguranças da Granja, a ex-primeira-dama resolveu revelar para que serve a luxuosa residência custeada pelos impostos do povo paraibano.

“É aqui nesse ambiente que deveria ser a casa do povo, onde neguinho se acovarda, onde bandido se esconde e dinheiro é escondido”… disse Pâmela.

Será que Pâmela já encontrou malas de dinheiro na Granja?

EXPOSIÇÃO DESNECESSÁRIA: Pâmela Bório diz em programa político que filho arranca os cabelos e bate a cabeça na parede

Sem limites na busca por mídia, a ex-primeira-dama da Paraíba, Pâmela Bório, chegou ao cúmulo de expor a saúde mental do próprio filho para atacar o governador Ricardo Coutinho. Em entrevista ao programa Intrometido, Pâmela disse que o filho tem distúrbios mentais e já foi flagrado arrancando os cabelos e batendo a cabeça na parede:

“Nem meu filho recuperou a saúde mental, porque até hoje ele tem sequelas do ocorrido, ele lembra muito bem do que aconteceu… eu recebo muitas mensagens da escola preocupados com determinados comportamentos anormais que até então ele não tinha. A questão dele ficar arrancado os próprios cabelos… outras pessoas já testemunharam dele ficar batendo a própria cabeça contra a parede…”

A briga de Pâmela Bório com Ricardo Coutinho saiu da esfera pessoal e já virou um fato político há muito tempo, pois ele é um governador e principal liderança política da Paraíba.

O que é natural.

Entretanto, é preciso limites para não expor os problemas da criança; o menos culpado em tudo isso, mas que vem a ser o mais prejudicado com tamanha exposição.

Se for verdade mesmo o que Pâmela afirma, acho que ela deveria tratar disso na Justiça, municiada de provas e avaliações psicológicas, mas jamais expor a saúde mental de uma criança num programa político.

Pâmela falou demais. E as consequências serão jurídicas…